quinta-feira, outubro 28, 2010

Uma pausa no blog, para organizar ideias...

terça-feira, outubro 26, 2010

Ps- Bem sei que não gostas que ponha aqui coisas tuas mas também sabes que gosto de escrever o que sinto.

Obrigado!

Por tudo! Por seres quem és. A vida faz-nos conhecer pessoas que nos fazem crescer. E tu deste-me uma grande lição: que se deve viver a vida todos os dias. Que não devemos estar parados e devemos procurar sempre o melhor. Discutimos. Discutimos muitas vezes. Mas tivemos sempre a capacidade de sorrir e rir depois. De nos divertirmos e abstrair do mundo lá fora... Diz-se que a amizade é o sentimento mais duradouro. E nós sempre dissemos que não queriamos estragar a amizade. E essa será preservada. Estarei aqui sempre que precisares! Um baci enorme...

domingo, outubro 24, 2010

Confesso que por razões de estudo psicológico (e também a minha eterna curiosidade sobre o ser humano), tenho acompanhado o programa TVI "Casa dos Segredos"! Sobretudo a parte dos casais. Passo a explicar! Foi pedido a dois concorrentes que não se conhecendo de lado nenhum, encenassem um relacionamento! Ora, o que sucedeu? Durante duas semanas cumpriram o seu papel, com beijinhos e declarações amorosas. Porém, nesta semana outra concorrente desmascarou esse casal dizendo que a relação não era verdadeira. Esta análise podia ficar por aqui mas a parte curiosa é que já depois de descobertos, o casal descobriu que se tinha mesmo envolvido e começaram uma relação mais "verdadeira". Um caso em que a ficção passou para a realidade! Claro que depois, cá fora no mundo real, não deve durar muito tempo, mas isso é outra história...
Por outro lado, entrou um casal verdadeiro como concorrentes que não podia ser descoberto. Ora tudo muito bonito, não fosse o caso dos ciúmes. Fosse pela ordem natural das coisas, fosse por ajuda da produção, a verdade é que o casal entrou em rota de colisão e para além de terem revelado o segredo, quase acabaram a relação. Podemos especular se o programa apenas precipitou algo que cá fora podia acontecer, mas o facto é que a relação estragou-se ali. Curiosamente, acho que a melhor estratégia que eles podiam ter adoptado era fingir que se tinham apaixonado ali. Não foram muito inteligentes.

A Sushi concorda..

segunda-feira, outubro 11, 2010

No House desta semana há esta pérola:

Lisa Cuddy - Who cares about common? Common is boring! It's..common. I like being with you. You make me better. Hopefully, I make you better. What we have is uncommon. And I have never been happier.

É assim mesmo...

quarta-feira, outubro 06, 2010

Gostava de saber quem foi o professor de toda uma geração que diz "sink" em vez de "think"! É que não há dificuldade nenhuma em dizer que "th" é lido "d" e não "s"... Mas depois vi este anúncio e entendi que deve ser a escola alemã...

segunda-feira, outubro 04, 2010

As aulas, as aulas... Depois de Psicologia da Motivação e Seminário parece-me que as coisas estarão melhores. Se bem que a matemática anda a dar-me cabo do juízo. Acima de tudo o que me lixa é a falta de tempo! Até me organizar, os blogues estarão a meio tempo.. Mas pronto deixo uma bela música...

terça-feira, setembro 28, 2010

Afinal isto é um Diário e neste momento o que está a bombar na minha vida é a Universidade.

Sete anos depois, estou de volta à Universidade do Minho. Ontem foi o primeiro dia de aulas. E em Psicologia, o que me aparece logo a a abrir? Técnicas Quantitativas de Análise de Dados. Deus me livre! Números. Alunos de todos os anos mostram que esta cadeira não vai ser fácil. O professor parece acessível mas vou ter de suar muito.

Já hoje estive mais na minha praia: História da Psicologia. Sempre tive o gosto pelas duas áreas e nesta cadeira estão juntas. O professor definiu-se como um aluno que sabe uma pouco mais que nós. Parece-me uma boa forma de pôr as coisas.
A seguir, outra das cadeiras que me vai pôr a cabeça em água: Biologia Humana. PAra quem veio de Humanidades e sobretudo para quem não tem aulas de secundário há mais de dez anos, isto parece-me ser uma bela complicação. Mas nada que não se faça...

PS- Com universidade de manhã, trabalho à tarde e treinos à noite, tempo livre é coisa que não há...

quarta-feira, setembro 15, 2010

Tenho de pedir desculpa pelo meu desaparecimento mas tudo tem uma explicação! Neste dia em que o blog faz 4 anos, nada como mostrar a bela Sushi, uma gatinha que me tem ocupado o pouco tempo livre!









terça-feira, agosto 31, 2010

Pensei em escrever um texto enorme, mas hoje apetece-me só dizer: "Um dia destes cantar-te-ei isto ao ouvido!"

segunda-feira, agosto 23, 2010

"Não se amam mil mulheres da mesma forma, ama-se a mesma mulher de mil formas diferentes!"

sexta-feira, agosto 20, 2010

Frase lida na série Spartacus:

""And now she makes you wait! The way women punishes us for being fools!"

É bem verdade! Todos os homens cometem asneira. Todos, não há excepção. Aliás, faz parte do processo de perceber até que ponto ele aprende a lição. E para aprender a lição por completo, ele precisa sentir a falta daquilo que ama. E é nessas alturas que o maior castigo que uma mulher pode infligir é deixa-lo à espera. Se de facto o homem quer o perdão, ele saberá esperar. E se ele for merecedor, ela saberá dar-lhe uma rara segunda oportunidade. E essa, ambos sabem que não será desperdiçada. O homem é sempre um projecto nas mãos de uma mulher! Ela interessa-se mais por aquilo que ele pode ser do que aquilo que ele já é. E é a forma como ele ultrapassa os momentos maus que faz com que ela tenha a certeza que é o homem da sua vida. O caos dá sempre origem à luz...

segunda-feira, agosto 16, 2010

A propósito de uma reportagem da Tabu de Sábado, penso em como nunca tive o que se chama "amor de Verão". Talvez por ter sido durante muitos anos patinho feio, nunca pensei no Verão como um tempo de amores... Tirando os anos em que namorei, a estação estival não era particularmente activa em termos do mundo feminino! Aliás, acho que o Inverno (estar em casa em frente à lareira a comer gelado, com chuva fora da janela) convida mais à união dos corpos. Mas pelos vistos sou só eu! Mais engraçado ainda foi que um dos visados pela reportagem é um amigo meu, descrito como tendo um olhar dengoso e discurso sedutor...

sexta-feira, agosto 13, 2010

Eh pá, o que eu gosto de sextas-feiras 13!!!!

terça-feira, agosto 10, 2010

Imaginem que uma vidente vos diz que têm de casar no espaço de um ano ou então não casam! E que o felizardo é uma pessoa com quem já tiveram uma relação.. É esta a premissa desta série de 2008 que só agora descobri! Ex-list tem um conceito engraçado. Perceber quantos são sapos e quantos são príncipes. Os problemas que tinham antes e os que têm agora. Normalmente os defeitos e qualidades são exagerados com o tempo! E acabamos a dar valor ao que temos neste momento...

sexta-feira, agosto 06, 2010

"Eu estava bem durante um tempo! Voltei a sorrir. Numa noite vi-te, a tua mão tocou-me e ouvi o som da tua voz. Falei muito bem e tu sem saber que estive a chorar pelo teu amor. A chorar pelo teu amor! Depois do teu adeus senti toda a minha dor. Só e a chorar. A chorar! Não é fácil entender, que ao ver-te outra vez, continuarei a chorar. Pensei que te esqueci mas a verdade é que te quero ainda mais, muito mais que ontem. Diz-me o que posso fazer. Já não me queres. E estarei sempre a chorar pelo teu amor. O teu amor levou todo o meu coração e continua a chorar pelo teu amor."

Belo texto, não é? Falta música? Arranja-se...



Yo estaba bien por un tiempo,
Volviendo a sonreír.
Luego anoche te vi
Tu mano me tocó
Y el saludo de tu voz.
Y hablé muy bien y tu
Sin saber que he estado
Llorando por tu amor (x2).
Luego de tu adiós sentí todo mi dolor.
Sola y llorando,
Llorando (x3).
No es fácil de entender
Que al verte otra vez
Yo seguiré llorando

Yo que pensé que te olvidé
Pero es verdad es la verdad
Que te quiero aún más,
Mucho más que ayer.
Dime tú qué puedo hacer
No me quieres ya
Y siempre estaré
Llorando por tu amor (x2).
Tu amor se llevó
Todo mi corazon
Y quedo llorando
Llorando (x5)
Por tu amor.

quarta-feira, agosto 04, 2010

Desde há muito que este blog tem sido diário e confessionário! Normalmente as pessoas gostam de ler o que escrevo, excepto quando se relaciona consigo. Este blog já viu três namoradas passar pela minha vida. Pessoas muito diferentes! Ainda não tinha escrito aqui sobre uma que "got away". Em todas as minhas relações procurei chegar ao fim da relação de consciência tranquila, com a certeza que tinha feito tudo bem. Pois bem, toda a regra tem excepção. Uma relação em que só me posso culpar a mim! Ninguém é perfeito e eu muito menos. O mais estranho nesta sensação nova é a perda. É o sentir que fiquei a perder! E isso é devastador. Diz-se que a vida continua. Talvez! Mas eu tenho esta memória enorme que não me deixará esquecer aquela que fugiu. Sentir-me-ei sempre um Sinnerman...

sexta-feira, julho 30, 2010



Hoje o dia é de António Feio! A homenagem justa ao artista e ao Homem. É nos momentos mais difíceis que normalmente dizemos ou ouvimos as mensagens mais importantes. E a última mensagem dele é de uma simplicidade e verdade brutais. Absolutamente esmagador! São palavras que se bastam a si próprias...

"Aproveitem a vida e ajudem-se uns aos outros. Apreciem cada momento, agradeçam e não deixem nada por dizer, nada por fazer."

quinta-feira, julho 22, 2010

Um pausa no blog, que tal como o dono, precisa de recomeçar... :)

quinta-feira, julho 15, 2010

Um belo desafio! Poderia escolher outras tantas, mas foram estas…

Música para acordar:
Homelands – Nitin Sawhney (Ou o álbum todo porque demoro a acordar)


Música para tomar banho:
One of us – Joan Osbourne



Música para sobreviver ao trânsito da manhã:
Three Little Birds – Bob Marley


Música que não consigo ouvir sem cantar:
Numb – Linkin Park


Música que não consigo ouvir sem dançar:
Don’t Worry Be happy – Bobby McFerrin



Música que me deixa bem disposto o dia todo:
Somewhere over the rainbow – Israel Kamakawiwo



Música para adormecer:
Gracias a la vida – Mercedes Sosa



Música para arrumar/cozinhar:
That’s amore – Dean Martin


Música para um fim de tarde na esplanada:
My friend – Groove Armada


Música da infância:
Time after Time – Cindy Lauper


Música da adolescência:
Basket Case – Greenday



Música para sempre:
Every breath you take – Police


Música para ouvir a letra:
Foolish Games – Jewel


Música para ver o videoclip:
Wicked Game – Chris Isaak


Música que gostava que fosse minha:
Um homem na cidade – Carlos do Carmo



Música de um anúncio:
I can see clearly – Jimmy Cliff



Música de um filme:
Now we are free – Lisa Gerrard



Música para alguém especial:
Ain’t no sunshine when she’s gone – Bill Withers



Música que gostava que me cantassem ao ouvido:
And I am telling you – Jennifer Hudson


Música que me faz sorrir:
Caruso – Lucio Dalla


Música que ouvi ao vivo:
Oh Gente da Minha Terra – Mariza


Música para cantar a plenos pulmões:
Alive – Pearl Jam



Música que traz boas recordações:
A noite – Resistência

quarta-feira, julho 14, 2010

Antes de entrar na sua fase mais religiosa e evangélica, Roberto Carlos compôs alguns dos melhores temas da música brasileira! Quem não se lembra de pelo menos um pouco desta música...

segunda-feira, julho 12, 2010

Eh pá, ainda há momentos bonitos!! Grande Iker...

quarta-feira, julho 07, 2010

Descobri que é possivel agendar a postagem dos posts! Assim, seria possivel eu deixar posts agendados durante um ano e ter desaparecido. Este post pode ter sido agendado e eu ter desaparecido. Um dia destes escrevo sobre isto! Agora vou desaparecer uns dias. Arejar a cabeça... Até ao meu regresso, "Send me a guiding light that shines, Across this darkened life of mine"...

terça-feira, julho 06, 2010

Ninguém é perfeito! Todos cometemos erros. Ao longo destes anos em que escrevi fui mostrando muitos dos meus defeitos. Um deles sempre admiti foi sentir-me sem espaço. Tive um percurso de vida (a conjugar ao feitio)que me fez tornar muito independente. E aos 28 anos não é fácil mudar hábitos de uma vida! Até ao dia... Pode demorar a assimilar a presença de outra pessoa! Pode até chegar-se a um momento de quase ruptura. Mas é nesse momento que se dá a epifania! Aggainst all odds... Que belo sonho, não era?



How can I just let you walk away, just let you leave without a trace
When I stand here taking every breath with you, ooh
You're the only one who really knew me at all

How can you just walk away from me,
when all I can do is watch you leave
Cos we've shared the laughter and the pain and even shared the tears
You're the only one who really knew me at all

So take a look at me now, cos there's just an empty space
And there's nothing left here to remind me,
just the memory of your face
Just take a look at me now, well there's just an empty space
And you coming back to me is against the odds and that's what I've got to face.

I wish I could just make you turn around,
turn around and see me cry
There's so much I need to say to you,
so many reasons why
You're the only one who really knew me at all

So take a look at me now, well there's just an empty space
And there's nothing left here to remind me, just the memory of your face
Just take a look at me now, cos there's just an empty space

But to wait for you, is all I can do and that's what I've got to face
Just take a look at me now, cos I'll still be standing here
And you coming back to me is against all odds
It's a chance I've got to take.

Just take a look at me now.

segunda-feira, julho 05, 2010

Gostar de alguém é também cuidar de alguém, certo? É criar uma bolha actimel onde nada de mau entre...

sexta-feira, julho 02, 2010

Associação de palavras: Pequenita, Nita, Nica, Nikita...

quinta-feira, julho 01, 2010

Por vezes, descobre-se a Pasion tarde demais! Mas descobre-se sempre... Uma música brutal de Rodrigo Leão e Lula Pena (que estará em Guimarães no sábado)...

quarta-feira, junho 30, 2010

terça-feira, junho 29, 2010

Depois explico...

sábado, junho 26, 2010

Quem me conhece sabe que gosto de pessoas calmas e que transpareçam tranquilidade. Mesmo no Desporto, é assim! Alguém que se olha e mostra que nada o afecta. Porém, há aqueles raros momentos em que é preciso mostrar algo mais. Os italianos chamam grinta, os espanhóis ganas, nós garra. Carlos Queiroz é conhecido pela sua calma, mas ontem mostrou que está no Campeonato do Mundo para ganhar...



PS- A todos aqueles que simpaticamente quiseram saber a nota do exame de Psicologia que fiz na semana passada, foi 15,5 valores!

quarta-feira, junho 23, 2010

Recorrentemente falo ou escrevo sobre a capacidade de estar sozinho. Sendo um problema do ser humano, faz-me mais confusão ver isso nas mulheres. Ver uma amiga a contentar-se com alguém só porque tem medo ou não gosta de ficar sozinha, vai para além da minha compreensão. Nos últimos tempos, duas amigas que me diziam gostar de uma pessoa, só porque não conseguiram ficar com ela, rapidamente descobriram um substituto com quem ficar. E eu pergunto: "E a paixão, o amor?". "Ah, eu não queria estar sozinha." ou "Ele não me trata mal!". Há uma coisa que não compreendo. Só se deve estar numa relação para estar bem. Não estou a dizer que não existam discussões. É normal! Mas que haja a estabilidade de um sentimento. Se não estou bem na relação, não estou. Fico sozinho. É óbvio que as melhores experiências da vida são normalmente vividas a dois, mas com alguém que escolhamos. Alguém por quem abdicamos de todas as outras pessoas. Se namoro, estou a abdicar de todas as outras relações que poderia ter. E isso só se faz com alguém que acreditamos ser o certo. Como disse ontem, não é preciso ser perfeito, mas ser certo.
Nenhum ser humano quer ficar sozinho, mas deve sentir-se bem na relação. Nunca mais ou menos! Há pessoas que sentem mais ou menos paixão, que o saibam demonstrar melhor ou pior, mas que estejam bem na relação. Eu não sei estar mal. Se estou, estou bem. E feliz...

terça-feira, junho 22, 2010

Numa foto a preto e branco tudo parece mais perfeito! Há uma sensação de irrealidade fabulosa que no final não é mais que um pedaço de ilusão. Até nos momentos que vemos em fotos alvinegras, existia cor. E nada melhor que as verdadeiras cores! Algo que não precisa de ser perfeito, basta que seja o certo...

sexta-feira, junho 18, 2010

Há dias a estudar para Psicologia, vi o conceito de memória episódica!Momentos da nossa vida que ficam marcados para sempre, mesmo que os contornos se tornem difusos! Pois bem, este nada tem de difuso! Junho de 1998, Sagres, 6h da manhã, viagem de fim de ano do 11º ano, eu e outro amigo, a cantar a plenos pulmões: I'm still alive...

quarta-feira, junho 16, 2010

Depois de uns dias a estudar a sério (inclusivé levantar hoje às 6h da manhã), fiz o exame de Psicologia! Não será fácil mas "yes, we can"! Por falar nisso, e pensando no apuramento de Portugal no Mundial, um pouco de esperança...

segunda-feira, junho 14, 2010

sexta-feira, junho 11, 2010

Começa hoje o mundial africano! E isso transporta-me para África. Já afirmei que tenho um fascínio quase temeroso por África. Tenho medo de ir lá. Porque sei que me apaixonarei por tudo e ainda fico. Ser absorvido por tudo. Como por exemplo a música africana. Nem é preciso perceber o significado para sermos enlevados por um sentimento que nos leva à exaustão dos sentimentos. Uma inundação emotiva...



Hah
Hahye hahye aye hahye ...

Om maam pum imjya
Kothbiro
Ke luru do ketaa-lha
Om maam pum imjya
Kothbiro
Ke luru do ketaa-lha

Hah
Hahye hahye aye hahye

Om maam pum imjya
Kothbiro
Ke luru do ketaa-lha
Om maam na pum imjya
Kothbiro
Ke luru do ketaa-lha

Hah
Hahye hahye hahye

(INTERLUDE)

Hah
Hahye hahye hahye

Yah yebi tom nuguee
Um kuru tili bare made
Kothbiro
Kem luru do ketaa-lha

Translation:
Dear children,
the rain is coming,
bring the cows in the cattle,
bring in our wealth

quarta-feira, junho 09, 2010

Uma bela noite de sono dá imensa energia para enfrentar esta sexta-feira, perdão quarta-feira que parece sexta! :) Vamos lá, gente, Go Go Go... (A Mónica Ferraz para além de gira canta muito bem)

terça-feira, junho 08, 2010

Com esta chuva, só me lembro de músicas com chuva! Ora depois de muito matutar, decide-me por uma Purple Rain! Esta letra é tão gira que merece ser postada...



I never meant to cause you any sorrow.
I never meant to cause you any pain.
I only wanted to one time see you laughing.
I only wanted to see you laughing in the purple rain.

Purple rain, Purple rain
Purple rain, Purple rain
Purple rain, Purple rain

I only wanted to see you bathing in the purple rain.

I never wanted to be your weekend lover.
I only wanted to be some kind of friend.
Baby I could never steal you from another.
It's such a shame our friendship had to end.

Purple rain, Purple rain
Purple rain, Purple rain
Purple rain, Purple rain

I only wanted to see you underneath the purple rain.

Honey I know, I know, I know times are changing.
It's time we all reach out for something new,
That means you too.
You say you want a leader,
But you can't seem to make up your mind.
I think you better close it,
And let me guide you to the purple rain.

Purple rain, Purple rain
Purple rain, Purple rain

If you know what I'm singing about up here.
C'mon raise your hand.
Purple rain, Purple rain
I only want to see you, only want to see you.

segunda-feira, junho 07, 2010

Depois de uns dias na Nazaré com a companhia perfeita, nada como voltar ao trabalho com as baterias carregadas! As pessoas queixam-se das segundas feiras mas nem é o dia que me custa mais trabalhar. Ainda venho com o descanso do fim de semana e por isso há força. As terças são piores... Claro que há quem não concorde! E para essas pessoas aqui fica Manic Monday das Bangles...

quarta-feira, junho 02, 2010

Claramente num dia paz e amor, claramente que vou de férias uns dias, claramente que depois escreverei por onde andei... Deixo a chamada música boa onda, mais uma vez reggae brasileiro! Para todos um beijo do beija-flor...

terça-feira, junho 01, 2010

Para mim continua a ser uma das melhores cenas cinematográficas de sempre! Belíssima compilação de músicas, dois bons interpretes e uma realização competentíssima.. E Baz Lurhmann foi esquecido nos Oscars!!

domingo, maio 30, 2010

Sabem, eu ainda sou do tempo em que as campanhas da Nike não tinham nenhum jogador português! Eu ainda sou do tempo em que o Figo apenas aparecia um pouco nas campanhas da Nike! Pois bem, o novo anúncio da Nike é fabulosa e tem Cristiano Ronaldo como figura principal. O seu a seu dono...

sexta-feira, maio 28, 2010

Mourinho: adorado pelas mulheres, idolatrado pelos homens, odiado pelos inimigos! Acusam-no de ser frio. Mas o homem também chora...

quinta-feira, maio 27, 2010

Nunca o ser humano deve perder a capacidade de sonhar! E de se assombrar! E de se surpreender a si mesmo! E de voar! Não fisicamente, mas em espírito. Não ter as amarras que prendem o pensamento e usar as asas da imaginação. Somos todos blackbirds waiting to fly...

quarta-feira, maio 26, 2010

Hoje seriam 3h30 ou 4h da manhã quando adormeci! Quem me disse que acordar todos os dias 8h da manhã ia mudar o meu organismo, enganou-me bem... Sou animal nocturno! Padeço de Insomnia...

terça-feira, maio 25, 2010

Como já disse neste momento estou num projecto da feitura de dois livros sobre Portugal... Ora, nada como revisitar o clássico "O inventor" dos Heróis do Mar...

segunda-feira, maio 24, 2010

Que fim de semana de altos e baixos... Rock in Rio muito bom, jogo muito mau, noite de sábado fantástica, domingo péssimo com uma crise de fígado! Mas a semana começou a sorrir! E por isso, Jack Johnson com este "Upside Down"...

sexta-feira, maio 21, 2010

Hoje é dia de Rock in Rio! E é John Mayer que mais quero ver. Aqui ficam algumas músicas que espero ouvir, sobretudo esta primeira...





quinta-feira, maio 20, 2010

Hoje adormeci! O resto do dia parece ser passado a correr... Mas ao menos acordar foi uma Good Thing... ;)

quarta-feira, maio 19, 2010

Hoje é um belo dia!!! Cheio de Sol, cheio de alegria... Ora já aqui falei da costela brasileira! Como estou com t shirt da Jamaica, junto as duas coisas e ponho reggae brasileiro. Meninas e meninos, o que é preciso é "Liberdade pra dentro da cabeça"..

segunda-feira, maio 17, 2010

Este é um blog modesto! Perto de 500 posts. E desde Setembro 10000 visitas. Muito obrigado a todos.

Todos vocês sabem que gosto de programas de talentos e afins. Agora que se aproxima do fim, mostro-vos algumas músicas do American Idol deste ano. Logo a abrir um dueto em que um dos dois vai ser o vencedor do concurso.









sexta-feira, maio 14, 2010

Ontem foi dia de uma belíssimo jantar no indiano! A minha estreia guiado pela melhor cicerone do mundo... :D Ah, dos muitos videoclips que passavam na tv indiana, claramente que este ficou-me na cabeça...

quinta-feira, maio 13, 2010

Entretanto ontem meti-me a fazer o exame de português para maiores de 23 na Universidade do Minho para ver se entro em Psicologia. O exame correu bem mas nem foi isso que me impressionou. Foi ver cerca de 400 pessoas a tentar dessa forma entrar na Universidade. Pessoas desde os 23 anos até aos 60 e muitos! Pessoas com os pais a acompanhar, pessoas com os pais a fazer o exame também... A certa altura pensei que estava nos Ídolos e ia fazer uma audição. Mas não houve choros no fim! Agora é esperar pela nota.

Já agora, o bom tempo não tinha vindo para ficar??? Já só peço um Black Hole Sun...

terça-feira, maio 11, 2010

Continuo a achar que poucas coisas são tão boas como dormir com a pessoa que se gosta... O Peter Murphy descreveu isso na perfeição numa música que tem sempre o condão de me despertar...

I find you in the morning
After dreams of distant signs
You pour yourself over me
Like the sun through the blinds

segunda-feira, maio 10, 2010

Hoje de manhã adormeci porque ontem até às 3h da manhã havia buzinas na minha rua por causa do campeonato do Benfica. Pus-me a pensar e pensei que não comemorei assim nenhum campeonato do Porto (apenas a Liga dos Campeões). Mas depois lembrei-me de uma estatística importante. O Benfica ganhou apenas 4 campeonatos nos últimos vinte anos. Dá uma média de um por cada cinco anos. Ora, o máximo que esperei foram três anos. Consigo entender. E para não dizerem que tenho mau perder, aqui vai a Fafá com o seu Vermelho...

sábado, maio 08, 2010

Uma canção fabulosa de Gladys Knight...

And he's goin' back
To a simpler place and time.
And I'll be with him
On that midnight train to Georgia,
I'd rather live in his world
Than live without him in mine.



Midnight Train To Georgia

L.A. proved too much for the man,
So he's leavin' the life he's come to know,
He said he's goin' back to find
Ooh, what's left of his world,
The world he left behind
Not so long ago.
He's leaving,
On that midnight train to Georgia,
And he's goin' back
To a simpler place and time.
And I'll be with him
On that midnight train to Georgia,
I'd rather live in his world
Than live without him in mine.
He kept dreamin'
That someday he'd be a star.
But he sure found out the hard way
That dreams don't always come true.
So he pawned all his hopes
and he even sold his old car
Bought a one way ticket
To the life he once knew,
Oh yes he did,
He said he would
Be leavin
On that midnight train to Georgia,
And he's goin' back
To a simpler place and time.
And I'll be with him
On that midnight train to Georgia,
I'd rather live in his world
Than live without him in mine.
Go, gonna board, gonna board,
Gonna board the midnight train.
Gotta go, gonna board
Gonna board
Gonna board the midnight train

sexta-feira, maio 07, 2010

Hoje no meu trabalho tenho de estudar sobre a paz! Imediatamente me lembrei desta música, intitulado "War". Porquê? Porque diz "War! What it is good for? Absolutely nothing"...

quarta-feira, maio 05, 2010

Há certas músicas que podem não ter tido grande sucesso mas que ficam na minha memória e me vão assolando de vez em quando! E esta é sem dúvida uma delas. Os seus versos aparecem-me na boca, porque de facto é preciso ser um louco para nos mantermos sãos! Esta é para se ouvir bem alto...

terça-feira, maio 04, 2010

Porque o regresso de uma bela menina é sempre de saudar, saúdo o regresso à blogosfera com uma bela música portuguesa cantada pela mundana Teresa Salgueiro...

segunda-feira, maio 03, 2010

Sábado foi dia de saida até tarde! Resultado, ontem foi o dia todo a dormir. Estou a ficar velho! Não tenho medo de envelhecer, mas é chato um gajo já não aguentar noitadas. "Let us die young or let us live forever.." como dizem os Alphaville...

sexta-feira, abril 30, 2010

Um aviso importante! Por estas e por outras é que nunca aderi a esta moda...

Porque é que entrou na moda os rapazes usarem as calças por baixo do rabo?
É de facto algo fora do normal e de facto algo de muito mau gosto!
Andar com os boxers à mostra!

A VERDADEIRA HISTÓRIA
Esta tendência nasceu nas prisões dos Estados Unidos.
Os reclusos que estavam receptivos a relações sexuais com outros homens
tiveram que inventar um sinal que passasse despercebido
aos guardas prisionais para não sofrerem consequências...
Por isso, quem usasse calças descaídas por baixo do rabo estava somente
a mostrar que estava disposto a ter sexo anal com outros homens...
Meus amigos, hoje é tanto o soninho que só quero chegar ao meu aconchego!!! Confesso que adoro as músicas das velhas novelas brasileiras tipo Tieta e Pedra Sobre Pedra.. E claro Roque Santeiro...

quinta-feira, abril 29, 2010

Hoje a música do dia é oportunidade para várias coisas! Rever o Rui Unas ao mais alto nível humoristico, rever a bela e talentosa Diana Piedade e rir imenso com esta "Margem Sul State of Mind"!

quarta-feira, abril 28, 2010

Nas minhas relações raramente dei com uma mulher satisfeita! Há uma condição de insatisfação feminina que dá a volta a cabeça a qualquer homem. Tudo pode estar quase perfeito, que tem de estar perfeito! Como se se procurasse um ideal que sabemos nunca atingir. Um homem adapta-se a uma situação, a mulher procura melhorá-la. São os dois precisos! Mas é claro que o homem ganha cabelos brancos mais rapidamente. É um irreal social, como diriam os Ban...

terça-feira, abril 27, 2010

Esta é uma música da adolescência! Um daqueles gritos de rebeldia que ficou na nossa memória. Ainda hoje dou por mim a cantar o refrão naqueles momentos em que dá vontade de partir nesse instante. Sem rumo, sem demora. Até porque, amanhã é sempre longe demais...

segunda-feira, abril 26, 2010

Ontem eu e a minha equipa de volei tivemos hipótese de ser campeões nacionais da 2ª divisão! Perdemos por dois pontos, depois de termos estado quase derrotados e de termos tido hipótese de ganhar. Foi o chamado "Wicked Game". Não é bem o mesmo mas fica aqui uma das minhas músicas favoritas...

sexta-feira, abril 23, 2010

Nunca fui muito bom a cumprir hábitos, mas vou tentar um! Acompanhar os textos com algumas das músicas da minha vida! E começo por Shirley Bassey e o "This is my life"...



Uma evidência: somos todos diferentes! A minha vida não poderia ser vivida por mais ninguém da forma que eu a vivo. Cada vez mais, o indivíduo pensa a sua vida de forma singular! Mas depois nasce a necessidade da partilha, da comunhão, da vida a dois. E é aqui que actualmente se situa uma das grandes lutas do ser humano. Viver a um ou a dois? Abdicar disto ou ser intransigente com aquilo? ou como nos primeiros versos:

Funny how a lonely day, can make a person say:
What good is my life?
Funny how a breaking heart, can make me start to say:
What good is my life?

Para mim é o equilibrio! Não vou fazer a apologia do egoismo, mas defendo que só a verdadeira felicidade pessoal pode transbordar para o copo da felicidade conjunta. Sorrir, amar e viver! Sem medos e sem concessões.

This is my life
Today, tomorrow, love will come and find me
But that's the way that I was born to be
This is me
This is me
This is my life

Ah, e acima de tudo sem arrependimentos porque só se vive uma vez e a vida foi inventada para rascunhos antes de obras primas. "Let me live"...

And I don't give a damn for lost emotions
I've such a lot of love I've got to give
Let me live
Let me live

terça-feira, abril 13, 2010

Não fazia a mínima ideia de que hoje é o Dia Mundial do Beijo! Ao mesmo tempo que sabia ia lendo o texto de uma amiga! Decidi rouba-lo indecentemente porque até concordo com algumas coisas...

"Dia Mundial do Beijo

Não sou a maior fã de beijos. Gosto de beijinhos queridos e carinhosos na bochecha, gosto de beijos no pescoço, gosto deles na barriga, daqueles que fogem de lado para a cintura. Claro que me sinto bem se a pessoa de quem gosto me beija nos lábios. Mas não é a coisa que mais gosto. Não sou capaz de ficar uma hora a beijar alguém. Mesmo que seja a pessoa certa. Não acredito em beijar bem, beijar mal, ou saber beijar. As coisas sentem-se, não se aprendem. Gosto de colo. Gosto de festinhas nas pontas do cabelo. Na cabeça não, que faz barulho. Gosto das coisas únicas e especiais. E por isso não gosto de viver numa cultura em que se cumprimentam as pessoas com beijos na cara. Não gosto da banalização do beijo nem de manifestações públicas de afecto. Gosto de o beijar para o calar. Geralmente é quando não tenho argumentos e até já sei que nem tenho razão. Gosto do beijo como arma. Gosto dos beijos com uma razão. Os privados. Os escondidos dos olhares alheios. Aqueles que só a nós dizem respeito. Não gosto de beijos roubados. E nunca, nunca, irei gostar de um beijo só porque sim."

Belota

domingo, abril 11, 2010

Certas coisas mostram a subtil mas enorme diferença entre homens e mulheres! E uma delas é facilmente observável em certas situações. Imaginem um casal numa mesma casa! Ao homem basta a simples presença da mulher ao lado dele para se sentir bem. Nem precisa de estar fisicamente perto. Basta a mera ideia da proximidade! Já uma mulher entende muitas vezes isso como desinteresse. Se não houver uma palavra ou um toque, uma mulher sente muito a distância em relação ao homem. Daí que quando surgem as frases “Nós já não falamos” ou “Tu já não me tocas”, o homem não entende. Porque o facto de estar ali perto basta-lhe. Já o deixa confortado! Ao contrário, quando chega a casa e não vê a mulher, imediatamente se preocupa e pergunta “Onde estás?” ou “Que estás a fazer?”. Não tanto pela desconfiança mas pelo desconforto que lhe dá a mulher não estar ao alcance, nem tanto numa relação de submissão mas muito mais de protecção. É instintivo o reflexo masculino de proteger a sua “fêmea” numa situação de perigo. Meninas, um homem por estar calado ou quieto não significa que esteja desinteressado ou não goste de vocês! Em vez de perguntar se já não gosta de vocês (e que provoca uma reacção de defesa, porque um homem sente-se atingido na sua capacidade protectora), procurem aninhar-se ou enroscar-se (apelando ao instinto protector) no vosso homem e verão como a ternura e carinho surgem imediatamente…

quinta-feira, abril 08, 2010

Tendo recomeçado a trabalhar num ofício que me ocupa o tempo todo o dia (e enquanto não tenho net no trabalho), não tenho tido tempo para vir aqui opinar. Mas tenho pensado! E hoje pensei sobre os tectos das relações. Explico-me! Parece ser algo humano a ideia de haver limites estéticos na procura de parceiro amoroso. A expressão “areia demais para a minha camioneta” parece inundar o discurso da procura de afectos. Acharmos que por termos determinadas características físicas nos permite ou impede de obtermos o afecto de outra pessoa é absolutamente estranho e até patético. Dizerem-me que um homem bonito se irá apaixonar por uma mulher bonita é idiota. Primeiramente porque os padrões estéticos variam individualmente, o célebre “quem feio ama, bonito lhe parece”. E depois porque a beleza é apenas um item de vários que nos levam a apaixonar por alguém. Todos falamos da beleza interior, que mais não é do conjunto de características não visíveis. Não raras vezes as mulheres afirmam que o humor e confiança são duas características fundamentais quando procuram um homem. É óbvio que preferem um homem que lhes chame a atenção do olhar, mas muitas vezes a atracção é uma questão mais química (as feromonas) do que visual. Há a ideia que os homens olham mais para essas questões (se a mulher é bonita ou tem um corpo atractivo) mas é uma falácia. Ligamos tanto ao corpo como as mulheres e somos atraídos por muito mais coisas que o físico.
Assim, quando me dizem algo como “Ah, ele é demasiado giro! Deve ter muitas miúdas atrás dele!”, não deixo de rir e dizer que isso é um disparate. Durante anos fui o rapaz que nenhuma miúda se interessava, mas a partir de certa altura não tive esse mesmo problema. E não foi tanto por uma questão de mudança física mas sim de auto confiança e auto estima. E essa sim é uma característica fundamental. O ser humano (homem e mulher) é atraído por alguém que tenha confiança em si mesmo e que nos transmita confiança. Talvez por isso, e já aqui falei, a questão do ciúme me faça confusão. Sei que é normal certas inseguranças no ser humano, mas no momento em que compreendemos que não podemos mandar no afecto de alguém, acabamos por adquirir uma tranquilidade diferente. Devemos dar o melhor de nós para que a outra pessoa se sinta bem (e por isso tenha afecto) por nós! Se por uma razão externa perdemos esse afecto, não deveremos desesperar. São factos da vida! Nada disso deverá mudar a nossa auto-estima! E digo-vos já que poucas coisas são mais sexy do que ouvir: “É o meu homem!”.

quarta-feira, março 31, 2010

Da incerta certeza do amor...

Amar é estar certamente incerto. É pôr o coração nas mãos de outrém. É confiar que somos amados, desconfiando que amamos. Nunca nos conhecemos completamente. por isso não conheceremos provavelmente o objecto do nosso amor. São as regras do jogo. Quando há desiquilibrio ou falta de amor por parte do outro, sentimo-nos traídos, enganados, defraudados, espoliados. Quando tudo corre bem, sentimo-nos completos...
Por tudo isto o início de uma relação é um caminho estreito e curvilíneo que se vai alargando e culmina num amplo campo florido. Mostrar como somos e como não somos, descobrir as qualidades e defeitos da outra pessoa, adaptar dois percursos de vida que num certo momento se entrecruzam. Esse é o sal das nossas vidas, seja das lágrimas seja de tudo o resto...

terça-feira, março 23, 2010

Ora bem, a Rádio Renascença está a fazer castings para uma nova voz! Este vosso escriba meteu-se nessa aventura. As ondas da rádio são um sonho antigo (muito mais que a própria televisão)! Quem sabe não é desta oportunidade...

quarta-feira, março 17, 2010

Há pessoas "bigger than life"! José Carlos Ary dos Santos era uma delas. Um poeta de mão cheia, um português de coragem, um homem de excessos. Dele são as letras de algumas das músicas mais bonitas do século XX. O projecto Rua da Saudade traz 4 belas mulheres a cantar as suas canções! Maravilhoso...







sábado, março 13, 2010

Uma questão para os que nasceram no fim dos anos 70, inicio dos anos 80! Lembram-se disto?

sexta-feira, março 12, 2010

Ora bem, estive com gripe a semana toda mas já estou recuperado! Ontem ao ver esta magnifíca interpretação de um concorrente do American Idol...



... dei por mim a pensar o momento mágico que deve ser ser pai! Esta canção fala do exacto momento em que a mãe está a dar a luz (ela que já é mãe há nove meses), e o homem passa de homem a Pai! É um "Woman's Work" mas que o homem deve fazer tudo para ajudar, apoiar e amar. É uma música de Kate Bush mas eu prefiro a versão de Maxwell...

sexta-feira, março 05, 2010

Eu Thomas, Tu Catherine (parte 2)...

Quero-te num vestido Armani! Quero-te poderosa, dominadora. Sou quem não te resiste. Sou quem te prefere à Esther Cañadas. Temos todos os dias para jogar este jogo eterno. Sem limites.
Everything is never quite enough, mas é na busca de tudo que somos felizes...

quarta-feira, março 03, 2010

Eu Thomas Crown, Tu Catherine Banning... (parte 1)

Contigo sinto-me Thomas Crown! És a Catherine Banning que quero seduzir todos os dias. Adoro ter aquele sorriso malandro de quem joga o melhor jogo que existe. Um que não tem vencidos nem vencedores. Em que ninguém perde e os dois ganham. Em que a recompensa é a entrega mútua. O jogo da sedução. O jogo do amor.
Sou um Sinnerman, sê-lo-ei sempre, mas só contigo...

segunda-feira, março 01, 2010

Na minha vida só tinha pedido autógrafo ao meu Mestre Luis Sepulveda! Não conto com os da Diana Mendonça ou do Jorge Reis Sá porque são amigos. Na sexta feira pedi o meu segundo. Ao meu caríssimo homónimo Francisco José Viegas. Muitas vezes trocamos comentários, mails mas finalmente encontramo-nos ao vivo. Falamos um pouco de várias coisas e foram dois ou três minutos fantásticos. Eu não tenho ídolos, tenho referências. E no mundo das letras já pude falar com duas delas. O Correntes d'Escritas na Póvoa ajudam a isto mesmo. Por isso mesmo no próximo ano lá estarei...

quarta-feira, fevereiro 24, 2010

Eu podia dizer tanta coisa má sobre esta criatura, mas não vou dizer! Deixo só o que ela diz...



(Mas eu odeio gente estúpida!!!)

terça-feira, fevereiro 23, 2010

Esta música tem um flow incrível... Impossivel não querer ir a Nova York....

quarta-feira, fevereiro 17, 2010

O objectivo era uma mistura de Edward Cullen, Bill Compton e Lestat! Deu isto...

segunda-feira, fevereiro 15, 2010

Hoje a maior festa na minha cidade! Carnaval! Onde toda a loucura aparece... :D

quarta-feira, fevereiro 10, 2010

Um formador de nome Vitor da formação de informática numa escola qualquer. Vê-se que é uma pessoa que se interessa pelos seus formandos e até sofre porque um deles goza com ele e diz "Já houve formadores melhores". Na sua turma, existe Sandra. Vitor e Sandra tem uma relação que os outros formandos não conhecem. Sandra é cega e tem problemas com isso. Vitor é alguém que gosta de Sandra mas não sabe bem como viver a relação.
Vitor fala ao telemóvel com Sandra, sentado à minha frente no comboio. É uma pessoa sensível que a voz por vezes embarga e os olhos ficam aguados. Tento ler o meu livro, mas esta história real entra-me pelos ouvidos, pela cabeça, pela imaginação. Dou por mim a imaginar Sandra do outro lado, enquanto ouço Vitor a ser namorado, confidente, psicólogo, ouvinte. "Quero fazer-te ver que a vida não é a preto!", diz Vitor. Sandra queixa-se na mesma. Talvez sinta que é um fardo, talvez não queira ser um fardo para Vitor. Não percebe que talvez Vitor queira esse fardo. Certos homens não se importam de carregar uma mulher ao colo. Talvez esta minha ideia que as mulheres são mais sensíveis e os homens mais sentimentais. Ou que as mulheres procuram as imperfeições dos homens e os homens as perfeições das mulheres.

Vitor sai na mesma estação que eu. Não resisto a olhar para trás uma última vez. Vitor ainda fala com Sandra ao telemóvel. Olho-o e sorrio. Não deve ter mais de 1,60m mas tem um coração muito maior que a sua altura.

Dou valor aos escritores que conseguem criar outras realidades, mas são as estórias da nossa realidade que mais me emocionam. Esta caiu-me no colo e apesar de Vitor e Sandra nunca irem ler isto, deixo aqui a minha homenagem.

quinta-feira, fevereiro 04, 2010

Sabem que dia é hoje? É dia de...



Fantástico.............

sexta-feira, janeiro 29, 2010

Uma das melhores campanhas que tenho visto nos últimos tempos! E que bem preciso era em Portugal adoptar-se isto...

quarta-feira, janeiro 27, 2010

Mandaram-me esta piada por mail e não resisti a divulga-la:

Citação Feminina do dia:

Os homens são como os pavimentos: Se os montarmos bem... podemos pisá-los durante 30 anos!!!

sexta-feira, janeiro 22, 2010

Um texto de Luis Fernando Veríssimo sobre a barba...

Um homem fazendo a barba na frente do espelho está num momento crucial da sua existência. É um momento que se repete todas as manhãs, tão banal que ele mesmo não se dá conta do seu significado maior. Mas todas as manhãs o homem se depara com uma escolha que pode mudar a sua vida. Deixo ou não deixo crescer a barba?
A barba quer existir. Todos os dias ela tenta. Todos os dias aparecem as pontas dos fios que, se o homem deixar, crescerão, ocuparão o seu rosto e mudarão o seu visual e possivelmente a sua personalidade e o seu destino. E tudo depende da crucial escolha de todas as manhãs: rapar ou não rapar? Escanhoar-se ou não escanhoar-se? Ser ou não ser um homem com barba? E com que tipo de barba?
A escolha do homem pode ser apenas experimentar. Ele pensa: Não faço a barba por alguns dias, vejo como ela cresce e como é que fica, depois decido que tipo de barba eu quero. Posso deixá-la crescer desimpedida, sem retoques, ou posso guiá-la, aparando aqui, desbastando ali, como um artista redesenhando o próprio rosto. É óbvio que Deus e a Natureza querem que eu tenha uma barba, senão ela não insistiria tanto em crescer, mas a decisão de como ela vai ser - que tamanho (Robinson Crusoé ou Lula?), que estilo (renascentista, intelectual desleixado, etc.) - depende unicamente de mim. A genética, a biologia, o meio ambiente e o saldo bancário determinam o que eu sou, mas da decoração do meu rosto cuido eu.
É comum você encontrar barbas tão estranhas que deixam a dúvida: como será que o seu portador se imagina para ter uma barba assim? Que possível autoimagem ou critério estético tem um homem cuja barba se resume num tufo abaixo do lábio inferior? Ou num bigode fino que desce pelos lados da boca em tiras que se reencontram na ponta do queixo? Você pode aceitar uma barba tipo Dom Pedro II como apenas uma homenagem patriótica, mas aquele seu pacato amigo que um dia aparece com o bigode do chanceler Von Bismarck certamente decidiu mostrar ao mundo que não é nada do que parecia ser, escanhoado. Ou era mas não é mais.
Alguns bigodes hoje são inconcebíveis. Depois de Hitler, ninguém mais quis ter o bigode do Carlitos. E se você decidiu ter o bigode do Nietzsche para dar uma ideia de vigor físico e mental, saiba que o projecto levará muitos anos. Quando o bigode finalmente atingir a dimensão desejada para impressionar, estará totalmente branco, e a única impressão que você dará será a de um bom velhinho, em vez de um leão da filosofia. Um bigode como o do Nietzsche precisa ser começado na infância.
Você está na frente do espelho. Uma manhã como qualquer outra. Aparelho de barbear ou barbeador eléctrico na mão. E de repente você decide: Vou mudar de cara. Está implícito na sua decisão que você quer ser outro, com outra vida, mas por enquanto só o que você pensa é: Já que a barba insiste tanto em crescer, que cresça. Que apareça. Dou permissão. Depois escolherei a cara que quero ter. Mas no seu subconsciente você já está escolhendo. Um cavanhaque. Sim, um cavanhaque. Talvez um bigode com as pontas reviradas. Ou então... Sim, Mefistófeles. É isso. Uma barba indisfarçavelmente demoníaca. Vamos ver que vida vem junto.
- Querido, você não fez a barba hoje?
- Não. Decidi dar uma folga.
- Fica um aspecto tão sujo...
Você sorri. Ela não sabe o que a espera.

quarta-feira, janeiro 20, 2010

Que grande frase!

"É erro vulgar confundir o desejo com o querer. O desejo mede os obstáculos; a vontade vence-os." (Alexandre Herculano)

domingo, janeiro 17, 2010

(continuação)

Depois de uns momentos, desceram as escadas e mais uma vez sentiram os olhares, desta vez com alguma curiosidade extra pelo tempo demorado no primeiro andar. Chegaram à mesa e as bebidas esperavam por eles. Ele foi respondendo às perguntas dela sobre aquele universo. Ele lá foi explicando o que sabia. Ao ver a porta abrir-se e ver o casal que chegava, ele sorriu e disse que tinham chegado os melhores professores que podiam ter. Era o casal que o tinha levado lá a primeira vez. Logo os descobriram e foram ter com eles à mesa. Rápidas apresentações e a sonora cumplicidade masculina. Eram os dois homens que se conheciam há mais tempo. Ele olhou rapidamente para ela e viu-a a analisar o casal. Os olhos dela tinham rapidamente analisado o homem, mas foi a mulher que lhe chamou logo a atenção. Ele já lhe tinha dito que ela não era um mulherão espampanante, mas que ela ia ficar fixada nela. E tinha razão. Mais baixa que ela mas era incrível como aquele corpo exalava qualquer coisa. Ela não o conseguia definir, mas era óptimo. Uma sexualidade atrevida e libidinosa que a fez estremecer de prazer. E ela ainda só tinha perguntado se ela estava a gostar. Como estava fixada com a boca dela, teve de pedir para repetir. Sim, estava a gostar. Quer dizer, não sabia, estava a achar piada. Ahah! Risos das duas. Entretido à conversa com o amigo, ele gostou do riso partilhado pelo canto do olho. Enquanto o amigo foi buscar bebidas, ele aproximou-se delas. Perguntou de que falavam. Do ambiente, responderam. E riram. Então desta vez decidiste trazer companhia, perguntou a amiga. Sabes que isto foi bom sozinho, mas com ela só melhora. Com ela e connosco então nem se fala, provocou a amiga olhando para ela. Ele teve medo que a provocação tivesse sido demasiado directa e olhou para ela. Ela não parecia intimidada. Finalmente sorriu e disse que tinha curiosidade de muita coisa. O primeiro gelo pareceu quebrado. Seguiram-se belas conversas dos quatro, sempre com o olhar de inveja dos outros clientes que foram chegando. A certa altura uma música mais animada e quando os dois homens dão por eles tem as respectivas mulheres a dançar nas suas costas. Ela encostou-se às costas dele e a amiga às costas do amigo. Os dois riram-se. Sabiam que tinha começado algo. Os dois homens viraram-se e começaram a dançar com elas. Obviamente as mãos e as bocas não ficaram quietas muito tempo. Ele parou e disse que pensava que ela não gostava de beijos em público. Pois, mas este sítio não é normal, respondeu. Aqui dentro não parece haver limites, acrescentou ela. Ahah, eu avisei, disse ele. A dança sensual continuou entre os dois pares. Quis uma volta da música que os dois homens ficassem por trás delas e elas frente a frente bem perto. A música, a sensualidade, o ambiente fê-las aproximarem-se até à distância de um beijo. E beijaram-se. Primeiro timidamente mas depois com a libido ao rubro. A primeira reacção dele foi de surpresa. Não esperava que ela se deixasse levar. Olhou então o amigo, ele sorriu e piscou-lhe o olho. Já tinha visto a sua parceira seduzir outras mulheres. Olhou novamente para ela e viu que estava a apreciar aquele beijo diferente, feminino. Encostou então mais o sei corpo ao dela. Ela sentiu-o bem encostado e as mãos dele a percorrer o seu corpo. Um calor saia dos corpos de ambos. A dança foi-se tornando sexo. As duas mulheres continuaram a beijar-se. Os homens estavam cada vez mais excitados. Beijos no pescoço. Mãos nos seios. As mãos delas são ainda mais atrevidas que as deles e sabem onde tocar para excitar a outra mulher. De repente os olhos dos quatro cruzam-se mas de forma trocada. Assim, o olhar dele encontrou-se com o olhar lascivo da sua amiga, o olhar lascivo do amigo encontrou o dela. Ficaram assim durante um minuto. Em contacto com um corpo mas com um outro olhar. A cena era demasiado excitante. Ele olhou de lado a sala e toda a gente estava vidrada naquele espectáculo delicioso. Ela inclinou a cabeça para trás para lhe falar ao ouvido. Pensou que os limites dela estivessem a ser ultrapassados. Mas não. Ela disse-lhe apenas, vou trocar com ela. A princípio ele não percebeu, mas logo a viu trocar de posição com a amiga. Agora era o corpo da amiga encostada ao dele e o dela encostada ao amigo. Apesar de tremendamente excitado, ele não tinha entendido o porquê da troca. E só depois percebeu! Sendo quase possuída por trás e vendo-o possuir outra por trás, ela olhou-o nos olhos com todo o atrevimento. E ele mergulhou naqueles belíssimos olhos e sentiu um prazer sem palavras. Ali estava ela, provocando-o, sabendo que a ligação deles ia para além dos corpos. Dos deles ou dos corpos dos amigos. A ligação deles estava naquele olhar que os unia sem restrições. Depois de uns minutos assim, viu-a novamente inclinar a cabeça para trás e segredar algo ao ouvido do amigo. Viu-o rir e a acenar com a cabeça! Que fazia ela agora, pensou ele. Então ela segredou algo ao ouvida da amiga e também ela riu. Ficou confuso. A amiga voltou-se e deu-lhe um beijo na boca. Segredou-lhe, hoje quem te leva para a cama é ela! Então percebeu tudo. Muitas coisas novas naquela noite mas ela não ia abdicar dele. Não naquela primeira noite. Os sentidos dela estavam ao rubro e era com ele que ela queria explodir de prazer. Ele sorriu-lhe e puxou-a para si. Anda cá, capuchinho, disse ele. Quero o meu lobo mau, respondeu ela…

(fim)

sexta-feira, janeiro 15, 2010

O seguinte conto é ficcionado. Apenas a resposta a uma provocação.

“É ele quem toca à campainha. Já ali tinha estado com um casal amigo. Mas agora ele não está sozinho. Ela veio com ele. Ouviu-o contar o quanto tinha ficado excitado por ali estar. A porta abre-se. Sobem as escadas com ela à frente. À porta a dona do bar, com um sorriso de quem vê chegar um casal novo, giro. Ele relembra a dona quando ali tinha estado e com quem. O sorriso abre-se ainda mais. Sim, tinha havido flirt entre os dois, mas o sorriso dela é causado por agora ele vir acompanhado. E muito bem acompanhado. Os olhos dela fixam a dona. Ela não gosta de loiras mas há uma sexualidade emanada que a deixa confusa. Agora ela entende porque ele disse que aquele sítio libertava a libido. Sim, há erotismo, há swing, mas acima de tudo há o despertar dos sentidos. Enquanto se deslocam para uma mesa e ele vai buscar duas bebidas, ela estuda o local. Um balcão, uma pequena pista com um varão a meio, algumas mesas à volta. A televisão mostra pornografia mas ela prefere continuar a descobrir. Pouca gente, apenas dois ou três casais. Nenhum elemento dos casais lhe chama a atenção. Noutro sítio talvez não analisasse tanto as pessoas, mas aqui é diferente. Aqui observa-se e é-se observado. Ela sentiu logo isso à entrada. Sabe que um casal como eles chama a atenção. Provocam curiosidade. E desejo. Ela sente esse poder. Uns degraus e duas mesas numa zona mais resguardada. E outro espaço. Ela está curiosa. Ele aguçou-lhe o apetite. Mas ele chega com as bebidas, ela pergunta o que é a outra divisão. Ele ri-se. Conhece-a. Sabe que a curiosidade dela não tem limites. Ele diz anda comigo e agarra-lhe na mão. Atravessam a pista e sentem os olhares a acompanha-los. Passam as mesas recatadas e chegam a uma entrada. Umas escadas sem varão indicam um andar superior. Ele sobe os degraus devagar, sabendo que a curiosidade está a mil. Ela desconfia do que possa ser, mas o desejo faz o coração estar acelerado. Aquele lugar apela a sexo. No fim das escadas, um hall com duas divisões. Ele mostra um primeiro quarto com uma cama enorme. Ela passa por ele e entra no quarto. Imagina quantos corpos nus ali estiveram. Quanto sexo, paixão, desejo, tesão, loucura, luxúria por ali passou. Sente um turbilhão de sentimentos e sensações. Está confusa. Muita coisa lhe causa estranheza. A traição consentida, o ciúme contido, a infidelidade inexistente. E depois encontra a cara dele. Ela conhece o sorriso dele. Nem tanto o da boca, mas o dos olhos. Aquele olhar travesso e malandro que a faz vibrar desde o primeiro dia. Sabe-o capaz das maiores loucuras mas sabe que não há pessoa mais leal. Sem segredos, disse ele desde o princípio. Preferiram chocar-se um ao outro com confidências e desejos, sabendo que o outro aceitaria, do que esconder fosse o que fosse. E por isso estavam ali. Ela não resistiu a sorrir. Sabia que ele a convencia a tudo, mas não tinha medo. Confiava nele. Ele pegou na mão dela e deixou-a entrar sozinha no outro quarto. Ela disse que não se via nada. Ele riu. Ela não percebeu. Ele disse devagar duas palavras: quarto escuro. Imediatamente a memória dela regressou à infância. Às brincadeiras inocentes de crianças que descobrem a sexualidade pela primeira vez. Ela sentiu-se a criança naquele quarto escuro para adultos onde o tacto substituía a luz. Imaginou como poderia ser estar com alguém que não se via, um desconhecido. Mais uma vez procurou o rosto dele e logo descansou nos seus olhos. Ela tinha ainda muito que aprender e conhecer. Mas com ele não sentia medo. Não com ele. Chegou perto dele e deu-lhe um beijo. Ainda não estou preparada para o quarto escuro, confessou. Ele riu com a sinceridade dela e disse-lhe para não se preocupar. Nunca faremos nada que não desejas, assegurou-lhe. O lobo mau e o príncipe. Juntos naquele homem, revelados naquele momento. O homem que a leva a quebrar as suas barreiras, mas sempre segurando-a para não cair. Ele abraçou-a. Sabia que estava a ser muita coisa ao mesmo tempo. Não a queria pressionar. Estavam ali para viver algo em conjunto.

(continua...)