segunda-feira, dezembro 28, 2009

Gosto de seguir a cerimónia dos Oscars! Na edição de 2008 não reconheci o vencedor de uma das categorias que costumo seguir com interesse: Melhor Canção!(podem ver a entrega do Oscar aqui) A canção "Falling Slowly" de um tal Glen Hansard e de uma Marketa Irglova, era de um pequeno filme chamado "Once". A verdade é que aquilo passou-me e não pesquisei mais nada. Pois bem, hoje e sem saber tratar-se do mesmo filme (até porque é de 2006), comecei a vê-lo. E adorei. Um filmes simples sobre música. E com grandes músicas. Deixo aqui o trailer e a música vencedora. Pérolas...



quinta-feira, dezembro 24, 2009

Quinta feira fiz 28 anos!! Foi um dia maravilhoso. Foi um Perfect Day...

terça-feira, dezembro 22, 2009

Na Tabu de sexta, a Raquel Carrilho entrevista Frederic Coustols. Uma personagem fantástica que acaba com esta pérola: "Não me sinto com 65 anos. Sinto que nasço com cada novo projecto. Não gosto de rotinas, preciso de recomeçar, de fazer muita coisa ao mesmo tempo. Renasci muitas vezes, mas a única coisa que realmente fiz na vida foi ter prazer. Nunca me aborreci e esse é o meu grande feito. De resto não fiz nada." Quero chegar ao fim e dizer isto!

Ora bem, a pedido de algumas pessoas, decidi continuar um pouco mais a estória.

"A festa está animada, os amigos já tinham passeado por quase toda a sala e iniciado conversa com várias mulheres. Já os conheço. Sabia que seria assim. Muitas noites, muitas saídas com o mesmo filme. Depois de vaguear pela sala, decido-me pela varanda. A noite está fria! Talvez por isso não esteja ninguém no exterior. Uma bela vista sobre o rio. Um enorme sossego. A paisagem, a música de fundo. Fecho os olhos e inspiro fundo várias vezes. Tenho uma sensação estranha dentro de mim. Ao mesmo tempo alerta e distante. Ouço passos atrás de mim mas não me viro. Pressinto-a.
- Bem, procurei por ti por todo o lado!
Sorri, ainda de costas para ela. Ao voltar-me, digo:
- Sabia que me encontravas!"

quarta-feira, dezembro 16, 2009

"A noite é de gala!Estou de fato, desconfortável. Já deveria ter-me habituado a fatos, camisas pretas, gravatas cinzas! Mas não estou. Há muito que o meu vestuário são as roupas confortáveis de um escritor zen. Bebendo um Martini Rosso pergunto-me o que faço naquela festa. Convencido por amigos, sei que não podia manter para sempre a minha reclusão eremita. O copo na mão, o corpo encostado ao balcão, olho para a entrada enquanto os convidados continuam a chegar. Os amigos há muito que desapareceram no interior do edíficio para procurar o melhor lugar da festa! Homens e mulheres aperaltados desfilam em frente aos meus olhos. De tal forma me sinto deslocado que estou completamente absorto nos meus pensamentos. Até que algo chama o meu olhar para a porta! Uns imensos olhos azuis. Como lagos da Finlândia! Cabelo escuro, liso.. Pele branca, sardas.. Um vestido preto com um ligeiro decote em V, comprido mas com um corte enviesadc! Mas que raio? Dou por mim a olhar para o vestido como se fosse o Tim Gunn. Mas logo volto para os olhos! Levanta a cabeça e os nossos olhares cruzam-se. Nenhum de nós desvia o olhar, como se fosse um desafio demasiado delicioso para terminar! Um sorriso aflora os lábios dos dois ao mesmo tempo. Aceno ligeiramente a cabeça e sou correspondido. Os sapatos pretos de tacão alto atravessam todo o hall. Viro-me para o barman e peço outro Martini. Talvez esta seja uma noite para recordar..."

Se eu fosse um bom escritor começava assim uma história...
Comunicação! Tremendamente importante numa relação! As pessoas tendem a confundir comunicar com discutir ou mostrar insatisfação. Pelo contrário, é comunicando que se evitam problemas. Confiança, cumplicidade, intimidade, tudo tem na comunicação a sua base. Ninguém se tem de entender a 100%. Aliás se não existirem discussões, nunca há sexo de reconciliação e isso é uma tragédia! Não são precisas grandes palavras ou discursos. Basta um olhar, basta um gesto, basta um sinal! Ou muitos...

quinta-feira, dezembro 10, 2009

"Better to write for yourself and have no public, than to write for the public and have no self."
Cyril Connolly

Adorei esta frase! Por muita coisa... Por acaso este blog até teve público desde o início mas outros não! E ainda assim continuei a escrever. Porque escrevi sempre para mim. Talvez seja dos actos mais egoistas que faço, mas sinceramente escrevo para mim. É verdade que é partilhado porque o blog é público mas a necessidade é a de escrever e não a de ser lido. Despejar emoções, pensamentos, sentimentos! Sempre com a mesma sinceridade. E felizmente parece que essa forma de escrever tem leitores. Mas sei também que se começasse a escrever aquilo que achava que era conveniente para os leitores, perderia a minha essência. Seria desleal para comigo!

Troquemos agora a escrita e o público pelo mundo das relações! Continuo a achar que é melhor sermos leais com a nossa essência e demorarmos a encontrar um amor, do que tentar mudar a nossa forma de ser e vivermos na mentira! Isso não resulta porque acabaremos por saturar e pior achar que fomos infelizes o tempo todo. Muitas vezes aqui afirmei que estava em altura de lobo mau! Mas eu nunca consigo matar a parte de mim que adora ser príncipe! Sim, adoro ser romântico, atencioso, escritor de cartas, dador de flores, etc. E se mesmo que o anunciem, as mulheres raramente se apaixonem por estes, que se lixe, ao menos a viagem é divertida! Não me traindo a mim mesmo, sei que no fim, sorrirei porque tive sempre o meu "self"!

quarta-feira, dezembro 09, 2009

Ainda que seja uma estória inventada, pensemos quando é que perdemos a humanidade e precisamos de lições...

"Nos dias em que um gelado custava muito menos do que hoje, um rapazinho de 10 anos entrou no café de um hotel e sentou-se numa mesa. Uma empregada de mesa trouxe-lhe um copo de água.
-Quanto custa um gelado de taça? - perguntou o rapazinho.
-Cinquenta cêntimos! - respondeu a empregada.
O rapazinho tirou do bolso uma mão cheia de moedas e contou-as.
-Bem, quanto custa um gelado simples?" perguntou ele.
A esta altura já mais pessoas estavam à espera de uma mesa e a empregada começava a ficar impaciente.
-Trinta e cinco cêntimos. - respondeu ela com brusquidão.
O rapazinho contou novamente as suas moedas.
-Vou querer o gelado simples. - respondeu ele.
A empregada trouxe o gelado, colocou a conta em cima da mesa, recebeu o
dinheiro do rapazinho e afastou-se.
O rapazinho terminou o seu gelado e foi-se embora.
Quando a empregada foi levantar a mesa começou a chorar. Em cima da mesa, colocado delicadamente ao lado da conta, estavam 3 moedas de cinco cêntimos...

Não sei se está a ver, ele não podia comer o gelado cremoso porque queria ter dinheiro suficiente para deixar uma gorjeta à empregada."

Dá que pensar, não dá?

sexta-feira, dezembro 04, 2009

Uma belíssima letra, uma belíssima melodia, uma belíssima voz, um belíssimo videoclip! Ponto de luz... Obrigado...

terça-feira, dezembro 01, 2009

Diálogo de eu comigo mesmo:

- Qual é a parte do corpo feminino que mais gostas?
- Os olhos!
- Não é do corpo, da cara!
- Ah, as mãos.
- Não sejas mentiroso! Estás a falar comigo...
- O peito!
- Ah, muito bem, os seios.
- Não, os seios são no nariz. O termo médico são mamas, mas eu prefiro dizer peito.
- Tens razão! E porquê o peito?
- Não sei! Acho que é uma imagem deliciosa ver o peito de uma mulher. Mesmo na tranquilidade do sono, o respirar do peito é uma visão sensualíssima. Um repasto para a vista! E para o toque...
- O toque?
- Sim, o toque! Confesso que quando durmo com alguém, abraço a pessoa e pouso a mão no seu peito. A minha mão descansa ali!
- Bonitas palavras!
- Não, bonito é o peito de uma mulher.
- Concordo...

terça-feira, novembro 24, 2009

Serve este artigo de Luis Fernando Verissimo para que percebamos que as mulheres de facto gostam mais do enigma do que da realidade...

O tapa-olho

A Suzi já tinha aparecido no grupo com um físico nuclear que impressionara a todos não com seu conhecimento mas com sua fome. Já tinha aparecido com um toureiro cearense, uma condição nunca bem explicada. E um dia apareceu com um homem de tapa-olho. Moreno, estatura mediana, seus trinta e alguns anos e um olho tapado por um rectângulo preto. Apresentou:
- Turma, este é o Cliomar. Cliomar, a turma.
Oba. Oi. E aí? Muito prazer. Etc. E o Cliomar sentou-se em meio a uma saraivada de perguntas, todas, claro, provocadas por aquela curiosidade, que a maioria só conhecia de filme de pirata: um tapa-olho. O que você faz? É daqui mesmo? Qual é o teu clube? Perguntas e mais perguntas. Menos a que todo o mundo gostaria de fazer mas não sabia se devia:
- E esse tapa-olho?
Depois, a Suzi contou que ele não gostava de falar no tapa-olho. Só uma vez se referira a "esta minha tragédia", apontando para o olho tapado, mas não entrara em detalhes. Outra vez dissera "tive uma vida movimentada, como você pode imaginar", e também apontara para o olho tapado, mas deixando os detalhes da sua vida movimentada para a imaginação da Suzi. Que estava apaixonada. Nunca conhecera um homem assim. Nem o ventríloquo alemão. Nem o ex-padre que não escolhia hora ou lugar para fingir que mordia seu pescoço, fazendo "nham!". Alguém perguntou:
- E você não aproveitou quando ele estava dormindo para olhar em baixo do tapa-olho?
- Tá doido! - protestou a Suzi. E completou: - E quem diz que nós estamos dormindo juntos?
Se a Suzi não estava dormindo com o cara queria dizer que o caso era sério. E a turma entendeu o entusiasmo da Suzi pelo Cliomar. Ele era mesmo atraente, com aquele seu ar misterioso, com aqueles seus silêncios cheios de implicações, com aquele seu tapa-olho. Toda a turma estava fascinada por ele. O Márcio, que trabalhava numa editora, chegou a sugerir que Cliomar escrevesse alguma coisa sobre suas experiências, sobre os lugares em que andara e as aventuras que vivera, só não dizendo "sobre esse tapa-olho" em respeito à sua discrição em tratar do assunto. Que só aumentava o seu mistério.
Cliomar apenas sorriu com a sugestão do Márcio e disse:
- Não sei se o mundo está preparado para as minhas confissões...
Que histórias ele não teria para contar!
No outro dia, a Suzi apareceu sem o Cliomar. Desanimada, fazendo beicinho, desiludida da vida. Contou:
- Aconteceu.
- O quê, Suzi.
- Dormimos juntos.
- E aí? Como é que foi?
- Foi bom. Só que...
- O quê?
- Ele tirou o tapa-olho para dormir, depois de me fazer jurar que não espiaria o que tinha em baixo.
- E aí?
- Hoje de manhã acordou, se distraiu e botou o tapa-olho no outro olho.

Texto publicado na edição do Expresso de 21 de Novembro de 2009

segunda-feira, novembro 23, 2009

Quem me conhece sabe que nunca tive paixões por mulheres famosas! As que conheci e que tive o prazer de falar, tornaram-se humanas. Deixaram o seu Olimpo e humanizaram-se. Pois bem, ontem conheci a minha paixão impossivel! Aquela pessoa, famosa no seu trabalho, que se mantém no Olimpo. A menos de dois metros dela, uma mulher belíssima, num vestido cintado cinzento maravilhoso, um ondular do corpo enleante, uma sensualidade atordoante e uma voz cativante! Falo de Ana Moura. Apesar de ela ser bastante acessivel para com os fãs, decidi manter distância. Como se este mortal pela primeira vez não se sentisse digno do reinos dos deuses. Mas virei-me para os meus pais e disse: "Casava amanhã!"... Sou um sortudo! Aos 27 anos já conheci a metade da minha laranja e a paixão impossível. Mas com nenhuma "Aconteceu"...



Esta versão do No expectations dos Rolling Stones roubou-me uma lágrima...

quinta-feira, novembro 19, 2009

Tudo na vida são momentos! Alegria, tristeza, coragem, receio, força, fraqueza. Vocês foram acompanhando vários desses meus momentos. Depois do fim da última relação, não escondi que estava a precisar de diversão. De ter relações mais simples, menos complexas. Porque uma relação, um compromisso é exigente! Amar alguém é fazer uma escolha. É dedicar o nosso amor a alguém. É pousar o coração nas mãos de alguém. Disse no fim dessa relação que o meu coração estava penhorado. Tinha ficado à guarda da metade da minha laranja. Só há uma metade da nossa laranja. Não se troca! Porém há várias mulheres na nossa vida. E se a nossa relação não pode crescer, estará na hora de partir. Confesso que não queria largar o que restava dela. Acreditava que podia estar congelada! Mas não. Esmoreceu. Não sentia vontade de voltar a amar. O meu coração não estava aqui. Lembrei-me que o tinha oferecido. E agora vou pedir um pouco dele. Deixarei uma parte com ela, para que lembre tudo que foi e pense em tudo que poderia ter sido. E na parte que receber vou deixar entrar alguma semente que cresça com ele. Não sei que semente será! Escolher uma será abdicar de todas as outras. Tal como durante uns tempos, não me quis dar a uma só pessoa, agora quero que essa pessoa me reclame para ela. Quero ser conquistado para poder conquistar todos os dias. Redescobrir o que é gostar das qualidades e amar os defeitos. O luto de uma relação linda foi feito. Ficou o sorriso de memórias passada e futuros imaginados. Aprendi a derradeira lição: mesmo duas peças perfeitas de um puzzle tem um fina divisão que as pode afastar.

Sei que lerás isto! Sorrirás porque sabias que este dia chegaria. Chorarás porque tal como eu não querias que chegasse. Não precisas dizer nada. Sabemos que existimos. Acredito agora naquilo que sempre acreditaste: não adianta lutar contra tudo. Fazemos o nosso caminho e com sorte pode ser que o partilhemos com alguém. Um optimista é apenas um pessimista que ainda não acordou. Talvez porque acordar custa muito. Mas também nunca ninguém disse que a vida deveria ser fácil. Talvez o mundo não precise de mais sonhadores. Mas foi bom sonhar, não foi?

sábado, novembro 14, 2009

A feira da Golegã foi o que sempre foi!! Cavalos, vinho e loucura...


quarta-feira, novembro 11, 2009

A nova série de Californication tem diálogos ainda melhores! Desde as personagens novas às antigas, cada vez mais assertivos. E a personagem de Hank é o sonho de qualquer argumentista...



E agora vou uns dias à Golegã...

quinta-feira, novembro 05, 2009

Para mim isto não é um anúncio! Não será por causa disto que comprarei este produto. Mas é com certeza por esta estória que sempre que vir este produto vou sorrir. E isso é uma publicidade ganha...

quarta-feira, novembro 04, 2009

Por vezes sinto grande angústia por não poder contar as estórias de toda a gente! Devido ao curso que estou a tirar no Porto, voltei às viagens de comboio. E a todo o manancial de estórias que elas trazem. Ontem lembrei-me dos preconceitos! Na mesma carruagem que eu iam uma rapariga africana e outra cigana dotadas de uma beleza invulgar. Observei as expressões dos homens que viajavam comigo. E em nenhum vi preconceito! Porquê? Porque de facto não importava a cor ou etnia, importava que eram raparigas bonitas. Entandamos o preconceito! Ele existe ao nível da distância. Ninguém sente preconceito por alguém que conhece. Pode sentir antipatia, mas nunca preconceito. Basta decompor a palavra pre-conceito, para se entender que é anterior a algo. E neste caso anterior ao conhecimento da pessoa. Todo o preconceito é perigoso porque a falta de conhecimento é ignorância. Logo nenhuma delas deveria ser julgada pela cor da pele ou etnia! E não foram. Porquê mais uma vez? Por causa da beleza. Falta que não seja preciso beleza para não haverem preconceitos.

terça-feira, novembro 03, 2009

Hoje começou mais uma etapa da minha vida! Até Julho as segundas e terças à noite serão noites de curso de teatro. Uma etapa de trabalho, de loucura, como eu gosto... A turma é pequena, mas já deu para conhecer que há muita matéria humana interessante! E nada melhor do que conhecer seres humanos interessantes. Neste dia de apresentação houve caldo verde e vinho tinto! O que se seguirá?

domingo, novembro 01, 2009

Ontem estava a pensar! Eu não dormi com muitas mulheres na minha vida. Dormi com todas as minhas ex namoradas! Mas nestes anos todos, nunca dormi uma semana seguida com nenhuma. Nunca calhou! Por uma razão ou outra, nunca aconteceu... E eu nem sou uma criatura que goste de hábitos, mas esse não me importava nada de ter! Há muito tempo que não durmo regularmente com ninguém! E há poucas coisas melhores do que adormecer e acordar com a pessoa que se gosta...

quarta-feira, outubro 28, 2009

Para rir... (e para as meninas derreterem com o chocolate)





terça-feira, outubro 27, 2009

Devo confessar que estou um pouco surpreso por ninguém ter dito nada sobre o sexo sem tabus... ahhah Ainda bem porque mostra que o sexo ja nao e tabu!!!!

sexta-feira, outubro 23, 2009

Como não namoro, hoje perguntaram-me o que procuro neste momento numa mulher! Penso ter chegado a uma definição...

- Que tenha bom feitio e seja divertida!!! - Eu sou muito tranquilo e com paciência mas cada vez mais quero estar rodeado de pessoas boa onda. Para má onda já chega este mundo do avesso.

- Que seja inteligente e tenha cultura!! - Eu não peço que saiba resolver equações de álgebra ou fale 10 línguas, mas pelo menos que não ache que o Brasil é em África ou que Gabriel Garcia Marquez é um jogador de futebol.

- Que seja sincera e leal!!! - Cada vez mais acho que as verdades aparecem sempre e pode-se perdoar tudo, menos uma mentira. Já muitas vezes afirmei que o segredo, mais do que na fidelidade, reside na lealdade.

- Que more perto de mim!!! - Já chega de namoros à distância. Recuso-me a embarcar em mais uma aventura de pouco contacto diário. Até porque a gasolina e os transportes estão caros, e eu quero alguém a quem abraçar na cama.

- Que tenha filhos em mente!!! - Sim, porque já ouvi várias meninas a dizerem que filhos não estão nos planos. E toda a gente sabe do meu relógio paternal.

- Que tenha a cabeça resolvida!! - Sim, nada de relações passadas que ainda mexam com ela. Com passado, mas sem nós mal dados...

- Que não tenha tabus no sexo!!! - Eu sou malandro, não sou doido. Não vou pedir coisas estranhas, mas não gosto que me torçam o nariz a loucuras deliciosas.

- Que entenda que na vida há espaço para tudo!!! - Há momentos para sair, para ficar em casa, para ela sair com as amigas, para eu sair com os amigos. Nada atropela nada e uma vida completa precisa disto tudo.

- Que não seja ciumenta e muito menos possessiva!!! - Eu nunca desrespeito nenhuma namorada, mas não deixo de ser quem sou. Não importa se falo com mil pessoas, é ela que me leva para casa.

- Que goste de desporto!!! - Ou pelo menos que entenda que o desporto faz parte da minha vida.

- Que goste de cinema, música, literatura!!! - Porque alimentam o espírito.

- Que queira um casamento JB!!! - Pronto, esta não é obrigatória mas demonstra um estado de espírito...



Se calhar estou a ser exigente, mas também podem ser exigentes comigo...

domingo, outubro 18, 2009

Falavamos há dias de bebés e da minha vontade de ser pai! Uma das coisas que por vezes imagino são os nomes. Sempre pensei em propor à mãe dos meus filhos ser eu a escolher os das meninas e ela o dos meninos... Até porque prefiro nomes femininos! De rapaz gosto de Francisco, Bruno, Carlos e poucos mais. Já de mulher, gosto de Diana, Helena, Sara, Beatriz, Mariana, Sofia! E gosto deles assim mesmo, completos, sem diminutivos! Trato sempre as pessoas com esses pelo nome inteiro. Porque gosto demais deles para os encurtar. Vejo-os como nomes com História! Deusa Diana, Helena de Tróia, bíblica Sara... Nomes que carregam em cada letra, séculos de menções e referências! E vocês? Que nomes tem em agenda?

sexta-feira, outubro 16, 2009

Isto é um milagre...

"Um bebê de seis meses sobreviveu após ter sido arrastado por um trem, em uma estação de Melbourne, na Austrália. Imagens do circuito interno da estação mostram o momento em que a mãe da criança se distraiu e o carrinho rolou para a linha do trem."

terça-feira, outubro 13, 2009

O argumento não é nada de especial! As meninas podem gostar de ver o Colin Firth! Mas acima de tudo adorei ver a minha Génova. Os locais são os mesmos que conheci. Até a sala de aula na Faculdade foi uma das que frequentei...



Já agora sabiam que Colin Firth é casado há mais de dez anos com a belissima italiana Livia Giuggioli?

sexta-feira, outubro 09, 2009

Já confessei aqui há muito que o meu relógio biológico tocou há muito! Desde os meus 24 anos, mais ou menos, que gostava de ter filhos. O facto de ser filho único sempre me fez gostar de crianças. Divirto-me com elas! Não sou crescido quando estou com elas. Transformo-me num seu igual! E depois há aquele medo delicioso de não sabermos se seremos bons pais. Se conseguiremos educar, formar, instruir. Defender valores não coartando a liberdade. Ensinar a tolerância, a boa educação, a tranquilidade, a alegria de viver! Compreender a sua personalidade e feitio e mostrar-lhe o melhor caminho. Ser Pai com letra maiúscula!!!
Na minha última relação, pensei em filhos! Ou melhor, imaginei-os. Desenhei-os. Vi-os. Pintei-os com uma bela cor de café com leite! Vi a mistura de África, Europa e América do Sul. E gostei. E desde que acabou não pensei mais nisso! Ou seja, parece-me um projecto adiado. Gostava de os ter antes dos 30, mas torna-se agora complicado. Implica uma relação estável, um projecto de vida! E também um timing certo. Ela tinha 28 anos, a idade que a minha mãe me teve... Agora só se me apaixonar, viver com a pessoa, querer um projecto futuro e ela querer um filho! Muitos ses... Gostava de ter um filho, dar à minha mãe um neto, dar à minha avó um bisneto e sobretudo partilhar o mais precioso bem com alguém! Está adiado... Até quando? Não sei responder...

quarta-feira, outubro 07, 2009

Apanhei um susto por estes dias! A morte da minha tia-avó, irmã da minha avó, pos-me a pensar. Não me lembro se já aqui falei que quero fazer uma entrevista à minha avó. O tempo foi passando e não tive a oportunidade de o fazer. E a morte da madrinha do meu pai relembrou-me que os projectos que se deixam passar podem nunca ser realizados! Ao saber da morte da minha tia, pensei que ia encontrar a minha avó desvastada. Mas ela é de fibra! Compreendendo que o mais importante foi que a minha tia faleceu sem sofrer, aceitou que a sua morte foi pacífica. Tal como ela, penso que as pessoas se devem mimar em vida. E quando perdemos a pessoa, choramos a falta que nos fará mas não a falta dos momentos que podiamos ter tido e não tivemos. As pessoas vivem dentro de nós enquanto a memória delas perdura. A presença física é importante mas a ausência mental é incomparável. E creio que é isso que mais choramos num funeral! A consciência que podiamos ter dado mais. E talvez por isso já dei por mim a sorrir num velório ou funeral. Ainda ontem! Estava no velório da minha tia e consegui fazer a minha avó rir e sorrir. Porque sabemos que a morte não pode ser um fim, mas apenas um destino físico de uma eterna viagem da memória...

terça-feira, outubro 06, 2009

Depois de uns dias a recuperar estou de volta! O sorriso ainda não é completo porque tive uma morte na minha família, mas está a regressar aos poucos. O meu muito obrigado a todos que me mimaram. Tenho-vos no meu coração e pensamento! E neste meu regresso, uma mulher. Não conhecia esta actriz brasileira com quem Caetano Veloso namorou e que foi a musa inspiradora da sua música "Musa Hibrida".


Musa Hibrida - Caetano Veloso

Meninas e meninos, uma bela mulher do outro lado do Atlântico, Ildi Silva.

sexta-feira, outubro 02, 2009

quinta-feira, outubro 01, 2009

Eis uma lição de vida... O que hoje é certo, amanhã pode não ser... Hoje perdi metade de mim! Aprenderei a viver assim... Como diz a música, I don't wanna talk about it... Irónico que a música seja a mesma de ontem...

video

quarta-feira, setembro 30, 2009

Mais uma vez vos peço para por as colunas bem baixinho...

video

terça-feira, setembro 29, 2009

Nunca tinha pensado muito no porque da psicologia me atrair. Mas ao longo dos últimos tempos tenho compreendido melhor! A psique humana sempre me interessou. Sobretudo a parte de ouvir histórias de vida. Compreender a personalidade de cada pessoa através das suas experiências, os seus medos e receios, as suas ambições e metas. E naturalmente me sai o sorriso, o apoio, a crítica, o conselho. Há dias falei-vos de uma amiga que não sabe aproveitar a sorte que tem! Hoje falo de outra amiga que precisa de entender que não precisamos de nos preocupar com a vida. Ela teve alguns problemas de saúde durante uns anos. E isso foi condicionando o comportamento social dela. Foi entrando num casulo do qual não queria sair. E a primeira coisa a padecer foi a sua auto-estima. Foi deixando de acreditar nas suas capacidades! Nos últimos tempos, compreendeu que tem de ganhar mundo. Tem de viver aquilo que não viveu durante muito tempo. Saber que todos nós temos virtudes e defeitos e que a piada da vida é conhecer pessoas imperfeitas. E tem feito por isso! Com contratempos mas com força de vontade ela vai lá. Sei que ela vai ler isto! Mesmo que ela não precise de se identificar deixo-lhe um video que é um exemplo: Scott James, um autista cujo sonho era cantar...

domingo, setembro 27, 2009

Eu já votei! E vocês? Vá, ainda vão a tempo... E é importante que todos participemos...

quarta-feira, setembro 23, 2009

Todos os dias aprendo a apreciar a vida! Todos os dias começo e acaba o dia com um sorriso. Porque foi mais um dia que vivi! E não consigo compreender quando uma pessoa que conheço não aprecia toda a sorte que é viver. Tenho uma pessoa conhecida que tem tudo de bom: uma familia que a apoia, mudou de área porque o seu curso não lhe dava emprego, é gira, inteligente, divertida; mas que nunca está contente. Tem sempre uma imensa dificuldade em estar feliz! Na brincadeira bem lhe digo que é por ser Capricórnio. Ela vê sempre o copo meio vazio. Acha sempre o lado negativo e agarra-se a ele. Porque falta isto, ou falta aquilo! E já meio irritado, disse-lhe que lhe faria bem fazer voluntariado! Por exemplo, junto do IPO. Porque ali, onde a esperança deveria ser diminuta, existe alegria e sorrisos. Porque cada dia para eles é um novo dia! Razão de ser celebrado. Olhar só o "Bright Side of Life"! E ela precisava disso...
Temos de ultrapassar os obstáculos que a vida nos põe à frente. Sejam mentais ou físicos! Como por exemplo Tony Meléndez! Vejam a história dele e o que ele diz aos 2'58s.

terça-feira, setembro 22, 2009

Quem me conhece sabe que não sou comunista! Há algumas (não muitas) coisas em me revejo no ideário comunista, mas a constante relutância em renovar certas ideias e comportamentos afasta-me do PC! Dito isto, quero elogiar a pessoa de Jerónimo de Sousa! Humilde, apelidado de gentleman mesmo por adversários políticos, simpático e bem educado. São tudo qualidades que podemos ver nesta entrevista conduzida pelo Ricardo Araújo Pereira (que é comunista de cartão de membro)... A última troca de palavras é demais!



domingo, setembro 20, 2009

Ontem estive a vindimar de manhã! Resultado: muita diversão e uma dor nos ombros que Deus me livre... Tudo que se faça com amigos é delicioso...

quinta-feira, setembro 17, 2009

Quem me tem como uma pessoa equilibrada, não veja o video a seguir! E se perder a cabeça e decidir ver, que baixe o volume...
video

terça-feira, setembro 15, 2009

Pois, meninas e meninos, este blog faz três anos! A 15 de Setembro de 2006, meti-me em mais uma aventura blogueira. O meu blog mais pessoal e intimista. 400 posts depois aqui estou eu. Surpreso por ter 50 visitas diárias, surpreso por receber tanto carinho de todos vocês, surpreso ao ler alguns dos posts que aqui deixei porque significa que os últimos três anos foram muito preenchidos. E agora? O futuro... Olhem:

- em termos de trabalho, fui hoje inscrever-me ao Centro de Emprego pela primeira vez! Não sei o que me espera, mas sou oficialmente um número estatistico do desemprego em Portugal. Se aos 30 não tiver um emprego estável, torno-me gigolo.:D

- em termos de formação vou fazer um curso de um ano de teatro no Porto, sob a orientação de Dinis Machado.

- em termos de amor, estou quietinho no meu canto. O meu coração está tranquilamente penhorado.

- em termos de leituras, decidi adoptar um novo método. Cada mês escolho um escritor e procuro ler tudo que tenho e posso dele. O escritor de Setembro é Shakespeare.

- em termos de escrita, tenho várias coisas para escrever, sendo que decidi-me a escrever pelo menos duas ao mesmo tempo.

- em termos de desporto, começou agora mais uma época de voleibol (está tudo convidado a assistir aos jogos).

Se estiverem para me aturar, cá estarei! Sendo bonzinho, sendo mauzinho, mas acima de tudo, sendo eu mesmo...

segunda-feira, setembro 14, 2009

Nunca escondi que sou apaixonado por concursos com Idolos, X-Factor, Britain Got Talent, etc! Porque adoro ver talento puro onde menos se espera. Mas o video que trago aqui hoje pouco tem a ver com talento. Tem a ver com dois miudos que gostam um do outro! Melhor que qualquer explicação, vejam...

sábado, setembro 12, 2009

Pois bem, o que o Mundo tira, o Mundo dá! Um dia depois de saber que não entrei em Psicologia Desportiva na Universidade do Minho, soube que fui aceite num curso de um ano de teatro, com Dinis Machado! Pois é, voltarei à interpretação. E assim na vida, se algo não corre bem, tenta-se outra. Como esta menina aprendeu...

sexta-feira, setembro 11, 2009

Só uma pequena nota para informar que não consegui entrar em Psicologia como era meu desejo! Nunca pensei que houvesse tanta gente a concorrer como licenciado e tramei-me! Não estava à espera. Mas hei-de dar a volta com um sorriso como sempre...

quinta-feira, setembro 10, 2009

Foi quando esta música fez perfeito sentido que soube que tinha encontrado a metade da minha laranja! Como vocês sabem não estamos juntos...



Mas será quando uma mulher me cantar esta música que me terá para toda a vida... Num mundo que tenta dar tantas dicas aos homens como agir com as mulheres, esta é uma dica dos homens para as mulheres...



And I am Telling You
Jennifer Hudson

And I am telling you
I'm not going.
You're the best man I'll ever know.
There's no way I can ever go,
No, no, no, no way,
No, no, no, no way I'm livin' without you.
I'm not livin' without you.
I don't want to be free.
I'm stayin',
I'm stayin',
And you, and you, you're gonna love me.
Ooh, you're gonna love me.

And I am telling you
I'm not going,
Even though the rough times are showing.
There's just no way,
There's no way.
We're part of the same place.
We're part of the same time.
We both share the same blood.
We both have the same mind.
And time and time we have so much to share,

No, no, no,
No, no, no,
I'm not wakin' up tomorrow mornin'
And findin' that there's nobody there.
Darling, there's no way,
No, no, no, no way I'm livin' without you.
I'm not livin' without you.
You see, there's just no way,
There's no way.

Please don't go
Away from me
Stay with me,stay with me
Stay, stay and hold me
Stay, stay and hold me
Oh please stay and hold me
miss me
Try and miss me
Try and miss me
Oh i know, i know, i know you care

Tear down the mountains,
Yell, scream and shout.
You can say what you want,
I'm not walkin' out.
Stop all the rivers,
Push, strike, and kill.
I'm not gonna leave you,
There's no way I will.

And I am telling you
I'm not going.
You're the best man I'll ever know.
There's no way I could ever, ever go,
No, no, no, no way,
No, no, no, no way I'm livin' without you.
Oh, I'm not livin' without you,
I'm not livin' without you.
I don't wanna be free.
I'm stayin',
I'm stayin',
And you, and you, and you
You're gonna love me.
Oh, yeah, you're gonna love me,
Yes, you are, love me,
Ooh, ooh, ooh, love me,
Love me,
Love me,
Love me,
Love me.
You're gonna love me.

quarta-feira, setembro 09, 2009

Ora aqui está algo de que não sofro, mas muita gente padece...

A Alexitimia (ou Aleximia), é um transtorno mental ou psicológico caracterizado pela dificuldade de expressar e identificar as próprias emoções. Trata-se de uma disfuncao entre o sistema Limbico e o Neo Cortex.

A palavra provém do grego, onde A indica ausência, lexis é palavra e timia, emoção.

Um dos principais sintomas é a confusão entre sensações e sentimentos, e grande dificuldade em expressar os sentimentos através de palavras. O alexitímico costuma relacionar suas sensações físicas aos seus sentimentos. Por exemplo, após sofrer um duro golpe emocional, o alexitímico irá reclamar de dor de cabeça ou fadiga, mas não saberá relatar de forma clara o que realmente sentiu.

terça-feira, setembro 08, 2009

Uma cara bonita e uma bela voz conquista as mulheres! Mas alegria e confiança conquista toda a gente. Eu aprendi há muito essa lição! E vocês?



PS- Primeira vez que vejo Simon Cowell a ser o primeiro a levantar-se! Vejam as duas meninas do júri derretidas... Ah, e tudo se consegue com a ajuda dos nossos amigos...:D

sábado, setembro 05, 2009

AS- Muito obrigado pela leitura atenta do blog!

Ora bem, cara Carol, comecemos pelo fim, de palavras percebo eu, e sim é um ataque! Não digo que não tenha sido mais atacado ou insultado neste blog, mas este é um ataque à minha coerência. Vamos por partes…
Para mim existem três tipos de blogs, os que só falam de coisas boas (bonito, mas não real), coisas más (não tão bonito, mas não real) e os que falam das coisas boas e más. Iniciei este blog a 15 de Setembro de 2006. Quase quase três anos! Muita coisa passou na minha vida, talvez eu tenha mudado (ou evoluído), mas creio ter mantido a coerência. Devo dizer que ao ir buscar palavras minhas, tem de se ter cuidado com o contexto. Este blog não me define, pode eventualmente mostrar uma parte de mim. E tenho todo o prazer eu falar sobre as minhas citações.
A primeira citação é de 18 de Dezembro de 2006! O mais engraçado é que nessa altura já tinha amado mas ainda não tinha encontrado aquela que digo ser a “metade da minha laranja”. Ainda agora afirmo o mesmo! Sou feliz (porque há milhões de pessoas que estão em pior situação que eu e eu não tenho nada de ingrato com a vida) mas seria mais feliz com ela (aquilo que costumo chamar de estar completo). Mantenho a minha coerência.
Segunda citação! O meu texto de 12 de Julho de 2007 (ainda sem conhecer a metade da minha laranja) foi dos mais crus e negativos que escrevi até hoje(estranhamente foi dos posts que mais mulheres gostaram). Estava zangado sobretudo com as circunstâncias da vida. A minha namorada da altura tinha acabado comigo porque ainda não conseguia dar-se por completo. Trazia ainda resquícios da relação anterior. Essa mesma ex-namorada acabou depois por dizer que eu era um príncipe que não soube aproveitar e que se pudesse voltava atrás. Se leres esses dois textos á luz destes factos pode ser que entendas as coisas. E sim, numa relação sou diferente! Continuo a dizer o mesmo. Sou diferente porque sou inteiro. Pena que a minha metade da laranja não goste de comentar (foi à revelia que pus o comentário dela) porque poderia dizer-te como sou numa relação. Se não sou inteiro! Mantenho a minha coerência.
A minha última citação parece ter sido escrita há cinco minutos! Até tive dúvidas que tivesse sido eu a descrever tão bem o que sinto. Em nada a altera! Mantenho a coerência.
Quanto ao Luís Bernardo, acho que foi neste blog que o elogiei e critiquei! E continuo a estar mais do que de acordo com a citação dele. Sou fiel à minha loucura (por isso abandonei a casa dos meus pais e fui viver para outro apartamento a pensar que um dia ela pudesse vir viver comigo), sou fiel à minha ponderação (neste momento, eu ir para Lisboa, iria sem dinheiro, sem emprego, sem casa! Se a menina Carol puder providenciar estas três condições eu arranco amanhã para perto da metade da minha laranja), sou fiel aos meus sentimentos (ela já quis afastar-me vezes sem conta e cada vez mais sei que ela é única), sou fiel aos meus instintos (penso que ela seria mais feliz aqui do que nós lá), sou fiel aos meus afectos (porque apesar de tudo que disse até agora, nunca a culpei de nada e nunca ouviram uma palavra negativa sobre ela).
Se mudei, cara Carol, foi para melhor, porque amadureci! Porque a encontrei. Porque se a distância ainda não nos permite viver um amor eterno, pelo menos o sentimento durará uma vida.

sexta-feira, setembro 04, 2009

Quem anda à chuva, molha-se! Tenho um blog que é público, com o meu nome e até a minha cara. Acima de tudo, tenho os meus sentimentos expostos. E de vez em quando aparecem críticas. Primeiro deixo o texto da leitora Carol...

"Depois de ler tenho uma pergunta a fazer...
A pessoa que começou a escrever este blog ainda é a mesma? Ainda não li todo o blog, mas quem nos seus primeiros meses escreve :
Segunda-feira, Dezembro 18, 2006
"Eu sou feliz sozinho, seria é mais feliz contigo..."
posteriormente, no post de
Segunda-feira, Julho 16, 2007 "...quando se gosta devemos ser 100%...", sendo este post o seguimento do teu próprio elogio ao amor a 12 de Julho.
Se és como tantas vezes afirmas ser "diferente" (...) se partilhas a opinião "O amor e a paixão são sentimentos que evoluem com a relação. Quero amar mais todos os dias. Quero reapaixonar-me todos os dias. Quero dentro das minhas qualidades e defeitos ser eu mesmo. Quero seguir as palavras de Ricardo Reis: Para ser grande, sê inteiro: nada teu exagera ou exclui. Sê todo em cada coisa. Põe quanto és no mínimo que fazes. Não escondo que por vezes sou excessivo ou comedido, mas quero sempre ser eu. E não me quero habituar ou adaptar a ter menos do que desejo."
Poderia continuar com citações, sempre tuas, mas vou colocar apenas mais uma
"O amor é belo, quando nos deixamos perder. Quando não pensamos no que foi e no que será, mas no que é. E no que não é. É tudo que se explica e tudo que não se entende. Tudo o que se sente sem saber porquê. O amor não é só certezas, mas também as dúvidas e inseguranças. É a tranquilidade de amarmos e a incerteza de sermos amados. É amar com toda a força, para que saibam que podem fazer o mesmo. É mergulhar sem saber se há água só porque acreditamos que sim. Acima de tudo amor é indolor. A falta dele é que dói. Não deixem de amar, nem de ser amados. Não pensem, reajam. Não se escondam, ofereçam o corpo às balas. Não se calem, exijam o Mundo. Façam que as pessoas acreditem na sinceridade dos vossos sentimentos. Tudo o resto é incontrolável. Tudo o resto é um feitiço que nos enleva, um fascínio que nos inebria, um bem que nos salva..."
Depois de um comentário escrito pelas tuas próprias palavras, e depois de ter lido comentários do post de hoje (em que se alega distância) tenho a ousadia de te questionar se és coerente.
Pensei que talvez fosses um Luís Bernardo, "Não esperes nunca de mim que eu seja fiel a qualidades que não tenho. O que podes é contar com as que tenho, porque nessas não te falharei nunca."
mas pelo pouco que li reparo que falhaste naquelas que julgavas ser fiel.
P.S. não é um ataque, apenas uma singela observação. Até podes ter mudado... tenho pena."

Amanhã comento...

terça-feira, setembro 01, 2009

Sabem o que é para mim uma declaração de amor eterno? É algo que é escrito a uma pessoa mesmo que não seja a pessoa com quem vamos ficar para sempre. Porque o sentimento ultrapassa a realidade. Ela pode não me perdoar por eu por aqui as suas palavras, mas lava-me a alma alguém que escreve tão bem, escrever algo assim...

"eu também não sei se sei ser tua amiga e deixar de ser tudo o resto, mas sei que prefiro ter-te como amigo do que não te ter de forma nenhuma. nunca encontrei um leito tão confortável, um encaixe tão perfeito na hora de dormir. parte-me o coração não saber se os meus filhos terão a nossa mistura de chocolate com baunilha, o teu sorriso, o teu olhar profundo. sei que temos um vazio nos nossos corações difícil de preencher, por mais que nos cruzemos com inúmeras pessoas e sejamos até felizes com elas. mas sei, acima de tudo, que a minha metade existe e isso, por si só, é maravilhoso...
adoro tu, para sempre..."

segunda-feira, agosto 31, 2009

Durante estes dias tive a tal conversa interior entre o narrador e o Alfie! O Alfie talvez sofra menos, mas também passa mais tempo sozinho. Acho que é o equilibrio! O tal cabrão fofinho... Olhem, tipo esta música do Leonard Cohen...



PS- Esta música não vos faz dançar?

quinta-feira, agosto 27, 2009

Um bocadinho de saudades deste sorriso...

quarta-feira, agosto 26, 2009

Provavelmente o original da música era uma conversa, mas eu sempre ouvi esta música como uma conversa interior! Alfie é o homem egoísta dentro de mim, aquele que não acredita no amor, apenas nas relações superficiais. Alfie é o cabrão que conquista as mulheres sem respeitar os seus sentimentos. O narrador da música é tudo o resto! É o homem que vê cada mulher como um monumento à beleza, um santuário de sentimentos, um eterno crente no amor. Mas a cada dia que passa vejo mais e mais Alfies! E vejo as mulheres a perderem-se de amor pelos Alfies deste mundo. Tive um blog que se chamava O último dos românticos! Já aí achava que o romantismo se estava a perder. Já me chamaram príncipe! Que era o príncipe de alguém, que seria o príncipe de alguém. Mas a verdade é que aqui estou! Uma casa vazia, uma cama vazia, um vida incompleta. E vejo à minha volta amigos a desprezar mulheres fantásticas, que correm atrás deles como se fossem perfeitos. Não me interpretem mal! Não é a inveja que me faz escrever isto. É puramente a triteza! Afinal este é o Diário de um Homem Sentimental. Onde me exponho... Onde belíssimas mulheres aqui vem e dizem que gostam das minhas palavras, dos meus sentimentos! Mas e depois? E lá fora? No mundo real, a maioria acaba por se enamorar não por aqueles com os melhores sentimentos ou palavras mas pelos Alfies desta vida. O meu sorriso vai desaparecendo... Vão-se perdendo as minhas palavras... Vejam a letra e percebam o que quero dizer...



Alfie

Whats it all about, alfie?
Is it just for the moment we live?
Whats it all about when you sort it out, alfie?
Are we meant to take more than we give
Or are we meant to be kind?
And if only fools are kind, alfie,
Then I guess its wise to be cruel.
And if life belongs only to the strong, alfie,
What will you lend on an old golden rule?
As sure as I believe theres a heaven above, alfie,
I know theres something much more,
Something even non-believers can believe in.
I believe in love, alfie.
Without true love we just exist, alfie.
Until you find the love youve missed youre nothing, alfie.
When you walk let your heart lead the way
And youll find love any day, alfie, alfie.

segunda-feira, agosto 24, 2009

Perguntam os meus pais:
- Estás bem?
- Sim, estou bem! - respondo eu.

Sabes, se calhar não sei ser teu amigo! Ou pelo menos ser só teu amigo. Como se faz a passagem de ser amigo, namorado, amante, companheiro, parceiro, confidente, para amigos que se falam de tempos a tempos? Eu não sei. Se tu sabes, melhor para ti.

- Estás bem? - perguntam os meus amigos.
- Estou muito bem! - respondo eu.

Acho que vou alugar meia cama a algum sem-abrigo! Ou então a cama toda. É que me custa chegar lá todos os dias e imaginar como seria encontrar-te. Ou andar a falar pela casa à casa que aparecesses.

- Estás bem? - perguntam as amigas.
- Estou óptimo! - respondo eu.

Elas perguntam-me quando me caso, quando tenho filhos! Mas que culpa tenho eu que agora só pense ter mulatinhos. E tu és o chocolate necessário para esses chocolates de leite. E como dizer-lhes que parece que lhes falta algo? Mas também metades só há duas, e se eu tenho uma e tu a outra, não sobram mais metades...

- Estás bem? - perguntas tu.
- Porra, tou fantástico, mas não estou completo...

PS- Ninguém me vai perguntar se tou bem, pois não???

sábado, agosto 22, 2009

Já aqui falei da minha relação com as redes sociais! Concordo com algumas coisas que o MST disse, mas também tenho de afirmar com todas as letras que os hi5, facebooks, blogs já me deram muitas coisas boas... Mas também não vivo vidrado com estes sites! Não fico preocupado se ninguém me vê ou comenta. Acho que tem o seu espaço. E já agora acho que agora trabalho melhor com o Twitter (http://twitter.com/chicodelmundo)... Só para contrariar...

quinta-feira, agosto 20, 2009

Miguel Sousa Tavares acerca das redes sociais! Cru mas com muita verdade pelo meio...

Let's face it

Pergunta-se a alguém porque está no Facebook e a primeira resposta é: "porque me interessa profissionalmente, para estabelecer contactos". Como - um tipo é dentista (ou fotógrafo, ou canalizador ou advogado) e angaria clientes no Facebook? "Não, claro, que não!", respondem logo. Então? Porque têm negócios ou produtos que lhes interessa divulgar - resposta nº 2. Ah, então é uma rede de comerciantes, que aproveitam a publicidade grátis? "Bem, também não", respondem, já levemente embaraçados. Afinal, insisto, é porquê? "Por exemplo: serve para encontrar os antigos colegas da Primária ou do Liceu" - resposta nº 3, já levemente irritada. (E eu fico a pensar para comigo: interessa-me assim tanto encontrar os antigos colegas do Liceu ou da Primária? Francamente, não. Eles que me perdoem, mas a vida não se faz a andar para trás). Passemos, então, a outro tipo de dúvidas que a minha curiosidade gostaria de ver esclarecidas.
F tem 1243 'amigos' e 'amigas' registadas - uma multidão (e eu que detesto mutidões...).
- Tens mesmo 1243 amigos?
- Não, claro que não!
- Então porque estão registados como teus amigos?
- Porque pediram e eu os aceitei.
- Se os aceitaste é porque os queres como amigos: tens de lhes escrever de vez em quando, mandar notícias, responder quando eles escrevem...
- Só respondo quando quero. E à maior parte não respondo.
- Não consigo perceber...
- O quê?
- É que toda a gente diz o mesmo, quando pergunto isto: que só têm essas legiões de amigos porque lhes pediram e eles aceitaram. Parece que ninguém pede, toda a gente se limita a aceitar; e, depois, todos juram que só respondem a alguns. Sendo assim, não consigo entender como e para quê têm esses 'amigos todos'.
Fim de conversa. Já fiz esta conversa várias vezes, já tive esta discussão com amigos inúmeras vezes e ninguém sai da sua: eles do Facebook, eu da minha perplexidade. Na verdade, só há uma resposta que eu entenderia: estão no Facebook porque não conseguem enfrentar a solidão e vivemos um tempo em que, quanto mais se comunica, quanto mais se fala, quanto mais se apregoa, mais a solidão é funda e irremediável. E o Facebook é o instrumento perfeito para criar a ilusão de que não se está sozinho, mas acompanhado por uma vastidão de amigos. Basta escolher um 'perfil', carregar num botão e esperar que um desconhecido nos aceite como amigo. E, se esse não aceitar, há mais uns milhões, o universo todo, para tentar de novo. Quem disse que é difícil fazer amigos? Que é difícil encontrar pessoas interessantes? Que, hoje em dia, não há tempo para conhecer pessoas novas? Que as relações humanas são complicadas? Eis o instrumento que veio pôr fim a tudo isso. Agora, com o Facebook, só está só quem quer.
Essa explicação eu entenderia: é séria, é real, é humilde. Só que, essa, ninguém a dá. Menos ainda se atreverão a confessar outro tipo de razões pelas quais eu desconfio que muita dessa Humanidade perde horas preciosas das suas vidas amarrada à coisa (embora todos jurem também que raramente lá estão). As razões inconfessadas são estas (e isto é uma teoria muito pessoal): a) - para arranjar parceiros amorosos ou apenas sexuais; b) - para se exibirem a si mesmos, às suas vidas, às fascinantes personagens que todos se imaginam ser; e c) - para vasculharem a vida dos outros.
Vá, venham, caiam-me todos em cima. Estou aqui para dar o peito às balas dos 'amigos'. É verdade que eu sou, por natureza, o oposto da filosofia da coisa: detesto falar ao telefone, só abro o correio uma vez por mês, só respondo a mails de trabalho ou aos dos verdadeiros amigos que conheço, de carne, osso e alma, odeio expor a minha vida (já tão devassada, inventada e caluniada em blogues que por aí circulam) e interessa-me nada a vida privada dos outros. Gosto de fazer amigos de outra maneira, de ter encontros de outra forma, por acaso olhos nos olhos (embora haja gente que consegue mentir olhos nos olhos e tranquilamente). E não consigo simplesmente entender essa fórmula de as amizades circularem em rede, tipo-D. Branca, 'temos x amigos em comum, vamos ser amigos também', numa progressão geométrica imparável e absurda, até ao ponto em que o universo inteiro acabará amigo, todos uns dos outros, nesse admirável pesadelo novo do Facebook.
Vocês, os 'amigos' do Facebook, conseguiram transformar em realidade o pesadelo do Orwell e o sonho de todas as polícias: montaram uma rede onde todos se cruzam e expõem, onde é fácil descobrir o paradeiro de cada um, mesmo quando ele não quer, onde se estabelecem relações amorosas por magnetismo virtual, se desvendam traições e adultérios, se partilham segredos no meio da multidão, se revelam as fotografias e as andanças que deveriam ser íntimas, e onde se faz tudo isso com uma compulsão de drogados, viciados em voeyurismo e exibicionismo. Vocês, caros 'amigos' e 'amigas', transformaram o Big Brother numa realidade planetária. Mas com a diferença de que não é ele que vos vigia contra vontade, mas vocês que se lhe oferecem voluntariamente.
Era de esperar que aqui chegássemos: os sinais estavam todos lá e cada vez mais nítidos. Os dois barómetros principais, para quem tenha estado atento, foram a crescente profusão das revistas ditas 'sociais' e a crescente audiência dos programas de TV ditos 'populares'. Os primeiros transformaram inutilidades em celebridades, os segundos aliciaram o 'povo' a conquistar os seus minutos de fama, exibindo-se para um catálogo de vícios onde os degradaram a um extremo indecoroso, convencendo-os de que eram ídolos e corajosos. Juntos, as revistas sociais e os programas populares de TV levaram a pobre gente a acreditar que eles próprios podiam transformar-se na notícia, saltando de espectadores para actores principais. Não pelo que fazem, pelo que são, pelo mérito que têm, pelo exemplo ou pelo valor que dão à sociedade, mas exactamente pelo contrário: porque vão a festas, porque namoram X ou Y, porque fizeram um implante de silicone, ou porque tiveram um filho (e vendem a gravidez, o parto, a saída da maternidade, o primeiro banho, o baptizado, a primeira fralda borrada), ou então porque se tornaram 'vedetas' na televisão, em programas onde se dispuseram a ser acorrentados, chicoteados ou filmados 24 horas por dia, retrete incluída. E assim se tornaram eles próprios na notícia.
Mas como não cabem todos nas revistas ou nos programas televisivos, e como todos queriam beber da mesma água, os sobrantes encontraram no Facebook o instrumento exactamente adequado a esta ânsia de protagonismo, a esta irresistível compulsão de partilha que a todos reanima, com um sopro de vida como há muito não varria o mundo. Está bem, concedo que, pelo que me tenho apercebido e no que a Portugal diz respeito, o clube está acima do nível das revistas sociais ou do lixo televisivo: há para ali alguns intelectuais, ou autonomeados como tal, bastante gente perfeitamente frequentável noutras circunstâncias, muita gente interessante e outra desarmante, e muitíssimas mulheres que não são nada de deitar fora, sob vários aspectos (e, sobretudo, muita outra gente que só lá está porque os outros estão e têm medo de não serem 'modernos', ficando de fora). E confesso também que é isso o que mais me preocupa: será que sobra alguém para fora, onde também continua a haver vida, embora sob outra forma? Será que sobra alguém que se possa e valha a pena encontrar num café, num cinema, numa praia, num aeroporto? Ou vai tudo viver, envelhecer e morrer agarrado ao Facebook, sob o desagradável olhar de todos os outros? E a seguir, o que se seguirá?
Ó desgraçados, voltem antes que seja tarde!

terça-feira, agosto 18, 2009

O sucesso de um anúncio publicitário vê-se pela forma como se cola à nossa memória e ao nosso subconsciente! Pois bem, acho que todos nós reconhecemos esta marca...





terça-feira, agosto 11, 2009

O Sudoeste! Primeira vez! Muito bom! Brutal mesmo! Dizem-me que esteve menos gente que o costume, mas eu acho que estiveram as pessoas suficientes para haver um convivio fantástico.



Eu e dois amigos na maior tenda do acampamento. Um T3 com uma área abusiva! Toda a gente que passava comentava que parecia uma casa, um palácio, a mansão do Cristiano Ronaldo e até uma cidade! Em termos de dormir e comer estivemos muito bem instalados.



O espírito do festival é de amena cavaqueira. Toda a gente pega uns com os outros. Tirando alguns stresses desnecessários, é tudo muito zen, muito tranquilo! Como este talento perdido no meio do acampamento...



Nós chegamos no domingo, bem antes dos concertos e pudemos apreciar o lado mais social! Muito convívio, muita praia, muita loucura. Aproveito para vos mostrar como será o novo equipamento do FCP com o seu novo reforço...



Depois os concertos! Vamos por dias...

- Na Quarta-feira, David Guetta deu as boas-vindas aos festivaleiros com um grande set...

- Na Quinta-Feira, Buraka deu um concerto electrizante! Mais de 30000 pessoas vibraram ao som deles. Querem um exemplo?




No Palco Positive Vibes (mais do reggae) Anthony B deu um belo concerto. Aliás, vão reparar que falarei muito deste palco...

- Na Sexta, o dia que muitas pessoas tinham dúvidas. Pois bem, foi uma grandiosa noite. Carlinhos Brown deu um grande concerto e teve o azar de tocar muito cedo. Mas ele não sabe cantar mal.




A seguir o concerto poderoso de MadCon... Aqui com o tema mais conhecido...



A seguir, para mim, o concerto do Sudoeste! Muitas pessoas punham em dúvida Mariza. "Ouvir Fado no Sudoeste???" ou "Ela não vai conseguir puxar pelo público!" Pois bem, vejam e ouçam o crescendo da adesão do público até a apoteose brutal da versão de Skunk Anasie...











Deolinda entraram muito bem no espírito e deram um concerto muito alegre...



Shaggy foi fantástico no seu reggae contagiante...





E para terminar este dia a grande desilusão do Sudoeste para mim! Não escondo que Zero 7 era uma das bandas que mais queria ver. E fiquei de rastos! Aliás abandonei o concerto a meio. Muito pouco entusiasmantes e com poucos temas emblemáticos. Fica aqui um dos melhores momentos...



- No sábado, o dia Rock! Blind Zero muito seguros e é claro o muito saudado regresso dos Faith No More... Mike Patton é louco de pedra...





No palco reggae, os Mad Caddies e o filho de Bob Marley, Kymani Marley deram show...



- No último dia, Marcelo D2 num concerto muito bom...



Basement Jaxx foram aquilo que são sempre... Fabulosos e com mais de 40 temas num concerto incrível...



E o fim do Festival para mim com os legendários embaixadores do Reggae, os Third World! (a qualidade de imagens do concerto deles não era boa, por isso deixo só os temas)





E para o fecho a loucura dos Pow Pow Movement...



Foram dias memoráveis cheio de episódios que davam grandes estórias. Mas fiz um pacto com os amigos que "What happens in Sudoeste, stays in Sudoeste"! Deixo no entanto algumas palavras e expressões chave para memória futura:

"Tostinhas"; "Rabina"; "Pechincha"; "Lurdes"; "La Betonera Humana"; "El Corleone"; "Tenda dos Comidos"; "Mansão do Cristiano Ronaldo"; "Amo você"; "Depois elas dão-se"; "T9"; "Síndrome da Mão de Pedinte"; "Põe Hip-Hop, pah"...

segunda-feira, agosto 10, 2009

Cheguei do Sudoeste, mas hoje o dia é dedicado a este senhor enorme de Portugal! Saber que ele partiu foi uma notícia tristíssima... Ele tinha o sorriso malandro mais doce do nosso país...

sábado, agosto 01, 2009

Último capítulo...

"Bela H.,
peço-te desculpa! Porque não sei como te deixar. Estarei sempre aqui..."

PS- Vou a partir de hoje para sul a caminho do Sudoeste! Até já...

quinta-feira, julho 30, 2009

Penúltimo capítulo...

"Bela S.,
peço-te desculpa! Pela primeira vez na minha vida, enganei-me a mim e a outra pessoa. Pensei que podia dar a oportunidade a outra pessoa de me fazer redescobrir o amor, mas não. O meu coração está penhorado! Ficou guardado nas mãos da metade da minha laranja. Provavelmente lá ficará! És uma menina doce, divertida, linda. Farás um homem muito feliz. Mas não eu... Sinto que te enganei ao fazer-te pensar que estava livre para uma relação. Isto porque nem eu sabia se estava ou não. Não estou... Não te quis magoar e magoei-te. Não merecias e por isso te peço desculpa..."

quarta-feira, julho 29, 2009

Terceiro capítulo...

"Bela C,
peço-te desculpa! Porque não soube ser eu. Estive sem relações durante muito tempo até apareceres na minha vida. Estava ainda magoado com a minha longa relação que não acabou bem. Amaste-me mais do que eu te soube amar! E nunca me perdoarei por isso. Deste-me tanto e só depois de te perder percebi o quanto tinha desperdiçado. És uma mulher forte, independente, sem arrependimentos. Sei que sofreste não por termos acabado mas porque não conseguiste que eu ganhasse asas. Tentaste sempre que eu fosse melhor do que o que era. E só quando te perdi entendi isso! Estava apático. Suguei-te as forças! Espero que encontres um homem que te saiba amar como eu não soube."

terça-feira, julho 28, 2009

Continuando...

"Bela L.,
peço-te desculpa! Primeiramente porque te traí. E isso não tem desculpa possível. Nem o facto de ter acabado no dia seguinte nem o facto de ter sido com aquela que foi depois minha namorada durante 3 anos e meio. Eras um doce de menina! Com uma inocência imprópria da tua idade. E que te assentava tão bem! A entrada na universidade foi uma fase estranha em que experimentei demasiadas coisas ao mesmo tempo. E a nossa relação acabou por padecer de eu querer abarcar tudo. Sei que terás sempre um espaço no meu coração e se alguma ves te fiz mal, peço-te desculpa."
Poucas foram as coisas que fiz e que me arrependo! Ou melhor, que penso ter de pedir desculpa. Mas este é um bom sítio para pedir algumas desculpas. Começo hoje...

"Bela T.,
peço-te desculpa! Porque me apanhaste na transição de patinho feio para pessoa com auto-estima. Porque andei perdido no meio da relação e não soube dar-me como poderia. Soube depois que estiveste um tempo apaixonada por mim e peço-te desculpa por isso. Foi um tempo que poderias ter gasto em alguém que te soubesse dar o valor que mereces. Tive a sorte de ter uma segunda oportunidade para honrar a tua amizade passados dez anos e espero nunca a desperdiçar. És uma bela menina com um coração enorme e mereces toda a felicidade do mundo..."

PS- Ela leu e perdoou...

sexta-feira, julho 24, 2009

Ainda antes de entrar em confissões, uma opinião...

Vi ontem o último episódio de Equador, que tinha sido transmitido Domingo. Sim, eu via o Equador! Desde o primeiro episódio. Até porque achei o livro de Miguel Sousa Tavares interessante. Acho que o tempo vai mostrar como a personagem de Luis Bernardo Valença terá um espaço na Literatura Portuguesa. Gosto dele porque consigo identificar-me com alguns dos pecadilhos dele. É claro que obviamente nunca trocaria a bela Doroteia...



pela loira Anne!



Preferi o livro ao argumento da série. Estava melhor estruturado! O fim tentou explicar muitas coisas (porque haviam mais personagens) e acabou por se perder... A parte boa da imagem é que podemos ver a bela Ciomara no papel de Masara! (a minha sorte é estar tão bem servido de chocolate na minha vida)

quarta-feira, julho 22, 2009

1h da manhã! O pc avariou. A tv não funciona. O que fazer? Podia ir dormir. Não vou. Decido voltar às origens. Na varanda, a temperatura está agradável. O vinho tinto repousa a meu lado. Seguro um belíssimo charuto Romeo & Julieta, que vou passeando entre os dedos e os lábios. Nos ouvidos o iPod leva-me até ao mundo da música. Vou lendo uma revista mas a minha mente vagueia. Tomo a resolução de escrever. Escrever a sério! Dedicar-me às palavras enquanto verdadeira ocupação. Imediatamente começam a surgir estórias na minha cabeça. Se apenas conseguisse escrever com o pensamento, já tinha impresso um mundo de palavras. Penso nas minhas vivências, nas minhas dores, nos meus amores. Como o coração está penhorado, como o amor está pausado. E a certa altura, uma música começa a soar nos meus ouvidos. A névoa do fumo, o vapor do vinho e uma viagem ao mais profundo de mim mesmo...



Stay
Eva Cassidy

terça-feira, julho 21, 2009

Cinco-dias-cinco sem pc! Quase a dar em doido... Voltei com uma vontade enorme de escrever. E de me expor.. Aguardem...

quarta-feira, julho 15, 2009

Só existe uma amputação limitativa! É a da mente. Só essa pode impedir-nos de fazer aquilo que julgamos ser impossivel. Acham que não? Então vejam o vídeo...

video

sábado, julho 11, 2009

Sei que estiveste neste concerto... Sei que apanhaste com a chuva na cara... Sei que vibraste com esta música... Lembrei-me dela porque a todos os momentos me lembro de ti... Deixo-a aqui porque todos os dias sinto saudade... Há gente que fica na história na história da gente...



Chuva

As coisas vulgares que há na vida
Não deixam saudades
Só as lembranças que doem
Ou fazem sorrir

Há gente que fica na história
da história da gente
e outras de quem nem o nome
lembramos ouvir

São emoções que dão vida
à saudade que trago
Aquelas que tive contigo
e acabei por perder

Há dias que marcam a alma
e a vida da gente
e aquele em que tu me deixaste
não posso esquecer

A chuva molhava-me o rosto
Gelado e cansado
As ruas que a cidade tinha
Já eu percorrera

Ai... meu choro de moça perdida
gritava à cidade
que o fogo do amor sob chuva
há instantes morrera

A chuva ouviu e calou
meu segredo à cidade
E eis que ela bate no vidro
Trazendo a saudade