quinta-feira, junho 18, 2009

Decidi pegar com a minha querida Belota...

Belota,

tenho-te lido desde o primeiro dia e ouvido cascar nos homens (ou como tu dizes tótós) sem dó nem piedade! Dizes muitas vezes que os homens fazem coisas que vocês não compreendem e muitas vezes não compreendemos o que vocês fazem. Não sou advogado de defesa dos homens mas não me considero tótó. E também tenho umas dúvidazinhas. Começando por: porque raio vocês passam por uma fase em que vão para os concertos feitas tolinhas, a chorar por artista qualquer e a dizerem que ele é o homem da vossa vida? Onde está o vosso reconhecido equilíbrio e maturidade?

Beijo

8 comentários:

Belota disse...

Hum... bem, estás a questionar a pessoa errada... eu nunca tive essa fase, as minhas amigas também não, mas sei que ela existe. A razão é que não faço ideia. E se queres que te diga, é mesmo coisa tolinha... :S Num sei!

Francisco del Mundo disse...

Ahah, pensei que ia ter uma resposta mais elaborada! Vou começar a escrever num sei quando perguntas coisas sobre os homens..:P
Beijo

Eternity disse...

Ai fizeste relembrar uma fase completamente da minha vida!!! ou tera sido noutra vida?? isto deve-se certamente a adolescencia e as hormonas ahah

Belota disse...

Epah mas é que eu "num sei" mesmo! Acho parvinho e nunca percebi, mas que era uma fase, lá isso era!!

Zarosky disse...

Fácil. Isso acontece às miúdas porque durante a adolescência elas olham para o lado e só vêm putos borbulhentos com as hormonas aos pulos que só lhes dizem barbaridades. As hormonas delas fazem-nas sonhar com um homem mais maduro (pelo menos mentalmente), que lhes diga coisas românticas e se interesse por elas (e não apenas na anatomia delas). O modelo mais parecido com isso são os meninos das boys bands, que cantam letras melosas, e os fulanos que vêem no cimena a interpretar o papel do namorado ideal. E é então que aquelas cabecinhas começam a fantasiar. O homem ideal não é o colega da carteira que olha para a miúda como mais uma febra para meter o dente, mas sim o tal que aparece no écran a dizer coisas bonitas. A fantasia suplanta facilmente uma realidade aborrecida e é assim que se criam aqueles bandos de miúdas barulhentas a arrepelar os cabelos e a atirar cuequinhas para o palco.
Esclarecido?
Ah, já agora, a minha fantasia na adolescência não eram esses gajos melosos, mas sim os meus professores, muitas vezes carecas baixinhos e barrigudos, porque pelo menos abriam a boca e saía alguma coisa interessante. E não há nada mais sexy do que um cérebro bem atestado.

Francisco del Mundo disse...

Zarovsky, essa para mim é de caras! Se as meninas são tão inteligentes nessa idade porque não olham para o menino de oculos que diz coisas inteligentes e que gosta delas? Porque não é giro e popular? É que é muito giro dizer que os rapazes nessa altura só falar das meninas como um corpo, quando as meninas dessa altura ignoram os meninos que lhes sabem dar valor... É que depois passam a vida toda a chamar cabrões aos homens por não gostarem delas!

Zarosky disse...

(Olha, o gajo picou-se... - não era minha intenção, palavra)
Âââ... e eu não disse tal coisa; as miúdas não são particularmente inteligentes nessa idade e praticamente só vêem as aparências, tal como os rapazes. E a chatice é que, depois de crescer, a maioria do pessoal não se torna muito mais interessante. Deve ser por isso que de vez em quando assitimos a discussões do tipo "guerra de sexos", como se os homens e as mulheres estivessem a jogar em equipas contrárias. Normalmente é reacção de gente ressabiada que teve más experiências. Mas as pessoas que fazem juízos tão fúteis, que metem um género inteiro no mesmo saco, não têm puto de interesse. Infelizmente, são a maioria.
Ah, e não é "Zarovsky", não tem V; Zarosky já é suficientemente complicado.

Francisco del Mundo disse...

Zarosky, tens razão, o nome já era dificil antes! Peço desculpa pelo erro..
eu não tenho nada contra as mulheres, e o meu post era uma brincadeira! Essa fase existe mas é inofensiva. Rapazes e raparigas crescem e amadurecem e, ao contrário do que a menina acha, ficam interessantes. É isso que tem de maravilhosa a espécie humana...:)