sábado, dezembro 29, 2007




Este senhor pediu-me para vos desejar boas entradas...e óptimas saídas...

sexta-feira, dezembro 28, 2007

Eu adoro música, todo o tipo... E gosto muito de guitarradas... E neste campo, fui surpreendido há dias por Rodrigo y Gabriela...

quinta-feira, dezembro 27, 2007

Sim, os comentários são moderados mas as pessoas de bem nada tem que se preocupar... Estou certo que compreenderão...

segunda-feira, dezembro 24, 2007

Como não podia deixar de ser, desejo-vos um Óptimo Natal, recheado de coisas boas, sejam elas alimentares ou sentimentais...

domingo, dezembro 23, 2007

Chama-se moderação de comentários e é uma maravilha... Era óptimo que na vida tivessemos o poder de só ouvir opiniões inteligentes, mesmo que contrárias às nossas... Mas ao poder fazer isso aqui já é um sossego... Já agora, a propósito disso, fica aqui um excerto do texto de Luís Filipe Borges na Tabu de ontem:

"Desagradável mesmo é aquela escória anónima que pulula as caixas de comentários da blogosfera. (...) No espírito da época, gostaria de lhes desejar umas Boas Festas - mas duvido seriamente que o Pai Natal tome cobardes por bons meninos. Pior, se assinam sempre "Anónimo" como é que o pobre homem descobrirá onde raio fica a casa do remetente da cartinha?"

Mais nada...

sábado, dezembro 22, 2007

Esscrever é cada vez mais um vício que faço com um sorriso...

quarta-feira, dezembro 19, 2007

De vez em quando lá tenho um anónimo a chatear-me o juízo! Como hoje não tenho muito que dizer, se bem que qualquer assunto que não este anónimo tem mais interesse para vós, decidi mostrar-lhe que o fato disse ser Armani e três números acima do meu! Ora, o fato é Valentino e deixo à vossa consideração o tamanho...

terça-feira, dezembro 18, 2007

A menina Belota diz que sabe o que as mulheres procuram num homem (baseada num artigo qualquer). Decido responder a cada um dos itens...

1) Cheiro bom de homem é… de homem! Um perfume cítrico e aquele cheiro de banho tomado também são óptimos. Mas evite extravagâncias.

Ponho perfume mas não em exagero. Neste momento tenho dois: L'Eau de Issey e Attitude de Armani...

2) Hálito de bebidas alcoólicas excita (de uísque, vodka, vinho e champagne) . De cerveja e pinga, não!

Não tenho por hábito beber de tal forma que fique com hálito, porém posso dizer que um beijo dado a seguir a um trago de vinho tinto tem um sabor divinal...

3) Não se depile, a menos que: a sua mulher peça; você seja nadador; você seja masoquista.

Tiro os pelos num certo sítio, tudo o resto é parvo...

4) Pêlos no peito, não muitos. Em orifícios visíveis, como orelhas e nariz, pedimos clemência e tesourinha sem ponta!

Tenho no peito mas não muitos... Nas orelhas, nunca os tive... No nariz, são bem comportados...

5) Máscaras de creme no rosto, só se você sofrer de micose ou for palhaço de circo.

Máscaras de creme não, mas não abdico de lavar com gel, exfoliar uma ou duas vezes por semana, hidratar e por creme...

6) Homens com músculos definidos nos parecem másculos. Homens musculosos demais nos parecem indefinidos.

A prática desportiva pos-me no primeiro patamar...

7) Se você tem calos na palma da mão, cultive-os (temos sugestões edificantes a respeito!). São úteis para que gritemos na sua cara: Vem,meu estivador, mostra quem manda aqui!

As minhas mãos não tem calos porque não sou estivador, mas se for preciso dou uma palmada no rabinho para mostrar quem manda...

8) Banho antes, sim . Logo depois, nunca! Algum tempo depois… hummmm…pode ser!

Concordo em absoluto.. Se bem que gosto também do banho durante...

9) Não beba álcool demais, nem de menos. Abstémios, hare krishnas, mórmons e adeptos do Pró-vida são assustadores como serial killers.

Já bebi mais, agora bebo pelo prazer do sabor e não pela bebedeira...

10) E lembre-se: se você se olha demais no espelho, acabará encontrando alguém à sua imagem e semelhança, não uma mulher."

Eu gosto é de olhar no espelho e encontrar uma pessoa tranquila e feliz! A mulher eu vou encontrá-la fora do espelho...

Tenho dito...
Muito obrigado pelas mensagens de parabéns... Sinto-me mimado por todos vós...

segunda-feira, dezembro 17, 2007

Como hoje o dono do blog faz anos, livro-vos de aturarem o que escrevo...

terça-feira, dezembro 11, 2007

O compromisso entre duas pessoas não é a relação! É no sentimento que se vê o compromisso. Uma relação é apenas uma ligação formal de todo um conjunto de emoções que nos levam a querer estar com alguém, a sonhar partilhar um presente e um futuro com alguém, a desejar ser e fazer alguém feliz. Isso não se vê numa relação! Porque por vezes somos infelizes numa relação. Quantas vezes deixamos andar uma relação apenas pela monotonia? Quantas vezes o nosso coração não pede mais ou diferente? E nessas alturas, não estamos felizes e nem podemos fazer ninguém feliz. É o sentimento que nos move... É querermos mais até encontrarmos uma felicidade que nos enche, que nos completa! É viver as nossas emoções em conjunto com alguém, é sorrir quando se pensa que existe no mundo alguém que é a outra metade da nossa laranja! Não, amigas e amigos, nas minhas relações rompi quando não estava bem e entendi quando romperam comigo quando não estavam bem. Perdoei uma traição porque posso perceber que poderia não ser o homem da vida dela! E por isso a relação acabou porque terminou o amor... Calmamente... Com respeito... E por isso apoio que se lute sempre! Nunca me ouvirão dizer: Mulheres jamais! Não... Quero sempre ser surpreendido por uma mulher. Quero acreditar que há uma mulher que me completa e que a completo... Mas quero que seja um sentimento a unir-nos, e não apenas uma relação...

segunda-feira, dezembro 10, 2007

Teresa Salgueiro decidiu abandonar os Madredeus. Um dos fundadores, Pedro Ayres Magalhães, vai reflectir sobre a continuidade do grupo. Pois bem, se isso acontecer, é o fim do mais internacional e, para alguns, o melhor grupo português de música. Grandes autores, músicos e intérpretes, os Madredeus eram de facto uma parada de estrelas. Apenas os vi uma vez ao vivo e quis o destino que fosse no concerto deles em Génova quando lá vivia. No fim do concerto pudemos reparar na humildade de todos, na beleza de Teresa e na genialidade aluada de Pedro Ayres de Magalhães. A música portuguesa fica mais pobre mas com a certeza que temos músicos que poderão ter uma carreira a solo igualmente marcante (como Rodrigo Leão tem vindo a provar). Aqui fica o meu tema favorito deles, uma canção muito especial para mim...



Haja o que houver

Haja o que houver
eu estou aqui
haja o que houver
espero por ti
Volta no vento
Ó meu amor
Volta depressa
por favor
Há quanto tempo já esqueci
Porque fiquei
longe de ti
Cada momento
é pior
Volta no vento
por favor

Eu sei, eu sei
Quem és para mim
Haja o que houver
volta para mim

quinta-feira, dezembro 06, 2007

Ontem foi um dia mágico...
"O Sol esperou a Lua, que foi de encontro ao Sol, que anseou pela chegada da Lua, que em pouco tempo esteve perto do Sol... Sol e Lua numa fusão raras vezes vista..."

Perceberam? Um dia destes...

terça-feira, dezembro 04, 2007

Uma prenda perfeita da Lua ao Sol...



Mafalda Veiga
Uma gota

Eu sinto os teus passos
Na escuridão
Pressinto o teu corpo
No ar aqui
E vou como se o mundo todo fosse
Sugado pra dentro de ti
E não houvesse nada a fazer
Se não deixar-me ir

Pressinto os teus gestos
Quando não estás
Procuro os teus sonhos
Perdidos
E hoje mais que qualquer outra noite
Há qualquer coisa que me fere
E que me faz querer tanto ter-te aqui

Não importa
Se às vezes tudo é breve como um sopro
Não importa se for uma gota só
De loucura
Que faça oscilar o teu mundo
E desfaça a fronteira
Entre a lua e o Sol

Se um gesto cair assim
Despedaçado
Se eu não souber
Recolher a dor
Se te esperar a céu aberto
Onde se esconde
O que tu és que eu também sou
É que hoje mais que qualquer outra noite
Há qualquer coisa que me fere
E que me faz querer tanto ter-te aqui

segunda-feira, dezembro 03, 2007

Um grupo que começa a aparecer, uma música que não é maior single, mas sem dúvida uma pérola... E quem não gosta de cuidar e ser cuidado por alguém...



The Fray - Look After You lyrics
Artist: The Fray
Album: How To Save A Life
Year: 2005
Title: Look After You

If I don't say this now I will surely break
As I'm leaving the one I want to take
Forgive the urgency but hurry up and wait
My heart has started to separate

Oh, oh,
Be my baby
Ohhhhh
Oh, oh
Be my baby
I'll look after you

There now, steady love, so few come and don't go
Will you won't you, be the one I'll always know
When I'm losing my control, the city spins around
You're the only one who knows, you slow it down

Oh, oh
Be my baby
Ohhhhhh
Oh, oh
Be my Baby
I'll look after you
And I'll look after you

If ever there was a doubt
My love she leans into me
This most assuredly counts
She says most assuredly

Oh, oh
Be my baby
I'll look after you
After You
Oh, oh
Be my baby
Ohhhhh

It's always have and never hold
You've begun to feel like home
What's mine is yours to leave or take
What's mine is yours to make your own

Oh, oh
Be my baby
Ohhhhh
Oh, oh
Be my baby
I'll look after you

You are so beautiful to me (repeat)

sexta-feira, novembro 30, 2007

Uma música composta por Jobim e Vinicius, e aqui interpretada pelo Rui Veloso e a Leila Pinheiro, só podia dar um momento sublime...



Eu Não Existo Sem Você
Antonio Carlos Jobim / Vinicius de Moraes

Eu sei e você sabe, já que a vida quis assim
Que nada nesse mundo levará você de mim
Eu sei e você sabe que a distância não existe
Que todo grande amor
Só é bem grande se for triste
Por isso, meu amor
Não tenha medo de sofrer
Que todos os caminhos me encaminham pra você

Assim como o oceano
Só é belo com luar
Assim como a canção
Só tem razão se se cantar
Assim como uma nuvem
Só acontece se chover
Assim como o poeta
Só é grande se sofrer
Assim como viver
Sem ter amor não é viver
Não há você sem mim
E eu não existo sem você

quarta-feira, novembro 28, 2007

Hoje podia ter sido um dia perfeito... Podia... Não foi... Melhores dias virão... Acerca do poema que aqui deixei no último post, tenho de o decorar para a aula de voz do próximo Sábado... Querem que vos diga uma coisa? Já tinha saudades de estudar... Sobretudo coisas boas...

segunda-feira, novembro 26, 2007

Atendendo a um pedido, aqui vai o meu poema favorito...

Eis-me acordado
Com o pouco que me sobejou da juventude nas mãos
Estas fotografias onde cruzei os dias
Sem me deter
E por detrás de cada máscara desperta
A morte de quem partiu e se mantém vivo

A luz secou na orla desértica da cidade
Escrevo para sobreviver
Como quem necessita partilhar um segredo

Este corpo em que me escondi
Gastou-se

Quantas noites permanecerão intactas
No fundo do mar? o rosto ainda jovem
Foi o tesouro de seivas que me entonteceu

Pelo corpo condeno-me à vida
De susto em susto à inutilidade da escrita

Mas eis-me acordado
Muito tempo depois de mim
Esperando por alguma fulguração do corpo
Esquecido
À porta do meu próprio inferno

Al Berto

sexta-feira, novembro 23, 2007

Já aqui disse que a imagem de romantismo está sentimentalmente ligada às mulheres e em termos de actos aos homens. Ou seja, é comum ver um homem oferecer flores, chocolates, poemas a uma mulher, mas o contrário nem por isso. Ora, acho errado. Primeiro porque sentimentalmente sou romântico e porque adoro ver actos românticos por uma mulher. E por isso tudo fiquei com um sorriso do tamanho do mundo quando recebi esta música e a frase "feels like fire.."

quarta-feira, novembro 21, 2007

Já confessei aqui que gosto muito dos diálogos de Moulin Rouge. Em termos de argumento e realização este excerto é fantástico. A combinação de diversas músicas que todos conhecemos torna-se divinal numa discussão sobre o amor. Incrível com Baz Luhrmann foi esquecido na altura das nomeações para Melhor Realização...



Christian
Love is a many, splended thing
Love, lifts us up where we belong
All you need is love

Satine
Please, don't start that again

Christian
All you need is love

Satine
A girl has got to eat

Christian
All you need is love

Satine
Or she'll end up on the street

Christian
All you need is love

Satine
Love is just a game

Christian
I was made for loving you baby
You were made for loving me

Satine
The only way of loving me baby is to pay a lovely fee

Christian
Just one night give me just one night

Satine
There's no way
'Cause you can't pay

Christian
In the name of love
One night in the name of love

Satine
You crazy fool, I won't give in to you

Christian
Don't, leave me this way
I can't survive without your sweet love
Oh baby
Don't leave me this way

Satine
You'd think that people would have had enough of silly love songs

Christian
I look around me and I see, it isn't so
Oh no

Satine
Some people want to fill the world, with silly love songs

Christian
Well what's wrong with that
I'd like to know
'Cause here I go, again

Love lifts us up where we belong
Where eagles fly
On a mountain high

Satine
Love makes us act like we are fools
Throw our lives away, for one happy day

Christian
We could be heroes just for one day

Satine
You, you will be mean

Christian
No I won't

Satine
And I, I'll drink all the time

Christian
We should be lovers

Satine
We cant do that

Christian
We should be lovers
And that's a fact

Satine
Though nothing, will keep us together

Christian
We could still try
Both
Just for one day
We could be heroes forever and ever
We could be hereos, forever and ever
We could be hereos

Christian
Just because I.. will always love you

Both
I can't help loving you

Satine
How wonderful life is, now you're in the world

segunda-feira, novembro 19, 2007

Desde Sábado e durante oito meses farei uma formação de actores no Porto. Os formadores são todos bons profissionais e o primeiro dia foi fantástico... Primeiro uma aula de voz com a bela Ana Celeste Ferreira e depois uma aula de interpretação com o alucinante Pedro Mendonça. Ficou uma imensa vontade de ter mais aulas e descobrir um mundo que me fascina...

quinta-feira, novembro 15, 2007

A minha querida Joana, amiga e última colega de trabalho, tirou-me o retrato por escrito... É muito mais fidedigno que quaisquer palavras minhas...

O mundo do Francisco...

A miopia, antes de tudo. Nascer e crescer a ver o mundo desfocado, contorna-se com lentes, certamente. Mas alguns míopes fazem questão de juntar muita atenção, e com essa ver o mundo muito mais claro. Usam lentes com super poderes, obviamente.
O Francisco é um atento ao mundo. Pouco lhe escapa, sobretudo as mulheres bonitas e inteligentes. É sedutor, mas não é caprichoso, e não terá muita paciência para as outras. O olhar m&m (míope e malandro) dá-lhe vantagens na conquista. Os homens bem o podem olhar de frente, mas do Francisco apenas receberão um simpático e tolerante desvio de olhar. Já as mulheres, que tentem a sua sorte, pode ser que ele não desvie logo o olhar.
Em segundo, a diversidade. O Francisco move-se na diversidade do mundo com um à vontade de quem sabe que aí está a maior das riquezas humanas. Defende e fala muito bem a língua materna, mas o mundo fala outras, e ele tem que as saber. É um curioso de muita coisa, e sobretudo não quer saber pouco. Não quer lixo, mas também não parece deslumbrar-se tanto com o luxo. Gosta do bom gosto.
Depois, o mundo do Francisco está escrito. Ele gosta e quer escrever. Ser esse o seu ganha-pão é uma forte hipótese e com a audácia com que enfrenta um mercado de trabalho tão encruzilhado, que a sorte o proteja nessa vontade. Para já, não é ganha-pão, mas o Francisco escreve muito direito por linhas que não parecem nada tortas.
Por último, quem o quiser que o agarre bem, senão o seu (ainda) coração vagabundo não parará de guardar o mundo nele, parafraseando o mestre Caetano.
Se assim for, também não nos importamos. Não queremos é corações vazios.
Hajam míopes como o Francisco. O mundo agradece, não é assim tão cego.

Joana dixit


Joana, muito obrigado...

quarta-feira, novembro 14, 2007

Até pode ser discutível, mas para mim este é o video mais sexy de sempre, com a mais bela modelo de sempre... E já agora é uma declaração de amor fabulosa... Deve ser do nome...

terça-feira, novembro 13, 2007

Ontem, na piscina, uma senhora com os seus 60 anos disse-me que tinha tudo no sítio, acrescentando que a minha menina tinha muita sorte. Agradeci e disse que não tinha menina. Logo retorquiu que era um desperdício e que se tivesse menos 30 anos, me levava embora. Eu respondi que então ela tirava 15 e eu punha 15 e não se falava mais nisso! Foi-se embora a rir e deixou-me com o elogio e um sorriso...

segunda-feira, novembro 12, 2007

A Covinhas desafiou-me a pegar no livro que tou a ler, abrir na página 161 e ler a 5ª frase. Pois bem, estou a ler o livro "Vigílias", uma colectanea de poemas de Al Berto, editado pela Assírio & Alvim. A tal frase é "do alcance do olhar"... Como não gosto de deixar assim nada a meio, tomem o poema todo:

o sono retirou-se dele com o avançar da idade
pouco ou nada sonha
ignora quase tudo o que se passa em redor
e se movimenta e se transforma fora
do alcance do olhar

o mar só existe durante a noite
ladra-lhe furiosamente à janela
desfila como um poldro de mercúrio
no cimo dos ventos o mar é um vislumbre
da futura noite onde respiraremos na água
e se despenham os inabitados corpos

os amigos partiram à procura de maior sustento
só ele permaneceu aqui sentado
com o peso duma mão sobre a testa contempla
o saudoso poldro crepuscular

linha a linha as palavras apagam-se dos livros
nascem cardos no olhos surgem este galgos
acabados de chegar doutro poema longínquo
despertam a loucura
mas ele já não dorme nem se lamenta
nem prevê maior desastre: escrever um diário
e envelhecer


e só não digo que este desafio é perfeito porque na página imediatamente a seguir (162), está o meu poema preferido dele "Eis-me acordado"...

Desafio os 25 blogs que estão nos meus favoritos: Silvia, Nay, Alice, Paixao, Catwoman, Peach, Insaciável, Noivo, Felina, Fausta Paixao, Anjo e Demonio, Nanny, Jade, Laura, Gajas, Iharah, Shelyak, Ebuliente, Pedaços de Mim, Som do Silêncio, Guia das Mulheres para Tótós, Covinhas, Blue Mayfly, Catworld, Take two...

sexta-feira, novembro 09, 2007

Ora cá está mais um belo blog de mulheres a darem cabo dos homens... Chama-se Guia das Mulheres para Tótós e eu gosto de o visitar... Já disse a uma das autoras que elas andam muito agrestes para com os homens, mas eu vou la sempre meter a minha colherada... Não fosse eu um Homem, portanto tenho de nos defender, e não fosse eu Sentimental, ou seja tenho de fazer ver às mulheres que nem todos somos tótós... Visitem-nas...

quarta-feira, novembro 07, 2007

Nunca me deixem ir até um microfone depois de ter bebido uns copos... Dá asneira...





segunda-feira, novembro 05, 2007

Ontem disseram-me na brincadeira que tinha um fraquinho pelo Brad Pitt. Ora bem, entendamo-nos, pelos filmes dele. De facto há dois filmes que ele protagoniza que me agradam especialmente. Dois filmes onde está bem descrito o que deve ser paixão, amor, devoção. No primeiro ele é uma lenda, "a rocha contra qual tudo rebenta". Chama-se Lendas de Paixão e o seu papel de Tristan ficou para a história. A sua primeira dupla com Anthony Hopkins.



O segundo, já falei aqui dele, é o "Meet Joe Black". Nesta cena que mostro ele descreve aquilo que um homem deve ser: apaixonado, dedicado, delicado... Peço desculpa ser em inglês, mas tinha que deixar aqui o diálogo.



YOUNG MAN
Good morning, I was talking kind of loud there, sorry.

SUSAN
Not at all. It was fascinating.

YOUNG MAN
Oh yeah? What was 'fascinating'about it?

SUSAN
You and 'Honey'?

YOUNG MAN
My kid sister. She just broke up with her boyfriend and she's thinking about dropping out of law school.

SUSAN
I'm sorry --

YOUNG MAN
Nothing to be sorry about. That's the way with men and women, isn't it?

SUSAN
What's the way?

YOUNG MAN
Nothing lasts.

SUSAN
I agree --

YOUNG MAN
Why?

SUSAN
I was just being agreeable, now I've got to explain why?

YOUNG MAN
I'm not trying to sharpshoot you, but that 'nothing lasts' stuff, that's what was the trouble with Honey's guy. He was fooling around and Honey caught him at it. One girlfriend wasn't enough for him.

SUSAN
So you're a one-girl guy?

YOUNG MAN
Damn right. Looking for her right now. Who knows? You might be her.

YOUNG MAN (cont'd)
Well, don't laugh. I just arrived in town, got a new job -- I'm trying to get into this apartment. You a doctor?

SUSAN
How'd you know?

YOUNG MAN
Everybody's a doctor around here. This apartment house is all green pajamas and slippers. The guy I'm waiting for to vacate is a doctor. What kind of doctor?

SUSAN
Me? Internal medicine.

YOUNG MAN
So if I needed a doctor, you could be it?

SUSAN
I could be her.

YOUNG MAN
'Her'

SUSAN
Yes, I could. I have an office in the hospital.

YOUNG MAN
-- This is my lucky day. I arrive in this big bad city and I not only find a doctor, a beautiful woman as well.

YOUNG MAN (cont'd)
I'm sorry, you mind my saying that?

SUSAN
Not at all.

YOUNG MAN
How 'bout another cup of coffee?

SUSAN
I've got patients coming in

YOUNG MAN
And I want to get into my apartment and go to work. Please, what do you say, another cup of coffee?

YOUNG MAN (cont'd)
I see you use lots of sugar and cream. Me, too...

YOUNG MAN
...It's kind of a pro bono job.

SUSAN
'Pro bono'. That means doing good-- Going to be doing good all your life?

YOUNG MAN
I know what you're saying. Doesn't pay very well. Depends on the woman I marry. Maybe she'd like a bigger house, a better car, lotsa kids, college doesn't come cheap --

SUSAN
You'd give up what you want for the woman you marry?

YOUNG MAN
I would.

YOUNG MAN (cont'd)
If I married you, I'd want to give you what you wanted, I know it's old fashioned and all that, but what's wrong with taking care of a woman? She takes care of you.

SUSAN
You'll have a hard time finding a woman like that these days --

YOUNG MAN
You never know. Lightning could strike.


SUSAN
I've got to go

YOUNG MAN
Did I say something wrong?

SUSAN
No, it was so right it scares me.

YOUNG MAN
I've been thinking... I don't want you to be my doctor. Because I don't want you to examine me.

SUSAN
Why?

YOUNG MAN
Because I like you so much.You have coffee here every morning,
don't you? If I came by, could you give me the name of a doctor?

SUSAN
Sure, I'll give you the name of a doctor....And I don't want to examine you.

YOUNG MAN
Why not?

SUSAN
Because I like you so much. Now I've got to go.



Já agora está aqui uma bela definição de amor nas palavras de Anthony Hopkins...



William Parrish: Love is passion, obsession, someone you can't live without. If you don't start with that, what are you going to end up with? Fall head over heels. I say find someone you can love like crazy and who'll love you the same way back. And how do you find him? Forget your head and listen to your heart. I'm not hearing any heart. Run the risk, if you get hurt, you'll come back. Because, the truth is there is no sense living your life without this. To make the journey and not fall deeply in love - well, you haven't lived a life at all. You have to try. Because if you haven't tried, you haven't lived.

domingo, novembro 04, 2007

Obrigado por estes dias... Assim se ganham amigos...

terça-feira, outubro 30, 2007

Quando se influencia um amigo a ler certo livro e se lê esta reacção, só se pode ficar contente... E ainda por cima, é o meu livro de sempre...:D

sábado, outubro 27, 2007

Um dos melhores diálogos da história do cinema... E sobretudo uma conversa sobre o que é o amor...



JOE (cont'd)
How are you doing?

PARRISH
What the hell do you care?

JOE
I was just asking, Bill.

PARRISH
You 'want to know', I'll tell you.
You're looking at a man who tonight
is not about to walk through the
Valley of the Shadow of Death, he's
galloping into it. And the same time,
the business he built with his own
hands and his own head is being
commandeered by a couple of cheap
pirates. And, oh yes, I almost
forgot, my daughter's fallen in
love with Death.

Another moment.

JOE
-- And I'm in love with your
daughter.

PARRISH
Say again?

JOE
I'm in love with your daughter, and
I'm taking her with me tonight.

Parrish is stunned.

PARRISH
You're what?

JOE
I think you heard me, Bill.

PARRISH
You're not taking Susan anywhere.
And what the hell does that mean
anyway?

Joe doesn't answer for a moment.

PARRISH (cont'd)
I thought we had a deal.

JOE
I'm sorry, Bill --

PARRISH
Susan is my daughter, she has a
wonderful life ahead of her and
you're going to deprive her of
it and you're telling me you're
sorry? Well, I'm sorry, apology
not accepted.

JOE
I love her, Bill. She is all that
I ever wanted, and I've never wanted
for anything because I've never
wanted anything before, if you can
understand.

PARRISH
How perfect for you -- to take
whatever you want because it
pleases you. It's not love --

JOE
Then what is it?

PARRISH
Some aimless infatuation in which,
for the moment, you feel like in-
dulging. It's missing everything
that matters.

JOE
Which is what?

PARRISH
Trust, responsibility, taking the
weight, for your choices and feel-
ings and spending the rest of your
life living up to them. And above
all, not hurting the object of your
love.

JOE
So that's what love is?

PARRISH
Multiply it by infinity and take it
to the death of forever and you will
still have barely a glimpse of what
I am talking about.

JOE
Those were my words, Bill.

PARRISH
Well, they're mine now.

JOE
Susan wants to come. She says she's
in love with me.

PARRISH
With you?! Who is 'you'? Did you
tell her who you are?

JOE
No.

PARRISH
Does she know where she's going?

PARRISH (cont'd)
Susan went, in whatever way she did,
for that poor sonofabitch whose body
you took, and everything else since
has been aftermath. You say you love
her but you don't know what love is.
She 'loves' you but she doesn't know
who you are. You make a deal, you're
breaking it -- the bottom line is,
Joe, you're conducting a Great
Romance under false pretenses.

JOE
I don't like what you're saying.

PARRISH
I don't expect you to.

JOE
Are you threatening me?

PARRISH
I certainly hope so -- I loved Susan
from the moment she was born, and I
love her now, and every minute in
between, and what I dream of is a
man who will discover her and she
will discover a man who will love
her, who is worthy of her, who is of
this world, of this time and has the
grace and compassion and fortitude
to walk beside her as she makes her
way through this beautiful thing
called life.

JOE
Are you telling me I can't be
part of it?

PARRISH
Why did you come in here and tell
me, Joe? You are the Biggest Shot
of all, you don't have to ask my
permission, but that's what you're
doing. You know why? Because you've
somewhere, somehow, developed into a
good guy, and you know this is all
wrong... I don't know what you're
going to do -- how can this be love?
She doesn't know who you are. Why
don't you tell her? Try it out on
her? See what happens. Reveal
everything there is to know about
yourself and let the chips fall
where they may.

PARRISH (cont'd)
Okay? -- I've given it my best shot.
I wish I could tell you to sleep on
it but...

quinta-feira, outubro 25, 2007

Imaginem que conhecem a mulher/homem perfeita/o. Em termos físicos tem tudo, em termos de gostos tudo bate certo, é inteligente, com sentido de humor. Imaginem agora que essa pessoa acha o mesmo de vocês, que diz que é incrivel a sensação que nós provocamos nela. Agora imaginem que essa pessoa tem namorada/o. Como é que se reage??? Pois...é isso...

quarta-feira, outubro 24, 2007

Todo e qualquer comentário anónimo será apagado... Quem não estiver contente com esse facto que visite outros blogs ou que me venha insultar na cara, que pode ser que leva algo para contar à família...
Há coisas que não entendo... Há umas semanas uma amiga colorida passou uma tarde inteira a mandar-me sms para ir ter com ela, para dormir com ela, para "perder a cabeça com ela", segundas as palavras da própria! Nesse dia não podia mesmo ir ter com ela e disse-o. Disse no entanto que achava que conseguia no dia seguinte ir à cidade dela para estar com ela... Acordou-me no dia seguinte de manhã com uma sms em que me perguntava se era hoje que eu lá iria! Arranjei as coisas de forma a ir lá à hora do almoço e voltar à minha cidade ao fim da tarde porque tinha treino. De facto, cheguei lá e fomos para a cama... Estivemos no mambo horizontal durante a tarde inteira e quando chegou a hora vim embora! Trocamos sms nesse dia à noite e no dia seguinte também o fizemos. Estando eu na minha cidade, tive outras coisas para tratar durante uns dias, mas as duas vezes que a encontrei na net falamos um pouco! Ela disse na brincadeira que se ia vingar da coça que levou e eu disse que tinha de cumprir a promessa! Tudo normal, certo? Ora bem, na semana passada fui até ao Porto e perguntei se ela estaria por lá e se queria estar comigo. Respondeu agrestemente que não e eu disse tudo bem! Ontem, mesmo não estando lá, decidi mandar um beijo por sms e perguntar se ela já estava menos agreste! Ora a resposta foi "Se queres saber ainda estou com "azia". Vieste aqui, deste uma, desapareceste, e só voltaste a falar quando houve oportunidade para dar outra."! Fiquei varado, para não dizer chateado. Porque raio é que fui eu a dar uma???? Ela deu-me cabo da cabeça para eu ir lá ter com ela e "dar uma". Esteve tantos dias sem dizer nada como eu, porque sempre que falou comigo eu falei com ela e vice-versa, porque raio é que eu seria o canalha nesta estória?? Porque é que havendo igualdade em tudo, fui eu que a terei usado e não o contrário??? É que se eu pensar que fui usado porque ela estava excitada, porra, digo, tudo bem... Foi uma escolha minha, podia não ter andado para trás e para a frente só para "dar uma"... Mas nunca iria dizer passados uns dias: ah, nunca mais quiseste saber de mim e blá blá... Sei que com isto tudo, e apesar de ter gostado muito de ter estado com ela, não mais acontecerá nada! Dace, tenho mais que fazer que aturar malucos...

terça-feira, outubro 23, 2007

Confesso que adoro "chick flicks", ou seja, filmes chamados de "gaja"...:) Não tenho receio nenhum em admitir.. As pessoas que me são mais próximas sabem que não tenho nada contra um filme de "mel"!! Porque, afinal, precisamos de tudo na vida, até de filmes românticos... Este é o "Como perder um homem em 10 dias"! Sugestivo...:)



segunda-feira, outubro 22, 2007

Obrigado por ficares, linda... De facto não é fácil mas temos de resistir...



I can't stand to fly I'm not that naive

I'm just out to find The better part of me

I'm more than a bird I'm more than a plane

More than some pretty facebeside a train

It's not easy to be me

Wish that I could cry

Fall upon my knees

Find a way to lie

About a home I'll never see

It may sound absurd but don't be naive-

Even Heroes have the right to bleed

I may be disturbed but won't you concede?

Even Heroes have the right to dream

It's not easy to be me

Up, up and away: away from me

It's all right You can all sleep sound tonight

I'm not crazy or anything

I can't stand to fly

I'm not that naive

Men weren't meant to ride

With clouds between their knees

I'm only a man in a silly red sheet

Digging for kryptonite on this one way street

Only a man in a funny red sheet

Looking for special things inside of me

It's not easy to be me.

sábado, outubro 20, 2007

Não partas, bela menina... Depois de me teres convencido a ficar neste mundo, não podes tu sair... Um blog não nos define, não nos caracteriza, é apenas uma parte de todo um universo de sentimentos e actos que nós somos...
Beijo enorme

sexta-feira, outubro 19, 2007

Confesso que nunca vi o filme, mas depois deste post maravilhoso, fiquei com vontade de ver...

quinta-feira, outubro 18, 2007

Na cadeira de Raça e Etnicidade na Universidade, tive de fazer um trabalho sobre este mesmo assunto. Acho que é um dos crimes mais hediondos que pode haver. Assim, quando este blogger me pediu para assinar esta petição para parar este flagelo da mutilação genital. Ficam aqui algumas palavras sobre o assunto, presentes no mesmo blog...

A mutilação genital e a tortura mais atroz que se pode infringir a um ser vivente, e estamos falando de seres humanos, meninas inocentes que são cortadas com uma gilete e sem nenhuma anestesia retirando o clítoris bem profundamente para não ficar resto.
Depois cortam eliminam os pequenos lábios e corta-se a parte interior dos grandes lábios, e depois faz-se buracos com espinhos de acácia uma planta africana, depois costura para ficar como se nunca tivesse existido o sexo ali deixam apenas uma abertura do tamanho de um grão de arroz para sair a urina, elas levam meia hora a urinar de tão pequeno que é a abertura, e menstruação dura 15 dias.
No dia do casamento, o marido corta novamente com faca ou gilette para poder penetrar ou ele penetra a força e rasga tudo é ele quem decide é dele ele faz o que quiser, os gritos são tantos que a cidade inteira sabe que ali tem uma adolescente sendo desflorada e normalmente enquanto a menina desmaia de dor o povo faz a festa, ela vai passar 15 dias sangrando e 3 meses com dores é isto a mutilação genital para que não sabe.
A operação dura uma hora e vinte minutos enquanto isso ela desmaia e volta a si desmaia e volta a si, em muitos casos elas morrem de hemorragia ou de tetano, em outros elas nunca mais conseguem falar uma palavra de tão doloroso que é elas dizem que não há explicação nem comparação a nenhuma outra.
A tortura continua pois cada vez que elas vão dar a luz a parteiras abre com faca e costura novamente para ficar pequeno de novo como um grão de arroz para o marido abrir com penes ou com a faca em muitas tribos mesmo o orifício vaginal é cortado e costurado novamente para diminuir, todo esse suplicio é para aumentar o prazer masculino enquanto a mulheres não sentem nem desejo e tem prazer nenhum pois o clítoris foi retirado.

terça-feira, outubro 16, 2007

Gosto destas estórias, sobretudo num país que tenho afinidade (Argentina). Daniela Cott tem 15 anos e era apenas uma das centenas de cartoneros (pessoas que recuperam cartão para vender ao peso) de Buenos Aires. Estaria condenada a uma vida de miséria. Mas num dia de Agosto deste ano, um fotógrafo da Haru Models começa a tirar-lhe fotos e dá-lhe um cartão da agência. Pois bem, neste momento é uma das modelos argentinas mais bem pagas. Ah, querem ver a menina? Está aqui...

sábado, outubro 13, 2007

Se alguém conhecer esta menina, é favor dar o meu número de telemóvel...:D

quinta-feira, outubro 11, 2007

Confesso que em tempos gostava de ver telenovelas! A minha preferida, aquela que se pudesse comprava os episódios todos à Globo, será sempre Pedra sobre Pedra. Quem não se lembra da guerra entre Murilo Pontes e Pilar Batista...



Uma novela onde as meninas suspiravam por Mauricio Mattar...



E eu entretinha-me com:

Isadora Ribeiro...



Teresa Seiblitz...



Carla Marins...



E sobretudo Luisa Tomé...


Ora bem, juntemos boa música com belas mulheres... Primeiro com o grupo Xaile! Uma loira (algarvia Marie), uma ruiva (transmontana Lília) e uma morena (açoreana Bia). Juntas cantam e encantam...



Outra proposta é Maria Isabel "Cuca" Roseta. Tem 25 anos, é uma bela fadista e dentro em pouco será uma mãe feliz. Podem ouvi-la no filme Fado de Carlos Saura ou no CD que está a ser produzido por Gustava Santaolalla (vencedor de 2 Oscars e 11 Grammies)...

quarta-feira, outubro 10, 2007

Não sei se és feitiço ou maldição... Sei que não sais da minha vida... Parece que não consigo dar um passo em frente nas relações porque não houve um fim nosso... Porque dizes que não consegues comigo ou sem mim... Porque eu não consigo viver como vivemos mas não consigo viver sem pensar o que seria se te tivesse tido verdadeiramente... Como eu queria ter-te como ele te teve... Única, completa, repleta, pronta para te perderes... Como eu queria que entrasses pela minha porta agora e me dissesses que me adoravas... Como eu ainda me lembro bem do teu cheiro, o teu sabor, a doce voz, a tua suave presença... O corpo pode andar por aqui mas o coração anda longe...

terça-feira, outubro 09, 2007

Ontem deixei um vídeo onde palavras não eram precisas... Pois bem, hoje transcrevo um texto de José Cutileiro que vinha no Expresso de Sábado. Quero que leiam e me digam o que pensam...

Viveram uma das maiores histórias de amor de que há memória. Depois de 58 anos de vida em comum, contrariaram o destino e não sobreviveram à morte um do outro.

Dorine e André Gorz, nascidos a poucos meses um do outro, ele na Áustria e ela em Inglaterra, que se tinham conhecido em Lausanne na noite de neve de 23 de Outubro de 1947 quando ele a convidara para irem dançar e desde essa noite nunca mais se tinham separado, morreram juntos na passada noite de 23 para 24 de Setembro, na sua casa no campo em Vosnon, perto de Troyes, no departamento de Aube, para onde tinham ido viver há vinte anos, quando o filósofo se reformara da sua actividade jornalística e editorial em Paris, e onde continuavam até há poucos meses - até à evolução da doença degenerativa de Dorine, complicada pelo aparecimento de um cancro - a receber amigos e peregrinos vários: jovens dirigentes políticos e sindicais, universitários preparando teses sobre os seus livros, que vinham conhecer e venerar uma das figuras mais originais da intelectualidade francesa do pós-guerra e que era, além disso, um homem encantador, a metade pública de um casal de que toda a gente gostava e cuja felicidade fazia a inveja de alguns. Na noite de 23 ele pregou na parte de fora da porta de entrada da casa, que dava sobre a relva do jardim, um papel com um recado simples: "Prevenir a polícia - Há cartas escritas". Depois subiu, deitou-se ao lado da mulher e tomaram os dois os comprimidos precisos para não tornarem a acordar. De manhã, uma vizinha amiga, inquieta por André Gorz lhe ter dito dias antes, a chorar, estar desesperado porque o sofrimento de Dorine aumentara muitíssimo, veio ver como estavam as coisas e levou à polícia o papel e as cartas para entrega a próximos do casal.

O último livro de Gorz, publicado em Setembro do ano passado, não fora como os anteriores um ensaio histórico-filosófico ou uma investigação sociológica mas uma longa carta de amor. Intitulado 'Cartas a D.. História de um amor', acabava assim: "Cada um de nós gostaria de não sobreviver à morte do outro. Temo-nos dito que se, por absurdo, tivéssemos uma segunda vida, quereríamos passá-la juntos". A um jornalista que lhe perguntara, quando o livro fora publicado, se, como Arthur Koestler (autor de 'O Zero e o Infinito') e sua mulher, ele e Dorine pensavam deixar o mundo juntos, respondera: "Falámos desse suicídio a dois quando soubemos. Mas era a história deles. Nem eu penso nisso nem ela. Dorine e eu vivemos o infinito de cada instante, sabendo que é finito, e está bem assim. Para nós o presente chega". O livro começava: "Vais fazer oitenta e dois anos. Perdeste seis centímetros de altura, só pesas quarenta e cinco quilos e continuas bela, graciosa e apetecível. Vivemos juntos há cinquenta e oito anos e amo-te mais do que nunca. Sinto outra vez no fundo do meu peito um vazio devorador que só o calor do teu corpo contra o meu pode encher".

André Gorz nascera Gerard Host (era Gerard que Dorine lhe chamava) em Viena, filho de pai judeu que se converteria ao catolicismo e de mãe católica, de família dada às letras. Quando a Alemanha nazi e a Áustria se juntaram em 1938, a mãe mandou-o para a Suíça, onde se formou em engenharia química, apátrida mas ao abrigo de "pogroms" durante os anos da guerra. Fascinado por fenomenologia e existencialismo, conhece Sartre em Lausanne em 1947 e esse encontro é capital. Em 1949 vai para Paris, escreve no 'L'Express' e vem a ser co-fundador do 'Nouvel Observateur' sob o nome de Michel Bosquet. Entretanto é responsável editorial de 'Les Temps Modernes' e pratica filosofia, aplicada a reformas revolucionárias, no caldo de cultura franco-alemão marxista e existencialista, animado também por Marcuse e outros próceres da escola de Frankfurt, a cujos efeitos deletérios poucos, além de Raymond Aron, escaparam em Paris. Gorz repudiou muito disso, interessou-se por ecologia e fez reflexões estimulantes sobre o trabalho nas sociedades pós-industriais - porventura o seu melhor legado intelectual.

Mas mais do que isto foi o amor de Gerard e Dorine, e por ele serão lembrados.

segunda-feira, outubro 08, 2007

Tudo que eu possa dizer só estragará o filme... Deliciem-se...

quinta-feira, outubro 04, 2007

Pronto, pronto, não batam mais no ceguinho... Cá me encontram! Ao vivo, a cores e aberto a toda a gente... Salvo seja! Vem ai fim de semana comprido e é ver-me num casamento amanhã em Coimbra e a seguir a apreciar os prazeres da vida por Aveiro e Mira... Já dizia o outro "They may take our lives but they will never take
our freedom!"



PS- Confesso que esta música me apela "lacrimalmente"...

quarta-feira, outubro 03, 2007

Ora cá estou eu para me explicar... Quando escrevemos na blogosfera estamos sujeitos a elogios e críticas, defesas e ataques, deferências e insultos. Tento ir levando as coisas com calma! No meu outro mundo, normalmente falo de coisas mais mundanas, em que a minha opinião é apenas mais uma. E se não concordam com ela, respeito e eventualmente defendo a minha. Ora aqui neste Diário, eu dou opiniões sobre algumas coisas, mas sobretudo exponho-me. Exponho a minha maneira de ser, de pensar, de agir, enfim, de viver. E quando, como há uns dias, tenho de levar com insultos gratuitos, cansa-me um bocado. Se é para dar uma opinião, que a fundamentem com algo mais do que ser do contra. Então quando me dão o lugar de destaque na crítica num blog, acho que é uma notoriedade que não procuro e que não me traz nada de novo...
Ao contrário do que dizem, não vim para a blogosfera para conhecer pessoas e muito menos "comer gajas". Vim porque a necessidade de escrever, encontrou aqui abrigo. E que me critiquem a escrita, tudo bem. Criticar como pessoa, quando só me conhecem as palavras, acho ridículo. Vai daí, penso se não será tempo de tornar este blog (não tanto o outro), num blog privado! Bem sei que vai um pouco contra o conceito alargado da blogosfera, mas também é verdade que a blogosfera deveria ter um código de respeito que nem sempre é respeitado. Este espaço é meu, mas é também vosso. E nunca seria capaz de o tornar privado sem perguntar o que pensam... Assim sendo, que pensam?

segunda-feira, outubro 01, 2007

Este blog irá sofrer uma ligeira alteração.. Mas amanhã ou quarta digo qual é...

sexta-feira, setembro 28, 2007

E obrigado Alice por este estranho desafio...

- Nomear 5 bloggers (não exclusivamente do sexo oposto) que, pelas razões mais diversas, imaginem ser bons na cama.
- Expliquem, em traços gerais, o que é, para vocês, a definição de "bom na cama". Se quiserem desenvolver e explicar as vossas escolhas, parece-nos bem.
- Deixar um comentário no blog dessa pessoa para que saiba que foi nomeada. O ideal será escreverem: "Acho que és bom/ boa na cama. Desafio-te no meu blog...", mas poderão ser mais comedidos.

Primeiro, não nomeio cinco, quero que toda a gente responda a isto porque tem piada...

Segundo, para mim ser "bom na cama", é dar prazer no nosso prazer na busca do prazer comum. Isto até parece um lugar comum, logo eu que fui que acusado de só escrever lugares comuns! Mas acho que é a explicação mais simples...

Por último, não deixarei nenhum comment no blog das outras pessoas, até porque fui acusado de querer comer tudo que fosse mulher blogger...:D


Obrigado, Inês por este prémio que muito me orgulha... Considerem-se todos nomeados... Aqui estão as condições..

CONDIÇÕES ORIGINAIS Prémio Blog Solidário:
"Existen muchos premios y galardones con prestigio y solera a lo largo del planeta que se otorgan a personas que hayan resaltado por alguna técnica o actividad.
Siguiendo la moda de los premios blogger en la blogosfera, he tenido la idea de hacer uno dedicado a los blogs que destacan o han destacado en alguna ocasión por su solidaridad con los demás, tanto a nivel general como individual. Creo que se merecen una especial distinción y debemos demostrarles nuestro agradecimiento y cariño en este mundo en el que corre mucho egoísmo e indiferencia.
Además, gracias a estos blogs solidarios podemos promocionar una vez más la blogosfera.
Las condiciones para otorgarlo son las siguientes:
1º Escribir un post mostrando el PREMIO y citar el nombre del blog que te lo regala y enlazarlo al post que te nombra. (De esta manera se podrá seguir la cadena).
2º Elegir un mínimo de 7 blogs que creas que se han destacado alguna vez por ayudar, apoyar y compartir. Poner sus nombres y los enlaces a ellos. (Avisarles).
3º Opcional. Exhibir el PREMIO con orgullo en tu blog haciendo enlace al post que escribes sobre él y lo otorgas a otros.

quinta-feira, setembro 27, 2007

Pediram-me para falar de tentações (por uma bela Folha de Outono) e de escolhas (por uma bela Blue Mayfly). Decidi juntar os dois temas porque na minha opinião um se liga ao outro. Falo primeiro sobre tentações. Creio que foi Oscar Wilde que disse que a única forma de escapar a uma tentação é ceder-lhe. Tendo a concordar. Há uma curiosidade intrínseca ao ser humano que nos faz ter tentações. Algo que poderá ser prejudicial ou não, mas que tem um lado ligeiramente ou não proibido. Ora então qual é a linha divisória do que devemos ceder ou não? Aqui entra o segundo tema, as escolhas. é o lado racional que tem de imperar no nosso julgamento das tentações. Se é uma tentação inofensiva (como um chocolate, um bolo, um luxo), a minha opinião é que se deve ceder. É viver a vida com os prazeres que ela traz. Agora se a tentação engloba uma outra pessoa isso já é diferente. Apesar de defender que cada um deve procurar a sua felicidade, deve ter em conta quando mexe com sentimentos de outra pessoa. A tentação de, por exemplo, estar com uma pessoa que desejamos tem de ser avaliada. Não concordo quando temos uma relação, quando ela tem uma relação, quando há um engano. Ou seja, não concordo quando a tentação se transforma em capricho...

quarta-feira, setembro 26, 2007

Nunca pensei que um simples post meu fizesse tanta gente aparecer a dar palpites... Pessoas que nunca tinham comentado no meu blog apareceram com os mais estranhos fetiches. Alguns tive mesmo que apagar porque eram pura e simplesmente parvos... A pista que vos dou e fará com que cheguem lá é esta...

terça-feira, setembro 25, 2007

Pronto já posso casar... Não, não é que tenha namorada... Apenas por cumpri o único fetiche que tinha... Qual é? Isso agora...:)

sábado, setembro 22, 2007

Já que fiz o primeiro aviso, mas o Tiago pediu-me para deixar aqui o segundo...

Boas, houve uma alteraçao na data e local do lançamento do meu livro Versos Nus.
Agora é:
Lisboa, 29 de Setembro - 16.00 - Magnolia Caffé (Praça de Londres)
www.tiagonene.pt.vu

sexta-feira, setembro 21, 2007



A música Será do Pedro Abrunhosa é uma das minhas músicas de eleição. Não tanto pela interpretação nem pela melodia mas mesmo pela força da letra. Já confessei noutro local que um dos receios que tenho numa relação é a impotência de lutar contra o fim. Por exemplo, a morte da pessoa que gosto é uma ideia terrível mas se ela estivesse em coma era ainda mais aterrador. O sentimento de estar nas mãos do destino pode ser cruel. Sobretudo se estamos a falar da pessoa que amamos. A palavra "será" é brutalmente real e ambigua. Quase sempre designa dois ou mais caminhos, e há sempre um caminho melhor que o outro. Ou menos difícil... Proponho-vos um exercício... Carreguem no play, fechem os olhos e imaginem que é a/o vossa/vosso companheira/companheiro que está para partir... No fim, abram os olhos e aproveitem a vida ao máximo.. É o que faço todos os dias...

quinta-feira, setembro 20, 2007

Ontem tive um daqueles dias em que nada corre bem... E que ainda por cima parece que toda a gente pega comigo. E que falo chinês e as pessoas não me compreendem. É quando fico realmente mau! Dizem que é quando fico melhor na cama, mas olhem nem isso pude comprovar. Fui para a cama mas foi dormir... Hoje é outro dia...

quarta-feira, setembro 19, 2007

Hoje tirou tudo o dia para me chatear...



Quem quiser que perceba...

terça-feira, setembro 18, 2007

Inacreditável... Fez dia 15 de Setembro, um ano que comecei este blog... Garanto-vos que não pensei que já fosse há tanto tempo... Comecei um pouco rebelde... Estava zangado com as relações... E eis que me encontro um pouco na mesma passado um ano... Tantas mulheres depois... Não sei... Não sei se é fado ou destino, ou se a vida é mesmo assim... Vocês foram acompanhando estas minhas confissões neste Diário virtual... Tenho defeitos e qualidades... Foram conhecendo algumas... Precisava deste espaço para falar mais sobre mim... Sentimentos, emoções, relações, ralações... Aqui vos disse que tava farto de namoros, aqui disse que namorava... Incrivel... A vida de um homem... Despojada de medos ou segredos... Continuarei a partilhar convosco... Espero que gostem... Obrigado a todas e a todos...

segunda-feira, setembro 17, 2007

Quando um post como este me faz sorrir tanto, tenho de o mostrar a todos vocês... Belo post, como a autora...

sexta-feira, setembro 14, 2007

Entre um amigo e uma mulher, escolho o amigo. Explico-me. Algumas vezes na vida fui confrontado com a situação de um amigo estar interessado na mesma mulher que eu. Em todas as ocasiões, preferi saltar fora. Por várias razões. Primeiro, uma amizade verdadeira dura normalmente mais que qualquer amor. Porque se rege por normas diferentes, porque está menos sujeita a sentimentos tão erosivos (como paixão, ciúme, etc.)). Segundo, a vida dá muitas voltas e é sempre possível que eu e a menina em questão nos encontramos noutro cruzamento da vida. Sim, porque se é verdade que enquanto namorar com o amigo ela é apenas amiga, quando deixar de o ser pode perfeitamente ser algo mais. Ter namorado com um amigo não lhe arranca nenhum bocado...
Esta conversa lembra-me também outra situação. Já aqui falei o quanto é importante que os amigos gostem da namorada. Porque amigos e namorada duas faces do quadrado dos sentimentos (sendo a família e nós próprios as outras duas). Ora, um dia destes estava com um dos meus melhores e mais antigos amigos. Estava ele a dizer-me que tinha encontrado a minha ex-namorada na noite anterior. Ela estava sóbria e não estava a fazer nada de errado (sendo que era livre de o fazer), mas ele disse-lhe a ela que se a visse com outro me iria dizer. Porque eu é que sou o amigo, não ela. Não sei como é com as mulheres, mas de facto enquanto amigos, os homens tem este código de conduta. é preciso algum tempo para que a namorada ou namorado de um amigo ou amiga se torne de facto uma amiga ou amigo. Porque não haja dúvidas, apesar de se dizer que somos insensíveis ou frios, nos fins de relações estamos lá para apoiar qualquer amigo. E não nos coibimos de dizer mal da pessoa para que o nosso amigo se sinta bem. Amigo é amigo! É óbvio que há casos, e tenho a sorte de ter alguns, em que a ex-namorada é de tal forma integrada no grupo que não se toma partidos. Mas para isso é preciso também que a relação acabe bem...
Seja como for, e voltando ao princípio, quando me vejo num triângulo amoroso com um amigo, salto fora e espero que eles se entendam...

quinta-feira, setembro 13, 2007

Foi-me pedido que divulgasse um livro. Isso faço sempre com prazer... Então é assim:

No próximo dia 29 de Setembro, pelas 19.30, no Onda Jazz, em Lisboa, (www.ondajazz.com), vai ter lugar o lançamento do meu livro, Versos Nus
A poesia deste livro está carregada de influências literárias estrangeiras, tais como Allen GInsberg, Uberto Stabile ou Charles Bukowski.

O escritor chama-se Tiago Nené e podem ver a página dele aqui. Eu não poderei ir a Lisboa nesse dia, mas quem for que me diga como correu...

quarta-feira, setembro 12, 2007

Sou sincero, não gosto muito deste tipo de desafios... Gosto mais do que desafiam a minha escrita! Porém, atendendo aos pedidos desta menina e desta menina, digo que:

1º - Dia mais triste da minha vida : Quando entendi que o Mundo não é perfeito...
2º - Dia mais feliz: Quando entendi que o Mundo não precisa de ser perfeito para ser lindo...
3º - Manias: Tentar alegrar quem está triste.
4º - Filme preferido: Tantos... Fico-me pelo Crash...
5º - Poeta da minha eleição: Não gosto muito de poesia, mas Pablo Neruda.
6º - Comida preferida: dependo do país, ou seja, cozido à portuguesa, picanha, lasanha, etc...
7º - Sou... sincero.
8º - Viagem de sonho: a próxima... Aquela que me levar a descobrir-me cada vez mais...
9º - Gosto.. da vida, com tudo de bom e mau que ela traz...

Não passo a ninguém, quem quiser que responda. Hoje estou rebelde...



Rebel Rebel
David Bowie

segunda-feira, setembro 10, 2007

Tenho que vos agradecer pelos temas fantásticos... Podem continuar a dar ideias... Vou anotar e serão feitos textos para todos...

sábado, setembro 08, 2007

Normalmente nos desafios, eu daria o tema e vocês dariam o texto... Inverto as regras... Deem o tema para pequenas estórias, eu farei o texto... Apetece-me escrever...

sexta-feira, setembro 07, 2007



Já em Fevereiro tinha posto esta música... Estou a precisar de um tempo sozinho. Não se preocupem que está tudo bem!:) Apenas cansa ter o coração sempre a reagir. Quero dedicar-me a coisas mais tranquilas. Como a cultura, as viagens, a escrita. Por falar nisso, amanhã haverá desafio...

terça-feira, setembro 04, 2007

Este casal amigo deu-me um belo prémio...



Que distingue os blogs que interage com os leitores, fazendo assim conversas em vez de monólogos.

Ora, tenho de passar a 5 pessoas. Vários bloggers interagem, mas os que o fazem mais frequentemente e rapidamente são:

Alice
Nanny
Gajas
Ebuliente
Covinhas

Já sabem, chutem para outros...

segunda-feira, setembro 03, 2007

nunca soube escrever poesia... É um handicap meu... Só escrevi um poema em condições e porque a motivação era a melhor de todas... Creio que isto acontece porque para mim o poema deve rimar... Mas agora vejo poemas que não rimam... E isso para mim é prosa cortada... Assim sendo prefiro escrever versos a poemas...

"Fourteen, fifteen,
my body claims,
but in thirteen,
my heart remains..."

Quem perceber isto, olha.. é bruxo...:D

sábado, setembro 01, 2007

Esta música, cujo original pode ser visto aqui, foi criada por Violeta Parra e imortalizada pela alegria da Elis Regina. No entanto decidi por aqui a versão cantada por Mercedes Sosa, por ser a de melhor qualidade sonora e porque acho que é a voz que mais se encaixa na melodia... Seja como for esta passou a ser umas das minhas músicas... Gracias a la vida...




PS- Decidi por o conto "Reencontro" aqui...

sexta-feira, agosto 31, 2007

Estou sempre a aprender coisas com este senhor...
Aqui está a segunda parte do desafio... Para quem não viu amanhã ponho o texto todo aqui... Espero que gostem...

quinta-feira, agosto 30, 2007

Fiz há poucos meses o teste do HIV. Não que tivesse corrido riscos , mas para eliminar incertezas. Recebi o resultado negativo calmamente. Mas imaginei se assim não fosse. O imaginar de quando tinha sido, de quem tinha sido, o avisar de todas as pessoas com que tivesse tido relações depois disso. A angústia e sensação de culpa deve ser esmagadora. Dei por mim a imaginar, mas muitas pessoas debatem-se com esta realidade.

terça-feira, agosto 28, 2007

Ora bem, há umas semanas esta bela menina desafiou-me. Havia o pressuposto de ser uma estória moderna de Pedro e Leonor e uma das variantes era que ambos fossem casados e tivessem um caso extra-conjugal. Estive uns dias sem inspiração. Confesso que alterei ligeiramente as coisas. Não usei nomes. Pode ser Pedro e Leonor como qualquer um de nós. Fi-lo porque na minha mente a personagem era eu. Chega de falatório. Vão até aqui e leiam a primeira parte do texto... Óptima escolha de música por parte da autora do blog...

segunda-feira, agosto 27, 2007

Gosto muito da versão original, mas este senhor consegue sempre dar o seu cunho pessoal...

sábado, agosto 25, 2007

Não é a mais alegre das músicas, mas é belíssima e sempre fui uma das minhas favoritas... Ouçam-na, deixem-se enredar pela melodia, deixem-se enfeitiçar pelas palavras, levantem-se e dancem sozinhos... Como um fogo...



It's a fire
Portishead

It's a fire
These dreams they pass me by
This salvation I desire
Keeps getting me down

Cos we need to
Recognise mistakes
For time and again

So let it be known for what we believe in
I can see no reason for it to fail

Cos this life is a farce
I can't breathe through this mask
Like a fool
So breathe on, sister breathe on

From this oneself
Testify or tell
It's fooling us now

So let it be known for what we believe in
I can see no reason for it to fail

Cos this life is a farce
I can't breathe through this mask
Like a fool
So breathe on, little sister, breathe on
Ohh so breathe on, little sister, like a fool

sexta-feira, agosto 24, 2007

Gosto muito de curtas metragens. Penso que se escrevesse para cinema, seria para este tipo rápido de película. Ao ver o filme que aqui deixei ontem,lembrei-me de um episódio que estava já esquecido. Algumas pessoas já conhecem mas será uma novidade para a maioria.

Há uns três anos, estava a fazer os exames para a carreira diplomática. Esses exames obrigavam-me a ir a Lisboa várias vezes. Numadas provas (inglês e francês) fui carregado com vários dicionários. O meu Alfa, fiquei íntimo deste meio de transporte, parou como de costume na estação do Oriente. Normalmente eu ficava numa Residencial (Midi, para ser mais exacto) que fica ali no Campo Grande. Ora para lá chegar precisava apanhar o Metro. Para quem conhece o metro lisboeta, a linha vermelha sai do Oriente até à Alameda, onde depois se tem de trocar para a linha verde. Entrei então no Oriente e no banco à minha frente, um lugar desviado à esquerda, sentou-se uma bela jovem. Logo que o metro arrancou, o nosso olhar fixou-se um no outro e um sorriso aflorou os nossos lábios. Na estação seguinte, Cabo Ruivo para quem não sabe, duas senhoras mais idosas sentaram-se nos lugares disponíveis, ou seja, os dois lugares na diagonal onde estavamaos. Enquanto estabeleciamos um diálogo de olhares, as duas senhoras encetaram uma conversa menos silenciosa. Foi um desfiar do rosário de doenças e maleitas que cada uma tinha. Ao longo da viagem contra a vontade de rir perante tão improvável discurso. Finalmente chegamos à Alameda, já cúmplices. Mas eis que seguiamos para destinos contrários, se não me engano Telheiras e Cais dos Sodré. Vimo-nos em lados opostos da plataforma do Metro. Fiz um último sorriso como cumprimento à bela menina e eis que ela me indica o caminho das escadas. Subi a custo com todo o peso do saco e dos dicionários. Encontramo-nos a meio do caminho. Olhei os seus lábios de onde saiu a pergunta:
- De onde és?
- Do norte - respondi.
- Pena!- dito isto, deu-me um beijo nos lábios e virou-se. Com as coisas todas a impedir-me de correr, só tive tempo para perguntar:
- Como te chamas?
- Sofia. - foi a resposta antes de embarcar para o metro...

Nunca mais soube nada dela. Serviu-me este episódio para saber que a vida é feita de encontros e desencontros. Já encontrei e perdi várias pessoas. Apenas quero que seja sempre por culpa do destino que as perco e não por cobardia minha...

quinta-feira, agosto 23, 2007

Vejam e comentem... Amanha conto uma estória...

quarta-feira, agosto 22, 2007

Fui vaguear por esse país fora. Encontrei a minha escrita. Trouxe belas recordações. Agora, é tempo para mim. Para me encontrar e para encontrar o meu caminho...

domingo, agosto 19, 2007

Nunca esta música teve um significado tão amargamente verdadeiro... É o cansaço de quem pede que o reconquistem. Poderá vir alguém que me ganhe, mas queria ter já uma SafiRa...



Sozinho
Caetano Veloso

Às vezes, no silêncio da noite
Eu fico imaginando nós dois
Eu fico ali sonhando acordado, juntando
o antes, o agora e o depois
por que você me deixa tão solto?
por que você não cola em mim?
Tô me sentindo muito sozinho!
Não sou nem quero ser o seu dono
É que um carinho às vezes cai bem
Eu tenho meus segredos e planos secretos
só abro pra você mais ninguém
por que você me esquece e some?
e se eu me interessar por alguém?
e se ela, de repente, me ganha?
Quando a gente gosta
é claro que a gente cuida
fala que me ama
só que é da boca pra fora
ou você me engana
ou não está madura
onde está você agora?
Quando a gente gosta
é claro que a gente cuida
fala que me ama
só que é da boca pra fora
ou você me engana
ou não está madura
onde está você agora?
Disse ácido, hoje digo dividido... Porque sim... Porque é possivel corpo e mente estarem esparsos... Se o coração está seguro do que sente, o resto tem de continuar a viver... O romantico, o carinhoso, o fofo tem de ser conquistado. Mas ele só se deixa conquistar por quem quer... Terão aqui as duas versões de mim mesmo. O fofo demonstrará saudade e tristeza. O outro, o que chamo de cabrão, estará com o sorriso e a marotice de sempre. Assim é a complexidade do ser humano, assim é mesmo o mais simples dos homens...

sexta-feira, agosto 17, 2007

Depois de Cuba é tempo de regressar ao blog... E logo com uma novidade... O meu coração está em pausa por isso é capaz de haver alguma acidez nas palavras... Ou seja, o cabrão está com ascendente sobre o fofo...

Há dias ouvi algo que tenho de concordar:
"Podemos foder com uma mulher, podemos fazer sexo com uma mulher, podemos fazer amor com uma mulher. Quando fazemos tudo isto com a mesma mulher, encontramos a alma gémea porque satisfazemos corpo, mente e alma..."

quinta-feira, agosto 16, 2007

Finalmente os vídeos de Cuba...



A nossa praia de Cuba...



Um charuto para o Guiness



Uma festa em Cuba...



O Paolo (canadiano) a dizer:
Está murcho o chouriço, ou estás forte do chouriço! Está para baixo ou está para cima...Putas Caralho!! (que fique registado que nenhum dos portugueses presentes ensinou nada disto)...

terça-feira, agosto 14, 2007

Prometi fotos.... Cumpro agora... Ficam a faltar os vídeos...

No aeroporto de Lisboa! A cara de felicidade espelhava para onde ia!!!

Estes maravilhosos mojitos que me acompanharam a todas as horas!


O livro que me acompanhou em férias: Casa Quieta de Rodrigo G. Carvalho!
Bela surpresa!



Um pé neste horizonte fabuloso...


Sentia o peso de Cuba por cima de mim...


Não parece mas são 3 metros de profundidade! Onde fizemos snorkling...


A praia de Cayo Blanco! Ainda mais incrível...

A ponte mais alta de Cuba...


Havana vista ao longe....


Maior que Cristo? Só em Havana...

Uma das inúmeras homenagens a Che...
Edifício de homenagem a José Martí (poeta da revolução)...
O tal de Capitólio...

O berço dos Daiquiris (La Floridita)...

Bebendo com o meu amigo Papa Hemingway...

Esta foto foi pedida pela menina Covinhas...


A Igreja de São Francisco (fica bem por o padroeiro)...


A estação de comboios em Havana...


Os comboios em Havana (acreditem que eles andam)...


A senhora a enrolá-los! Para depois a malta fumá-los...


O grupo: Adam (canadiano nascido no Dubai), Pedro (cubano de rir a viver em Espanha), Charbel (canadiano nascido no Líbano), Danias (companheiro de viagem), eu, Paolo e esposa (canadianos-italianos) em cima; Félix (chefe dos animadores) e Yoel (animador) em baixo...

O Félix ficou a saber qual o melhor clube de futebol...


A isto eu chamo uma festa....


No auge da loucura da última noite...

Aeroporto de Varadero! A pensar se quero ir-me embora...

domingo, agosto 12, 2007

Cheguei e parto amanhã para Mira. Não quis no entanto partir sem deixar o relato da minha visita. Farei também um post com as fotos mas hoje é impossivel porque tenho um problema com a máquina...Ficam assim aqui as "Notas de Cuba"...

Quis a minha inocência que ao perguntarem-me na alfândega qual era a minha profissãom eu tenha respondido Técnico de Relações Internacionais. Essa é de facto a minha profissão mas mal acabei de o proferir compreendi que estava a fazer asneira. A guarda da imigração levantou logo os olhos e seguiram-se 10-15 minutos de perguntas: se era a primeira vez que estava em Cuba, onde trabalhava em Portugal, em que consistia o meu trabalho, se trabalhava apenas no meu país, com quem vinha a Cuba, com que propósito, durante quanto tempo, se algumas vez tinha trabalhado na América do Sul, etc. Nem há dez minutos esava em solo cubano e tive o meu primeiro interrogatório. Tudo se resolveu a bem porque o meu trabalho nada tem de político e venho a Cuba em férias. Porém comecei a pensar que deveria ter respondido voleibolista...

O calor em cuba chega aos 35 graus.É abafado, impede de respirar. Depois de um voo de oito horas (que desespero), chegou a vez de aproveitar oito dias de férias. O hotel tem muito boas condições, ou seja, uma piscina enorme e um mar azul.

À noite o primeito contacto com este continente. A animação do hotel presenteia-nos todas as noites com um show de música e dança. Músicas de toda a América, desde o tango argentino, o samba brasileiro, as flautas andinas e a salsa e rumba. Um festim para os ouvidos e a constatação que os cubanos dançam que se fartam...

O jet lag afectou-me ligeiramente o sono, o que fez com que estivesse uma hora acordado a meio da noite. Serviu para relembrar a viagem e o que ficou em Portugal.

De manhã, um pequeno almoço gigante com panquecas, pão e sumo de frutas. De seguida, ida para a piscina. Uma água muito quente e um sol maravilhoso. Hoje é dia de não fazer nada.. À tarde um salto à praia. O azul límpido do mar é o mais bonito que já vi. A temperatura da água satisfaz o mais exigente dos humanos. Um senão, é muito salgada. Mas também não estou aqui para bebê-la...

As notícias vão chegando a espaços. Ouço que há novidades no caso McCann mas pelos vistos nada de definitivo. Falarei disto um dia destes. Recebo também ecos de que caiu uma ponte nos EUA há uns dias. Pois bem, para quem muitas vezes teima que só em Portugal se passam algumas coisas, pelos vistos noutros países também...

Ontem foi dia de saída. Fomos até um bar ao ar livre, repleto de gente. Primeiro deram músicas universais que estou um pouco farto de ouvir, depois puseram algumas músicas cubanas com arranjos mais mexidos e finalmente umas músicas mais antigas (anos 80 e 90), que deu para lembrar as primeiras saídas à noite.
Por falar nisso, as mulheres cubanas. Fui avisado (até pela minha mãe) que elas são atrevidas, sobretudo com os turistas. Não vejo isso! Vejo que as cubanas gostam muito da matreirice e calor dos cubanos. Nem dão importância aos turistas. é engraçado estar algo aparte e observar isto. Se eu tivesse feito esta viagem para ter algo seria uma coisa, mas assim é diferente. Apesar de ter sido abordado aqui, já fui muito mais assediado em Portugal. As cubanas transpiram sensualidade, mas é com os cubanos. Vi mais sexo numa dança entre cubanos que em muitos actos propriamente ditos. No entanto, os turistas não parecem interessar. Sendo assim, é bom estar do lado tranquilo. Até porque gosto de seduzir, não engatar. Por isso, observo...

Aquilo que disse das cubanas aplica-se às turistas. Vi mulheres de várias nacionalidades a deixarem-se levar por cubanos (mesmo que feios) por serem cubanos. Não tenho que condenar ninguém, mas ainda bem que não me atiro a tudo que mexe, que não perco uma certa compostura. Mesmo bêbado...

Escrevo agora que chego de Havana. Foi uma manhã e uma tarde a visitar uma cidade que precisa de muitos mais dias para se conhecer. Decidimos partir de táxi de Varadero, e revelou-se uma opção acertada porque os sinais que indicam as estradas rareiam. Cheios de sono da noite anterior fomo-nos deixando levar na auto-estrada (que permite que peões e bicicletas a utilizem, e que em termos de piso se assemelha a uma nossa Estrada Nacional). Fizemos uma pequena paragem naquela que é a ponte mais alta de Cuba e seguimos caminho. O percurso demorou mais porque apesar dos limites de velocidade serem os normais, os polícias não tem radares. Ora o que acontece é que os taxistas reduzem para velocidades tartaruguescas para não correr riscos. Entramos em Havana por uma estrada secundária e desde logo vimos uma nova realidade. Alguns bairros de casas pré-fabricadas e escolas que, nas palavras de um dos canadianos que nos acompanhava, se assemelhavam a celeiros. Ainda à distância, estivemos no local onde lado a lado está o museu de Che Guevara e uma estátua de Cristo. Em seguida fomos a uma loja de charutos onde está o charuto mais comprido do mundo (com direito a lugar no Guiness). Pensamos em comprar charutos mas eram muito caros. O nosso taxista-guia logo nos informou que se quisessemos falaria com um amigo que arranjaria mais baratos. Arrancamos para o coração da Havana, entrando pela Havana Moderna. Aqui há muitos edifícios novos (hóteis e centros comerciais) e os velhos palacetes estão ocupados por coisas tão diferentes como uma multinacional ou uma barbearia. Paramos um pouco em frente ao monumento que homenageia o poeta da revolução José Marti. Um edifício enorme em frente a uma praça descomunal. Do outro lado, um edifício com mais uma homenagem a Che. Tiradas as fotos, seguimos para o Capitólio. Construido à imagem do de Washington, consegue supera-lo em altura. É uma recordação do tempo de Batista, o anterior ditador que tinha o apoio do governo norte-americano. Ao fundo das escadarias da entrada, dezenas de cubanos vendem de tudo: comida, bebida, fotos, indicações, mapas, etc. É-nos dito que são pessoas que nao querem trabalhar e se limitam a viver dos turistas. Decidimos não entrar e seguimos para a Floridita, o bar onde Hemingway tomava os seus daiquiris. Sem nada no estomago, os daiquiris começam a fazer o seu efeito. É já bem animados que vamos ter com o amigo do taxista. Ora, ele é Juan! Nem mais nem menos que outro guia, que fala inglês perfeitamente e que para além dos charutos nos apresenta a possibilidade de conhecer Havana Vieja. Depois de nos revelar que gosta muito do Figo, prometo-lhe a camisola dele que trago na mochila. Em troca queremos uma visita inesquecível. Com este guia só poderia ser assim. Juan leva-nos numa carroça de cavalos aberta, em que podemos ver tudo. A primeira paragem é a casa do último Governador Espanhol. Por esta altura, as pilhas da minha máquina estavam nas últimas e tive que seleccionar o que queria fotografar. Parámos perto da Igreja de São Francisco para comprar água. Apercebo-me então de uma diferença entre Havana e Varadero. Se onde está o hotel as cubanas pouco se interessam nos turistas, aqui na capital elas comem-nos com os olhos. Se por acaso olhamos alguma, o seu olhar irá seguir-nos até irmos embora. Entretanto, Juan vai discorrendo sobre a má situação dos cubanos, sobre as doze primas que tem e que se quiseremos vão ter conosco, sobre a sorte que tem apesar de tudo, etc. Leva-nos agora num passeio mais comprido em que passados por algumas igrejas em que os santos não tem cabeça, pela estação de comboios (velhíssimos), por outro bar onde bebemos mais uns daiquiris... Finalmente chegamos a uma das lojas de charutos mais conhecidas. Em plena loja, diz em inglês que aquilo era uma exploração e diz para comprar-nos só um charuto. Com ele já estamos por tudo e fazemos o que diz no meio de gargalhadas. Explica que nos levará a casa de uma amiga para comprarmos. Em tom de sussurro diz que mandará o condutor da carroça embora porque é um informador ("chibo") do Governo. Seguimos então a pé para o meio de um bairro velho de Havana. Apesar de sermos quatro, apesar de um dos canadianos ser jogador de rugby, se isto não corresse bem, acabávamos todos numa valeta. Apercebemo-nos desta situação mas mantivemos a calma. Chegamos à casa da amiga (de seu nome Amália) e sentamo-nos nos sofás da sala, mesmo ao lado da cozinha. Ora, peço-vos que imaginem a cena. Dois portugueses e dois canadianos sentados numa sala de estar cubana a beber café Cubita e à espera de mercadoria não muito lícita. Juan explica-nos que Amália trabalha na fábrica de charutos e que por dia pode trazer cinco charutos (ou uma caixa da vinte e cinco no fim da semana) para fumar em casa. Aquele bairro é toso habitado por pessoas que trabalham na fábrica por isso consegue-se arranjar o que queremos. Um dos canadianos, o nosso especialista na transacção, tem uma loja de charutos no Canadá. Ele pega no charuto comprado na loja e num à sorte da caixa contrefacta. Cortamos um pouco dos dois e dão-me a cheirar (sou o especialista em cheiros). Confirmo que são iguais. Ao olhar-mos as folhas (porque um charuto verdadeiro é feito com apenas uma folha), vemos que são feitos da mesma forma. Falta apenas a prova do sabor. O charuto novo passa tão bem a prova que até dizemos que é melhor que o outro. Este facto explica-se facilmente uma vez que é mais fresco. Sem nada no estômago a não ser álcool e a fumar um charuto, o nosso especialista canadiano confessa-nos que está tão tonto que não se consegue levantar. Começamo-nos todos a rir e pedimos café extra. Chegar a parte de escolhermos a marca e tipo que queremos levar. Sendo que só se pode levar o máximo de 50 charutos para fora de Cuba, eles levam seis caixas (de 25) entre os três e eu levo uma dos meus favoritos: Romeo e Giullieta do tipo Churchill. Para quem não sabe sabe dos mais finos e compridos, favoritos do antido primeiro ministro inglês. As caixas que queremos levar variam entre os 250 e os 350 dólares ou pesos convertíveis cada uma. Levamos as sete por 700 pesos convertíveis. Que negócio! Além do dinheiro, deixamos canetas, amostras de perfumes, as minhas outras camisolas de futebol, um ou dois pólos, escovas dos dentes, etc. Juan agradece e diz que dará a um padre porque é a melhor pessoa para as distribuir. Perguntamos-lhe se é católico e ele diz que cada vez mais porque só assim se aguenta. A casa onde estavamos era pobre, com pessoas sempre a entrar e a sair, um velho à porta numa cadeira de baloiço (a fazer lembrar uma personagem do Kusturica) e um gato com um olho cego. Parecia um cenário de um filme de gangsters e podia ter corrido muito mal, mas acabamos por sair de lá com um óptimo negócio e imensa simpatia por todos. O nosso táxi já estava à porta e despedimo-nos de Juan com um abraço e a camisola do Figo. Os seus olhos brilhavam. Fomos comer algo ao fim da tarde. Era a primeira coisa que metiamos à boca que não álcool. O bife não era nada de especial mas serviu para os canadianos meterem conversa com as empregadas cubanas. A viagem de regresso foi louca. Já de noite, imaginamos como seria de nos tivéssemos metido à aventura de alugar um carro. Acabariamos na valeta como os 14 carros que vimos empenados. Com a agravante que é proibido aos cubanos dar boleia a turistas.

Hoje na discoteca uma cubana pensou que eu era cubano. O moreno da pele e o espanhol na língua devem te-la confundido. Ah, para que conste ela foi embora logo a seguir. Apenas queria cigarros...

Último dia completo neste belo paraíso. Sinto já alguma nostalgia. Deu para matar as saudades de jogar volei com os animadores e outros hóspedes. No fim, um choque e o joelho quase cedeu. Preferi para porque a minha época só começa em Setembro.

Apesar das dores no joelho, a última noite era para ser aproveitada. Grande festa no El Castellito. Depois acabei na praia do hotel a fazer conversa com uma cubana enquanto a amiga dela estava entretida com um dos canadianos. Serviu para ouvir estórias de uma nativa, como por exemplo que ninguém é desempregado em Cuba. Só se quiser. O Governo oferece emprego ou dá 90 pesos convertiveis para ir tirar outro curso. Por outro lado, o Governo não demite ninguém. Pode mudar-lhe o emprego mas não o demite. Depois do amigo e da amiga resolveram os "assuntos", é tempo de dormir.

O dia da verdadeira despedida. Hora de balanços. Primeiro o mau. Há muita pobreza, demasiada. Os médicos são tão mal pagos que as pessoas levam presentes às consultas (que diferença para a Europa). O Governo cubano dá um litro de leito por dia às crianças até aos 7 anos, mas depois é tão caro que ninguém bebe. Os cubanos não são permitidos nos hóteis e os nossos animadores tinham de nos pedir coisas para comer e beber. Os cubanos não podem sair do país, mesmo uma filha de seis anos visitar o pai que está emigrado há 5 anos. Os nossos animadores tiveram que dormir um ou dois dias na praia, porque saíram conosco, quiseram voltar conosco e o hotel não permite que funcionários possam dormir lá. Os cubanos não podem estar a falar com turistas à noite na rua nem dar-lhes boleia. Podia continuar mas não me apetece. Quero falar de coisas boas. Como o mar maravilhoso, o clima fantástico mas sobretudo as pessoas. Esta gente fantástica que apesar de todos os problemas tem uma generosidade enorme. A alegria com que vivem, dançam, cantam, encantam é inenarrável. Não há palavras suficiente para os elogiar. Quem pede uma informação pode ser a certeza que um cubano fará tudo para o ajudar.

Voltarei a Cuba, mas só depois de Fidel morrer. Porque não consigo ver novamente certas coisas...

PS- Já depois de voltar a Portugal, soube que uma bela cubana que conhecemos no hotel (empregada de mesa) foi presa porque foi apanhada pela policia com o nosso amigo canadiano. Não estavam a fazer nada de mais mas assim é Cuba no seu pior...