terça-feira, dezembro 22, 2009

Na Tabu de sexta, a Raquel Carrilho entrevista Frederic Coustols. Uma personagem fantástica que acaba com esta pérola: "Não me sinto com 65 anos. Sinto que nasço com cada novo projecto. Não gosto de rotinas, preciso de recomeçar, de fazer muita coisa ao mesmo tempo. Renasci muitas vezes, mas a única coisa que realmente fiz na vida foi ter prazer. Nunca me aborreci e esse é o meu grande feito. De resto não fiz nada." Quero chegar ao fim e dizer isto!

Ora bem, a pedido de algumas pessoas, decidi continuar um pouco mais a estória.

"A festa está animada, os amigos já tinham passeado por quase toda a sala e iniciado conversa com várias mulheres. Já os conheço. Sabia que seria assim. Muitas noites, muitas saídas com o mesmo filme. Depois de vaguear pela sala, decido-me pela varanda. A noite está fria! Talvez por isso não esteja ninguém no exterior. Uma bela vista sobre o rio. Um enorme sossego. A paisagem, a música de fundo. Fecho os olhos e inspiro fundo várias vezes. Tenho uma sensação estranha dentro de mim. Ao mesmo tempo alerta e distante. Ouço passos atrás de mim mas não me viro. Pressinto-a.
- Bem, procurei por ti por todo o lado!
Sorri, ainda de costas para ela. Ao voltar-me, digo:
- Sabia que me encontravas!"

1 comentário:

Miguel disse...

Feliz Natal e um 2010 cheio de tudo o que desejas...

Abraço