segunda-feira, agosto 24, 2009

Perguntam os meus pais:
- Estás bem?
- Sim, estou bem! - respondo eu.

Sabes, se calhar não sei ser teu amigo! Ou pelo menos ser só teu amigo. Como se faz a passagem de ser amigo, namorado, amante, companheiro, parceiro, confidente, para amigos que se falam de tempos a tempos? Eu não sei. Se tu sabes, melhor para ti.

- Estás bem? - perguntam os meus amigos.
- Estou muito bem! - respondo eu.

Acho que vou alugar meia cama a algum sem-abrigo! Ou então a cama toda. É que me custa chegar lá todos os dias e imaginar como seria encontrar-te. Ou andar a falar pela casa à casa que aparecesses.

- Estás bem? - perguntam as amigas.
- Estou óptimo! - respondo eu.

Elas perguntam-me quando me caso, quando tenho filhos! Mas que culpa tenho eu que agora só pense ter mulatinhos. E tu és o chocolate necessário para esses chocolates de leite. E como dizer-lhes que parece que lhes falta algo? Mas também metades só há duas, e se eu tenho uma e tu a outra, não sobram mais metades...

- Estás bem? - perguntas tu.
- Porra, tou fantástico, mas não estou completo...

PS- Ninguém me vai perguntar se tou bem, pois não???

15 comentários:

Belota disse...

Estás bem Francisquinho?

(dá tempo, que vais ver que estarás ;) )

Francisco del Mundo disse...

Tinhas de ser tu não tinhas?:D De todas as pessoas tinhas de ser tu..haha
Eu estou bem! Tinham era saudades destes meus textos...:D
Beijo enorme, lindona;)

Ilusão disse...

Se calhar estás mesmo bem...estás optimo...fantástico...
Se calhar o facto de te sentires incompleto é o que te faz sentir bem...

Apesar do doce que uma memória pode ter, e da tua pelos vistos saber a chocolate faz com que sintas a amargura da saudade dessa memória...

mas sim... estás bem...
antes a saudade, teres vivido algo... teres a tua metade, do que o fel de nunca a ter provado...

beijinho

Francisco del Mundo disse...

Ilusão, ter conhecido a metade da minha laranja será sempre uma coisa boa! Estou bem, mas completo estaria melhor..:D
Beijo

Profundo Olhar disse...

Olá,tenho estado por perto,leio te mas não tenho comentado,hoje seria inevitável perguntar te se estás bem......

beijos

Cat disse...

Isso é porque ainda não me conheceste... :-D

Francisco del Mundo disse...

Profundo Olhar, estou bem sim...:)
Beijo

Francisco del Mundo disse...

Cat, pois acredito..:)
Beijo

Miguel disse...

Um texto fantástico!

Parabens!

Desejos de melhores dias...

Francisco del Mundo disse...

Miguel, muito obrigado! Os dias melhorarão com certeza...
Abraço

Anónimo disse...

- estás bem? - pergunto eu.
- porra, tou fantástico, mas não estou completo... - respondes tu.
- eu também não sei se sei ser tua amiga e deixar de ser tudo o resto, mas sei que prefiro ter-te como amigo do que não te ter de forma nenhuma. nunca encontrei um leito tão confortável, um encaixe tão perfeito na hora de dormir. parte-me o coração não saber se os meus filhos terão a nossa mistura de chocolate com baunilha, o teu sorriso, o teu olhar profundo. sei que temos um vazio nos nossos corações difícil de preencher, por mais que nos cruzemos com inúmeras pessoas e sejamos até felizes com elas. mas sei, acima de tudo, que a minha metade existe e isso, por si só, é maravilhoso...
adoro tu, para sempre...

ass.: lua

Francisco del Mundo disse...

Livra, ninguém escreve como tu...
Amar-te-ei sempre e a tua memória far-me-á sempre sorrir...
Baci

Miguel disse...

Francisco,

Não sei bem por onde começar mas aqui vai...

Já conheço este espaço há mais de 2 anos. Foi aliás por aqui que conheci a mulher que mais amei até hoje, "a metade da minha laranaja" como parece estar na moda dizer. Não que seja um termo que ache piada...

Entretanto a nossa relação acabou e sinto-me um pouco como tu.

Estive cerca de 1 ano sem passar por aqui porque perdi os links no pc, estive afastado um tempo e acabei por esquecer o nome do blogue. Mas consegui cá voltar.

Já te disse que gostei bastante deste texto. Tem muito do que eu sinto, ou senti. Sinto um pouco menos agora, que já passou algum tempo.

Se não te importares, irei utilizar algumas partes num post meu (indicando obviamente o autor).

Muito do que escreves, e acho que mantens uma coerência muito acima do normal (não concordo com a Carol, acho!), são coisas que sinto e concordo. Algumas até já falei no meu blogue.

Por exemplo, as mulheres procuram os homens errados e depois queixam-se. Acho que falas nisso no post seguinte. Eu digo que elas procuram carne na frutaria e depois ficam espantadas com as digestões rapidas do que comem.

Cada um escolhe o que quer. Nada contra isso. Há é que ser coerente. Se querem fruta vão à frutaria; se querem carne vão ao talho; se querem carne e vão à frutaria, não se queixem!

Pelo que percebi, a "metade da tua laranja" era de longe, como a minha!
Eu não compreendo que a distância afaste 2 pessoas que se Amam. Não nos dias de hoje. Tenho lido aos poucos o que ficou para trás e ainda não percebi a razão do afastamento mas pelo que escrevem, continuam a gostar um do outro e isso eu não entendo. Se gostam acabam porquê? Há sentimento, há bem, mais poderoso, melhor, que o Amor?
Não há.
Então? Se têm o melhor, vão deitar isso fora?
Se têm problemas, caramba, falem e resolvam isso, mas não matem o que têm!
O mundo não vai acabar ainda (já me disseram, de fonte segura!) pelo que têm muita vida pela frente...

Custa-me ler o que escrevem e perceber que se afastam. Acho uma coisa sem sentido.

Desculpa opinar sobre isto mas é uma coisa que mexe comigo mesmo.

Vou ficar por aqui, que já me alonguei e já é tarde,

Abraço,

MC

Francisco del Mundo disse...

Miguel, foi dos melhores comentários que recebi desde que estou na blogosfera! Muito obrigado por me seguires. Quanto à distância, eu explico-te: estava a fazer-lhe muito mal, não estar comigo todos os dias. E nós não podemos estar todos os dias! Nem sequer todas as semanas. E a ela doi-lhe menos afastar-se do que ter a relação pela metade. Espero ter-me explicado bem!
Abraço

Miguel disse...

Olha, Francisco, hoje a distância é relativa.

Como eu disse ontem, o importante já está com vocês, e isso é o sentimento que têm um pelo outro.
A distância que importa é a dos corações. Se estão perto um do outro, o resto é secundário. Isto até me soa lamechas mas é, no fundo, aquilo em que acredito.

Obviamente não se espera que vão continuar assim a vida toda. Alguma coisa terão de fazer para mudar isso mas há tempo para pensar e escolher uma solução melhor que essa que tomaram.

Vão ficar sempre a pensar... e se?
A vida toda? Como poderia ter sido?

Eu não sei o que vocês sentem, claro. Imagino o que seja pelo que se lê. E imagino também porque revejo muito da vossa situação na minha.

Quando um desiste da relação, a relação está condenada. Não importa o resto. Nada mais importa.
Mas penso que vocês estão a tempo de repensarem tudo isso.

Fonix, Francisco, não se desiste do Amor! A maioria das pessoas nem sabe o que isso é. Confundem amor com sexo, com gostar, com paixão, com desejo. Se o que têm é mesmo Amor, não desistam.

É que podem não voltar a encontrá-lo!

Abraço