quinta-feira, novembro 23, 2006

Adoro a série "Sexo e a cidade"! As personagens, o enredo, Nova York, a loucura e a simplicidade...
Podia dizer que era impossivel algumas das personagens existirem na vida real (pelo menos na realidade portuguesa), mas pensando um pouco, acho também que aquela série com personagens masculinos seria igualmente impossivel. Senão, vejamos...
A Samantha, a personagem mais divertida, é uma mulher de 40 anos, Relações Públicas do jet-set, que abomina relações estáveis, que tem muitos homens e que acaba a série com um actor de 20 e tal anos. Pergunto: Porventura achar-se-ia piada a um homem de 40 anos, com muitas mulheres, incapaz de um compromisso sério e que acaba a série com uma mulher mais nova? Não acredito, até por outra personagem da série: Mr. Big! Ele é chamado de bébé de 42 anos, incapaz de ter uma só mulher ou relação.. Mas como é irresistivelmente atraente, há o desejo que ele fique a personagem principal. É a questão do menino rebelde (ou cabrão) que as mulheres gostam de domesticar! Neste caso, é a Carrie (personagem principal). Uma colunista social (se fosse homem chamavam-lhe gay, com certeza) que algures na 2ª ou 3ª temporada quase casa com um homem carinhoso e compreensivo (o Aidan), mas que o deixa por medo do compromisso e na realidade porque ele não é Mr. "Deus na Terra" Big! Mais uma vez pergunto-me se fosse um homem se não pensavam que ele preferia a boa à carinhosa...
A personagem da bela Charlotte, tem uma personalidade recatada, gosta de homens classe alta, não é de aventuras sexuais, é galerista e acaba a série com um advogado careca na cabeça e peludo no corpo que lhe trata do divórcio de um casamento falhado. Se fosse um homem galerista e recatado era considerado um intelectual ou tótó. E se fosse bonito e acabasse com uma mulher feia, iria ser criticado ou chamado de burro (ao contrário de Charlotte, por quem sentimos ternura)...
A Miranda (apesar de ruiva, é a personagem que menos gosto) é uma advogada neurótica que primeiro detesta os homens, depois tem um filho com um empregado de mesa, separa-se dele, e quando descobre que o ama, faz tudo para o reconquistar...Acho que basta pensarem um pouco para concluirem que nunca poderia ser um homem a ter estas peripécias, sem ser chamado de inseguro...

Pode parecer que estou a criticar as mulheres em geral, mas não é verdade. Gosto imenso destas personagens e adorava conhecê-las se fossem reais. O que tenho pena é de não haver uma série em que quatro homens com estas caracteristicas sejam descritos sem cair em clichés e lugares comuns... Talvez apareça por ai um "Candace Bushnell"...

7 comentários:

Paixão disse...

Agree!

Kiss Kiss

psique disse...

LOl... Só tu para pensares nisso...
beijos

Netro disse...

Tambem sou enorme fa do Sex and the City. E das poucas series que me consegue meter bem disposto (principalmente nas primeiras seasons). Adoro pelo que mostra do requinte de grandes cidades, como New York,London ou tantas outras. Irreal certamente em varios aspectos. Pelo dinheiro que todas possuem e ao mesmo tempo pelo enorme tempo que tem disponivel para sairem a noite. Sr. Francisco pergunto-lhe em relacao a um anterior post seu que nao comentei por falta de tempo: Nao havera aqui na moda um sentido fortemente artistico? Nao e aqui que a moda e sem sombra de duvidas uma ARTE com toda a sua forca? Sera chocante daqui a uns anos esta serie concerteza, como nos choca o guarda roupa de Moulin Rouge (que ainda hoje se resta em sohos), ou o cheiro mafioso da escuridao dos anos cinquenta, ou a sexualidade exposta dos anos 20,ou os ja retomados anos 90...Vou ter a oportunidade de ir aos EUA a California e cheirar a moda que por la anda:)

Bad disse...

francisco... acho que não podes ver isso nessa perspectiva, pura e simplesmente pk a realidade dos homens é diferente. as coisas nunca são assim tão lineares como dizes!

mas... adorei a ideia LOLLL
beijooooooooo

Francisco del Mundo disse...

Paixão, ainda bem..:D

Psique, eu e as minhas ideias...:D

netro, para já sortudo por lá ires...:D Depois, eu concordo com esses aspectos que levantaste quanto aos guarda-roupas, mas então acho que se deve distinguir os termos moda enquanto passageira e moda enquanto movimento artistico...:)

Bad, a realidade não é linear nem nos homens nem nas mulheres...:D Eu so quis picar pelo facto de ser mais perdoável alguns estereotipos às mulheres...:D

Beijos e abraços

Bad disse...

ai francisco tu apanhassssssssss

loll

beijoooo

Francisco del Mundo disse...

Bad, ahahahha... Apanho???:P Naaaa... Dou luta, isso sim!!! Vá agora, quero que respondas ao desafio que pus no novo post...
Bacione