domingo, outubro 08, 2006

"Morava num prédio antigo da Baixa por gosto... Tinha a possibilidade de morar num daqueles prédios novos, com belas campainhas e porteiro requintado! Mas não... O seu gosto era o cheiro a madeira e aquele elevador tão inseguro quanto fascinante. Tinha de se abrir o leque em ferro e subir vendo parede, andar, parede, andar... Até chegar ao seu terceiro andar com águas furtadas...
Naquele dia vinha particularmente contente. O dia tinha corrido bem no trabalho, e vinha com vontade de dar uma festa. Mas antes queria um banho rápido! Abriu a porta do prédio distraidamente, e nem reparou que alguém esperava o elevador... Só no último degrau, levantou a cabeça e viu-a. Da altura dele, com uma saia comprida de flanela, e uma camisa negra... Vacilava entre o belo sorriso que o olhava, o peito semi-descoberto pelos botões abertos, e a longa abertura da saia que mostrava os collants. Com dificuldade esboçou um cumprimento com os olhos! Lado a lado, esperaram o velho elevador... Ele abriu a grade, e deixou-a entrar. Entrou ele e perguntou o andar... Ela respondeu segundo! Ele sabia que aí morava apenas um casal de idosos, por isso teve uma ideia.
- Não quer antes visitar o terceiro? Tem uma vista melhor...- atirou com o seu melhor sorriso.
- Não - respondeu ela calmamente, sorrindo, ao ver o ar de desanimo dele - Mas posso levar o tempo que quiser até chegar ao segundo andar...
Com isto carregou no botão do terceiro andar. Mas foi a vez dele dar o seu toque especial. Estava o elevador entre o primeiro e segundo andar, quando ele carregou no botão de paragem. Um olhar atrevido passou dele para ela. Ele aproximou-se dela e beijou-a intensamente... Parou um instante e perguntou-lhe o nome.
- Shhhh! Aqui sou só a S.. Não precisas saber mais...

As mãos dele não paravam de procurar as pernas dela, enquanto a sua boca percorria os lábios dela, o pescoço, o peito... Abriu a camisa devagar, a saborear o momento, daquela bela mulher caída no seu prédio. Agradeceu a facilidade com que a saia dela permitia às suas mãos percorrer aquelas pernas bem feitas e apetecíveis... Perguntava-se a si mesmo se era para ir mais longe, e se ela queria ir mais longe, quando se ouviu o barulho de uma porta. Ambos olharam para cima, e só viam os pés da idosa do segundo andar.. Ouviram-na a barafustar com o elevador e temeram que ela chamasse alguém. A descarga de adrenalina acabou com as dúvidas, ja que ela virou as costas para ele e pediu para ele continuar...

Ela decidiu que visitaria os tios-avós noutro dia, porque esta noite preferia ver a vista do terceiro andar. Quanto a ele, o banho esperado e a festa desejada foram a dois..."

12 comentários:

Silvia disse...

E se um desconhecido lhe oferecesse umas flores? :-)))
Ta lindo.
Beijos:-)

Francisco del Mundo disse...

Ahahaha... Eu aceitava... então se fossem orquideas...:)
Beijo

Just a Girl disse...

:D Muuuuiiito bom !

Francisco del Mundo disse...

Ena, ena... Assim taãooo bom? ahahhah

Ando a soltar a imaginação...:D

Silvia disse...

Então se eu fosse a ti continuava a solta-la porque tens uma bela imaginação, muito fertil, é agradavel quando se lê e não digo mais :-))) Beijos

Francisco del Mundo disse...

Ahahha, muito obrigado...:D

Just a Girl disse...

Dá asas à tua imaginação...faz-nos voar ! ;)

Francisco del Mundo disse...

Farei... já tou a pensar em mais coisas...:D

Catwoman disse...

Não podia concordar mais! Então com as orquideas... Lindo!
:-)

Silvia disse...

Acho bem que o faças, porque adoro ler as tuas histórias e como disse a "just" faz-nos voar:-)

Woman disse...

As vistas já eram boas no elevador... Belo fim de dia... Belo momento... Belo banho e bela festa...

Francisco del Mundo disse...

Silvia, tentarei... tenho truques...:D

Woman, eu bem tento que seja tudo...belo...:D